Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Crumble de marmelo e maçã

Não é segredo o quanto adoro marmelos. Valem cada corte nos dedos a descascá-los ou a chatice de andar a limpar os bichos que normalmente habitam nos mais doces e biológicos.
Este ano foi um bom ano... Encontramos marmelos deliciosos e os amigos fizeram-nos chegar mais uns quantos. Só eles sabem o quanto me deixam os olhos a brilhar e o quanto lhes fico sempre agradecida! Porque gosto MESMO de marmelos. Obrigado Pedro!
E não me canso de dizer o quanto acho inconcebível que haja zonas do país em que os marmeleiros são utilizados para delimitar terrenos e a fruta caia podre no chão... Quando há quem pague 5€ o kg, se necessário for, para os comer!
Entre os assados que acompanhei com marmelos e castanhas e os doces e até um cheesecake (AQUI) saíram também estes crumbles reconfortantes. Este ano com uma cobertura adaptada ao nosso novo estilo de vida. Mas uma delicia. Servidos?





Crumble
Ingredientes: - 3 marmelos - 5 maçãs golden - 125 gr de amoras silvestres (opcional) - 2 colheres de sopa de mel -…
Mensagens recentes

Manteiga de amêndoa

Fazer manteiga de frutos secos, qualquer que ele seja, é um assunto já muito explorado. Não há revista que já não tenha publicado uma receita. Não há blog ou livro de culinária que não tenha a "sua" versão. E esta é apenas a nossa, cá de casa. 
O que tem de especial? Nada. Pode fazer com a quantidade de amêndoa que tiver em casa. Pode fazer com casca, sem casca ou com metade de cada, pode adicionar mais sal, ou não por sal ou simplesmente não juntar mel. E se não tem amêndoas, pode fazer com caju, por exemplo. É uma receita versátil. Feita à medida do gosto de cada um. 
É tão simples, que espero convencer aqueles que compram no supermercado a fazer em casa. Não se esqueçam que se vem no frasco foi processada e tem corantes e conservantes. Fazer em casa significa controlar toda a produção, é escolher a qualidade do ingrediente principal, é saber como é feita, é personalizar ao nosso gosto. E não, não dá grande trabalho.
Inicialmente o sabor estranha-se, mas garanto que depois en…

Caril de frango com cogumelos e acelgas

Assim como tenho dias em que as ideias do que vou cozinhar são claras, tenho outros em que gostaria de simplesmente chegar a casa e alguém ter feito esta tarefa por mim. Não só cozinhar mas também decidir o que cozinhar!
Uns peitos de frango descongelados quase chegaram a ser strogonoff. Mas também quase chegaram a ser panados... e jardineira. Na ausência de uma decisão, procurei "respostas" no frigorífico e encontrei uns cogumelos e umas acelgas quase a perder a frescura com que os tinha comprado e um pacote de natas frescas quase a sair da validade. E assim nasceu esta receita que tão rasgados elogios recebeu à mesa.
Quem preferir pode substituir as natas por leite de coco, os shitakes por cogumelos Paris ou por uma mistura de cogumelos e as acelgas por espinafres, por exemplo. Ou mesmo trocar estes vegetais por outros da preferência. 
É uma solução simples e prática para ter sempre na manga quando o cansaço não permite grandes rasgos de imaginação e inspiração.







Caril de frang…

Cheesecake de marmelo

Adoro o outono. Os cheiros, as cores, as frutas, os legumes, tudo. Se pensar bem, talvez seja a minha estação do ano preferida. 
Nesta altura tiro as mantas para fora, coloco o edredão mais quentinho na cama, saltito em cima das folhas secas na rua (sim tal qual as crianças), faço a primeira lareira da época, enfeito a cozinha com abóboras, como as primeiras castanhas e os primeiros marmelos, festejo o Halloween e o meu aniversário... Adoro!
Há qualquer coisa nos ingredientes desta estação que me inspiram. Talvez seja o meu estado de espírito, mas sem dúvida que a cabeça fervilha sempre com ideias com batata doce, abóboras, marmelo, castanhas, enfim...
E como este outono tem sido morno, lembrei-me de fazer algo inédito com os primeiros marmelos. Um cheesecake. Porque não? Sempre respeitando a qualidade dos produtos. Sempre mantendo tudo o mais simples possível. E talvez por isso tenha ultrapassado todas as expectativas. Só mesmo experimentando vai perceber o quanto é uma delicia!
Já me es…

Tosta de tomate e queijo da ilha

O post de hoje não é bem uma receita. Longe de mim querer ensinar como fazer uma tosta... É antes uma sugestão de sabores. Provavelmente a melhor combinação de todas, pelo menos para mim.
Embora o pão esteja excluído da nossa alimentação, aprendemos a fazer algumas versões sem glúten que ajudam a matar a saudade de vez enquando.
E quando há "pão" é obrigatório fazer esta tosta! Aconselho vivamente...


Tosta de queijo da ilha e tomate
Ingredientes: - 2 fatias de "pão" - queijo da ilha a gosto - tomate a gosto - sal e oregãos para temperar
Preparação: Aqueça a tosteira. Corte o queijo e distribua em cima de uma das fatias de pão. Adicione rodelas de tomate e tempere com sal e oregãos secos. Tape com a segunda fatia de pão e leve à tosteira até derreter ligeiramente o queijo.
Delicie-se mas cuidado para não se queimar.

Sopa de beldroegas

A culinária alentejana é riquíssima e confesso que só quando conheci o Mario verdadeiramente tive hipótese de a apreciar já que as minhas costelas são quase todas da beira baixa e da beira alta.
Claro está que há coisas que não aprecio de todos... Como as migas. Mas o talento de transformar qualquer erva num manjar, é um dom. Adoro catacuzes. Adoro poejos. Adoro beldroegas. E sempre que as encontro, porque as há por todo o lado, é certo que as trago para casa. Sim porque aquilo que alguns consideram ervas daninhas, são na verdade um pitéu fabuloso. 
E porque já apetece uma sopa quente e reconfortante, hoje trago uma sopa de beldroegas, sem pão,  feita com batata doce. Os sabores estão lá todos. Nada mais faz falta. 




Sopa de beldroegas com batata doce [serve 4 pessoas]
Ingredientes: - 1 molho de beldroegas - 2 batatas doces - 3 dentes de alho - azeite e sal qb - 4 ovos (ou +) - 1 queijo bem seco - 1 folha de louro
Preparação: Comece por separar as folhas de beldroegas. Reserve.
Pique os toros mais fi…

Filetes enrolados

Não sou fã de salsichas, seja de que espécie for, e por essa razão também não sou fã de salchichas frescas enroladas em couve. É um conceito que aliás sempre me intrigou... Porque a carne já está escondida dentro da salchicha que por sua vez está escondida numa folha de couve! E honestamente gosto de saber e ver o que como.
Mas, embora não perceba o conceito, o aroma do estufado sempre me desconcertou, no bom sentido. E porque não esconder dentro da couve um ingrediente que goste? Ainda pensei em carne picada. Mas também não aprecio o sabor de carne picada "cozida". 
E porque não peixe? Sim! Adoro peixe! E peixe dá-se bem com molho de tomate! Porque não? Pois eu acho que o criador da receita original não imagina o fantástico que isto fica! Mas resta-me agradecer a ideia porque foi ela que me permitiu provar esta delícia! 
Será para repetir muitas vezes! Sem duvida!




Filetes enrolados em couve [serve 4]
Ingredientes: - 4 filetes de peixe (usei línguado) - 4 folhas de couve coração (po…