Avançar para o conteúdo principal

.

Abóbora recheada com bacalhau

Tenho uma coleção considerável de livros de culinária. Embora não seja a minha formação de base, na verdade O tema apaixona-me.

Se tivesse de dizer qual dos livros de que gosto mais, sem dúvida que teria muitas dificuldades. 

Mas com muita segurança posso dizer qual o livro de que testei o maior número de receitas - Velocidade Colher Entre Tachos e Bimby da querida Susana Gomes. 

A receita que trago hoje, a par com a das “douradas com laranja”, é das que mais faço e gosto. Nham!





Abóboras manteiga recheadas com bacalhau
[serve 4 pessoas]

Ingredientes:
- 2 abóboras manteiga pequenas
- 1 cebola
- 1 dente de alho
- 1 tomate maduro
- 60 gr de alho francês
- 1 mão cheia de coentros
- azeite qb
- 1 iogurte natural
- 1 colher de sopa de coco ralado
- 1 colher de chá de açafrão das Índias
- 300 gr de bacalhau demolhado e desfiado
- sal qb

Preparação:
Lave as abóboras, corte ao meio no sentido longitudinal e retire as sementes. Leva a cozer ao vapor por cerca de 30 minutos. Deixe arrefecer um pouco e com uma colher retire e reserve parte da polpa da abóbora. Deixe-a com cerca de 0,5 cm de espessura. Reserve.

Pré-aqueça o forno a 180°.

Refogue a cebola, o alho e o alho francês picadinhos em azeite. Junte o tomate picado, assim como os coentros. Deixe estufar por 10 minutos.

Adicione o iogurte, o coco, o açafrão, o bacalhau e 140 gr da abóbora reservada. Cozinhe 15 minutos em lume brando, mexendo de vez em quando.

Rectifique temperos e distribua o preparado pelas metades de abóbora. Coloque num Pires e leve ao forno cerca de 20 minutos.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Claras

Hoje trago-vos uma forma perfeita de aproveitar claras. Cá por casa congelam-se! Sim pode congelar claras e utilizá-las posteriormente em bolos, omeletes, enfim, no que quiser. A melhor forma de as utilizar é tirá-las do congelador e deixá-las descongelar no frigorífico. No entanto, se as quiser utilizar no momento, por exemplo, num bolo, basta tirar do congelador e picá-las num robot de cozinha (na Bimby, carrego no turbo algumas vezes, até ficarem picadinhas). A partir desse momento pode levantar as claras normalmente. Simples, certo? Como tinha dito AQUI , a passagem do ano não foi a desejável… E numa emergência, foi esta a sobremesa escolhida. Pela facilidade, pela falta de paciência e inspiração, enfim, se eu consegui tão bom resultado em tão mau cenário, tenho a certeza que farão um brilharete. Aproveito para agradecer todo o carinho e preocupação que têm demonstrado aqui no blog e na página de facebook para com a minha princesa. Felizmente ja regressou à vida normal. Os res

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final. Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte: O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mes

Dia um... Na cozinha! - aniversário.

Adoro o intercâmbio culinário que acontece no local de trabalho e não só. Adoro partilhar receitas e que partilhem receitas comigo. Adoro. Foi assim que nasceu o blog. Comecei por trazer alguns bolinhos, foram pedindo as receitas e quando dei conta estavam a propor-me criar um blog. Não um blog com o intuito disto ou daquilo. Um blog para os amigos poderem consultar as receitas que resultam lá em casa. Um blog que me ajudasse a organizar as minhas próprias receitas e todas aquelas que experimento e gosto e tomo como minhas. Este blog é isso mesmo – o meu livro de receitas. E adoro consultá-lo quando tenho dúvidas de como fiz este ou aquele prato que resultaram tão bem. Serve o efeito para o qual foi criado, percebem? Faz-me feliz, o que é ótimo atendendo ao tempo que dispenso a este projeto tão simples, mas tão trabalhoso. Isto para vos contar que num destes dias um colega de trabalho, pelo seu aniversário, trouxe-nos um bolo muito especial – um bolo de nozes com doce de ovos. Inic