Avançar para o conteúdo principal

5 anos & Actifry 2em1

Posso dizer que sou uma pessoa abençoada… Sempre que dou aulas de dança, ganho amigos e não alunos. E o ano que passou não foi excepção… Tive uma turma estupenda, com pessoas únicas com quem mantenho o contacto até hoje… Pessoas com as mais variadas proveniências e expectativas, mas que em grupo alegravam os meus dias, especialmente aqueles em que a exaustão parecia querer vencer…

Dar aulas de dança, implica passar energia, animação, ajudar a esquecer os problemas do dia-a-dia e quem dá aulas tem de ter sempre presente essa componente lúdica, para além de toda a componente pedagógica necessária. Temos de perceber quando um aluno não está bem, temos de perceber que método seguir (porque nem todos aprendem da mesma forma), temos de saber cumprir as expectativas de cada um, mesmo quando às vezes são opostas.

Mas… Os professores são humanos, também têm filhos, também têm problemas e às vezes, como é o meu caso, acumulam as aulas com um trabalho diário que os leva à exaustão completa… Com uma carga horária semanal de 7 horas de aulas de dança e uma bebé de 2 anos, confesso que tive dias que tive alguma dificuldade em animar, porque às vezes era eu que precisava ser animada… Mas sempre que começava a dar aulas, era como uma corrente de energia positiva, sentia-me contagiada e contagiava. Quando fazemos as coisas por amor, o retorno que recebemos não tem preço…

Bem! Mas isto para contar-vos que no almoço de final de ano lectivo que organizei cá por casa, os meus alunos ofereceram-me uma Actifry 2 em1… Alguém me tinha ouvido falar do meu interesse em comprar uma, juntaram-se todos e em conjunto ofereceram a mim e ao Mário este miminho…

Ficámos muito contentes, mas os dias foram passando e passando e não havia meio de se arranjar tempo para ver como a máquina funcionava… E fazer as primeiras experiências. Até que a minha amiga Margarida se meteu comigo “olha lá precisas que te vá fazer uma demonstração?”. Foi a Margarida que me fez a demonstração da Bimby e foi a ela que comprei o meu braço direito… E a verdade é que o facto de não haver alguém que nos ponha a mexer na Actifry logo de início, acaba por ser um factor para a deixar a repousar em cima de uma bancada da cozinha, ad eternum… Como se a ‘bicha’ fosse aprender a trabalhar sozinha! :-)

Lá tirei um dia de férias e com um pouco de tempo lá me dignei a procurar nos blogs algumas receitas que me dessem uma luz do que fazer com a maquineta. Lembrei-me da Luísa Alexandra, o guru destas coisas… E depois de correr todas as receitas para a Actifry que tem no seu site, senti-me finalmente confiante o suficiente para dar o pontapé de saída. A verdade é que odeio livros de instruções, não foram feitos para mim. E senti-me intimidada com tantas peças e botões.

Claro que depois de ver a facilidade com que as receitas eram feitas e depois de por mãos à obra, percebi que efectivamente aquilo ia ser uma mais valia para mim! Mas, a verdade é que foi a Luísa Alexandra (sem saber) que me deu o empurrão e estou-lhe muito agradecida por isso.

A minha primeira receita foi frango frito com batatas fritas, tudo em simultâneo. Foi aprovado cá por casa! E é com esta receita, que adaptei DAQUI, que participo no passatempo que está a decorrer no site Luísa Alexandra, pelos seus 5 anos de existência. Espero que se prolonguem por muitos anos já que tem sido uma referência inquestionável neste macro universo de blogs gastronómicos.

Só por curiosidade, depois deste frango, já fiz umas castanhas assadas! Ficaram soberbas. Descobri também que é possível fritar 2 kg de batatas fritas em cubos para o bacalhau com natas!!!! Fiquei contentíssima por fazer render o investimento dos meus meninos! Obrigado, uma vez mais a todos, por existirem na minha vida!

_______________________________

Frango frito com alecrim (Actifry) + batatas fritas

[serve 3 pessoas]


Ingredientes:


Para o frango:

- ½ frango

- 8 + 2 dentes de alho

- 2 folhas de louro

- sal qb

- dois ramos de alecrim

- 75 gr de vinho branco

- 1 fio de azeite


Para as batatas:

- ½ Kg de batatas cortadas em palitos

- 1 fio de óleo

- sal qb


Preparação:

Coloque as batatas fritas no tabuleiro inferior com sal a gosto e uma colher medida de óleo. Programe 50 minutos, prima a tecla 2em1 duas vezes até aparecer no mostrador o desenho do frango. Programe o tempo de cozedura para 20 minutos e prima o botão para começar. Irá parar automaticamente após 30 minutos para que possa incluir o tabuleiro com o frango.

Relativamene ao frango, faça uma marinada com 8 dentes de alho picadinhos, 2 dentes de alho com casca apenas esmagados, as folhas de louro, o alecrim (apenas as folhas e picar bem picadinho) e o vinho branco. Tempere com sal a gosto. Coloque o frango a absorver estes sabores todos cerca de 1 hora (eu tive apenas o tempo das batatas fritarem).

Assim que o aparelho apitar, coloque por cima o tabuleiro com o frango e a marinada e feche a tampa.

Findo o tempo, se vir que o frango ainda não está pronto, é só programar mais uns 10 minutos.

_________________________________







 

Comentários

  1. Obrigado pelas simpáticas palavras e muito obrigado pela tua participação! Beijinho!

    ResponderEliminar
  2. Todos temos dias menos bons. A prendinha, mais não foi do que um merecido reconhecimento! Parabéns! (Fico roída de inveja, pois ando a namorar a maquineta à montes de tempo!heheheh)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Quando fazemos o que gostamos, o cansaço e a falta de tempo são rapidamente ultrapassados pelo prazer que a profissão nos dá e os amigos que manténs são a prova de que colocas amor na tua profissão, portanto, o presente foi mais que merecido e o franguinho tem um aspecto dos Deuses!!
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Tarte de maçã

Quando percebemos que este é o tipo de alimentação em que nos revemos uma das preocupações surgiu com as visitas para jantar. O que servir? 
Na verdade os amigos já mostram curiosidade assim que percebem que mudamos a forma de comer, embora achem que é uma moda passageira. Ainda assim, quando nos convidaram a primeira vez para almoçar ficaram apreensivos e ligaram a perguntar o que nos podiam servir ao almoço. Estavam verdadeiramente preocupados...
Claro que lhes explicamos que podiam fazer uma carne ou um peixe porque a única coisa que mudava era o acompanhamento. Aproveitei e ofereci-me para levar uma salada, que por sinal foi do agrado de todos, e ajudou a derrubar barreiras.
Num destes dias surgiu um jantar improvisado cá por casa com uns amigos de que gostamos muito. Para finalizar uma refeição soberba, que acho que foi do agrado de todos, fizemos uma tarte de maçã. Dizia-me a minha amiga "não sei como tens tantas ideias, eu nem sei por onde começar". Eu partilhei o meu se…