Avançar para o conteúdo principal

Limão de conserva

Adoro citrinos. Bom, talvez seja melhor reformular… Adoro o cheiro das flores destas árvores de fruto… O aroma das cascas, o toque diferente que dão a tudo. Gosto de lima, de limão e laranja, para temperar, para aromatizar, em chás, em bolos, em compotas, hummm. Gosto também muito de tangerinas e clementinas, para comer até ter a barriga cheia. Sim, gosto MESMO de citrinos!

Por tudo isto, na minha varanda resolvi plantar uma laranjeira e um limoeiro. Do alto da minha inocência e ingenuidade, sonhei com o aroma doce das suas flores na primavera e com pequenos frutos que pudesse colher, já que não esperava abundância de duas árvores de fruto plantadas dentro de vasos, em vez de ser diretamente na terra. Gente de cidade é assim…

Mas flores nem vê-las, o mau tempo roubou as poucas que estavam ainda a brotar… E os frutos, bem… Nada, nem um para contar história.

Felizmente, porque a família e amigos sabem que adoramos citrinos, têm-nos feito chegar alguns, especialmente limões. Um saco da minha mãe, outro de uma vizinha da minha mãe e mais dois bem cheios de dois colegas de trabalho e de repente a fome virou fartura!

E quando a vida nos dá limões, ou fazemos limonada em barda (e damos cabo do fígado) ou "inventamos". Desta vez decidi inventar…

A desfolhar o livro "O livro essencial da cozinha mediterrânica" encontrei a solução para os meus limões – uma conserva!!! Ainda que não seja fã de comida marroquina, na verdade um dos ingredientes que mais gosto nas tajines/tagines (um prato típico marroquino), senão o único, é mesmo o aroma cítrico dos limões de conserva.

Foi só por mãos à obra. É bastante fácil de fazer e o sabor é mesmo delicioso. Em breve coloco aqui uma receita de frango que fez as delicias cá de casa.

O chato é mesmo ter de ter paciência e esperar cerca de 2 meses para que esteja pronto. Mas "não há bela sem senão", não é verdade?

E porque não incluir esta conserva dos vossos cabazes de Natal?

______________________

Limão de conserva [Hamad M’rakad]

[1 frasco de 1L]


Ingredientes:

- 5 a 6 limões pequenos de casca fina

- 250 a 300 gr de um bom sal grosso

- sumo de limão (o suficiente para encher o frasco)

- folhas de louro qb

- grãos de mostarda qb

- sementes de coentros qb


Preparação:

Lave muito bem os limões debaixo de água morna.

Adicione ao frasco folhas de louro, grãos de mostarda e sementes de coentros na quantidade que gostar.

Corte os limões em quartos, mas sem os separar, deixando a base agarrada ao caule. Retire os caroços visíveis e barre o interior com sal grosso. Feche os limões para que mantenham a sua forma e distribua no frasco apertando bem para que fique o mínimo espaço possível entre cada um. Coloque o sal restante dentro do frasco. Adicione sumo de limão até completar a capacidade do mesmo e feche.

Vire o frasco de cabeça para baixo algumas vezes para que todos os ingredientes se combinem e coloque num lugar com temperatura amena por cerca de 2 meses. Semanalmente repita o processo de combinar todos os ingredientes, virando o frasco de cabeça para baixo.

Os limões estarão prontos quando a película branca interior estiver da cor da casca exterior – amarela.

Quando estiverem prontos e no momento em que os irá consumir, deve passa-los bem por água, eliminar a polpa e cortar a casca bem fininha (sim, é só a casca que se irá consumir!).

Assim que abrir o frasco deve mantê-lo no frigorífico e não deverá demorar mais do que duas semanas a consumi-los.

___________________________

Receita inspirada no livro "O livro essencial da cozinha mediterrânica".

___________________________

 

Comentários

  1. Nunca fiz, nem nunca comi, mas achei bem interessante!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…