Avançar para o conteúdo principal

Uma tarte de fruta

Já aqui referi o quanto privilegio sobremesas com fruta, especialmente no Verão. Uma apanha de amoras silvestres, num passeio nas redondezas de milfontes, acabou por me dar o mote desta tarte.

Ainda que o nome pareça pomposo, na verdade é uma tarte totalmente despretensiosa e rústica. Com muito pouca ciência ou dificuldade, mas com muito sabor. Ainda que a base tenha sotaque francês, os sabores são totalmente portugueses e bem caseiros e simples.

Não espere uma tarte particularmente doce. Na verdade, tentei que o sabor a fruta fosse mesmo o destaque, em complemento a uma base de tarte estaladiça e deliciosa.

Usei amêndoa ralada com o objetivo de secar um pouco o líquido que a fruta deita ao cozer. Se preferir pode usar farinha, pão ralado ou bolacha ralada.

Claro está que usei as frutas que aqui tinha, mas a imaginação é o limite e esta época do ano é rica em frutas deliciosas - nectarinas, pêssegos, cerejas, morangos, figos, hummmm

______________________

Galette de pêra e amoras


Ingredientes:


Para a massa:

- 200 gr de farinha

- 150 gr de manteiga sem sal bem fria

- 30 ml de água bem gelada

- 2 colheres de sopa de açúcar

- 1 colher de chá de canela

- 1/2 colher de chá de sal


Para o recheio:

- 300 gr de pêras

- 100 gr de amoras silvestres

- 30 gr de amêndoas laminadas

- sumo de limão qb

- açúcar qb

- 1 gema de ovo (opcional)


Preparação:

Comece pela massa. Coloque na Bimby a farinha, o açúcar, o sal e a canela. Pressione duas vezes no turbo, apenas para misturar os ingredientes. Junte a manteiga cortada em cubos e programe 10 segundos velocidade 5. Junte a água bem fria e programe mais 10 segundos velocidade 5.

Coloque a massa sobre uma folha de papel vegetal. Una, sem amassar demasiado, porque nesta fase a massa parecem migalhas. Coloque uma folha de papel vegetal por cima e estenda com o rolo da massa até obter uma espessura de mais ou menos 5 mm. O objetivo não é obter um aspecto redondo perfeito, mas antes algo rústico, por isso, não se preocupe em demasia se ficar meio oval ou recortado.

Coloque a massa no frigorifico por 15 minutos.

Pré-aqueça o forno a 180º.

Lave bem as pêras, elimine o caroço e as pontas, corte em 8 partes e regue com sumo de limão (se preferir descasque as pêras). Polvilhe com açúcar a gosto (usei 1 colher de sopa) e metade da amêndoa ralada. Misture bem.

Tire o disco de massa do frigorifico e retire o papel vegetal de cima. Coloque a massa, com o papel vegetal para baixo, num tabuleiro. Distribua a pêra no centro da massa, em forma de flor. Coloque por cima as amoras e dobre as pontas da massa para dentro sem grande ciência ou disciplina. O objetivo não é tapar por completo.

Polvilhe com a restante amêndoa laminada.

Pincele a massa com a gema de ovo e polvilhe os rebordos com açúcar (usei cerca de 2 colheres de sopa).

Leve ao forno por 35 minutos ou até que a massa esteja cozida e com os bordos dourados.


Nota: caso não tenha Bimby não se preocupe. O objetivo ao fazer a massa é amassá-lá o menos possível. Assim, ou usa um outro robot de cozinha e vai pressionando de forma intermitente o pulse para que a massa ligue, ou, se usar as mãos, tente que estejam o mais frias possíveis e misture a massa até obter pequenas migalhas.

______________________

Receita inspirada no blog As aventuras de uma Mamã.

______________________

 

Comentários

  1. Ficou tão linda esta tarte Sónia! Eu também dou preferência às sobremesas com fruta e as amoras são das minhas frutas de verão preferidas. Apanhei imensas este verão e tenho-as congeladas à espera de serem usadas. A combinação das amoras com a pêra deve ser deliciosa, adorei a ideia. ;)
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Que bom aspecto. Adoro sobremesas com fruta.

    Beijinhos,
    Clarinha

    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2014/10/mousse-de-biscoito-de-laranja.html

    ResponderEliminar
  3. Que belo aapecto!!!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Que tarte gulosa!

    _________________
    Ana Teles | Telita
    blog: Telita na Cozinha



    P.S.: Mal tenho tido tempo para o meu blog, quanto mais comentar os blogs que sigo... Por isso, lamento a minha ausência nos comentários.

    ResponderEliminar
  5. Gostei tanto desse aspecto bem rústico, que tentação!

    ResponderEliminar
  6. - Adoro amoras. São simplesmente divinas!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Tarte de maçã

Quando percebemos que este é o tipo de alimentação em que nos revemos uma das preocupações surgiu com as visitas para jantar. O que servir? 
Na verdade os amigos já mostram curiosidade assim que percebem que mudamos a forma de comer, embora achem que é uma moda passageira. Ainda assim, quando nos convidaram a primeira vez para almoçar ficaram apreensivos e ligaram a perguntar o que nos podiam servir ao almoço. Estavam verdadeiramente preocupados...
Claro que lhes explicamos que podiam fazer uma carne ou um peixe porque a única coisa que mudava era o acompanhamento. Aproveitei e ofereci-me para levar uma salada, que por sinal foi do agrado de todos, e ajudou a derrubar barreiras.
Num destes dias surgiu um jantar improvisado cá por casa com uns amigos de que gostamos muito. Para finalizar uma refeição soberba, que acho que foi do agrado de todos, fizemos uma tarte de maçã. Dizia-me a minha amiga "não sei como tens tantas ideias, eu nem sei por onde começar". Eu partilhei o meu se…