Avançar para o conteúdo principal

Trate de ruibarbo e morango

Perdi a conta ao número de vezes em que pensei ir ao mercado biológico do Campo Pequeni que acontece todos os sábados de manhã. Na verdade, tinha um certo preconceito... Normalmente biológico é sinónimo de produtos demasiado caros e ainda que prefira qualidade a quantidade, com tanto corte que levamos no nosso orçamento familiar, o preço acaba sempre por pesar na decisão. Não há como não ser assim.

Um destes sábados, sem programa definido, resolvi lá dar um salto, sem grande expectativa... Não sei se foi a falta da expetativa, mas na verdade fiquei muito surpreendida pela positiva pela diversidade, pela qualidade dos produtos e até pelo preço. Claro que os produtos são mais caros do que no supermercado, não há como negá-lo, mas nada que me chocasse por aí além. Vim com um pouco menos do que 30 € na carteira, mas vim com uma variedade imensa de produtos, alguns dos quais de que nunca tinha ouvido falar (pepino africano, rábano picante), outros pelos quais ansiava à muito (ruibarbo). E crente que esta será a primeira de muitas visitas. O truque, parece-me a mim é comprar apenas a quantidade que nos faz falta, variando, escolhendo produtos diferentes, cheirando, provando até. Adorei. E com o devido controlo, penso que é uma excelente opção semanal/quinzenal.

E quando cheguei a casa, a cabeça fervilhava de ideias. A primeira que foi colocada em prática foi esta tarte de ruibarbo e morango. É indescritível o cheiro dos morangos maduros a serem arranjados. A ansiedade por poder provar e saber a que sabe o tão desejado ruibarbo...

Esta receita veio da Filipa Gomes do 24 Kitchen. Ainda bem que a fiz, sabe tão bem quanto parece. Não é simplesmente uma tarte para figurar em capas de revistas, é uma tarte com sabor caseiro e confesso que fiquei muito surpreendida com o sabor ácido do ruibarbo que tão bem ligou com a doçura dos morangos. Para repetir!

E porque é uma delicia, resolvi levar esta receita ao aniversario do blog "O Barriguinhas". Penso que despensa apresentações... Um dos melhores blogs de culinária escrito em português faz 4 aninhos e não quisemos ficar de fora! Lúcia que contes muitos e nós por aqui a ver.

_______________________

Tarte de ruibarbo e morango


Ingredientes:


Para a massa:

- 200 gr de farinha sem fermento

- 100 gr de farinha integral

- sal refinado qb

- 3 colheres de sopa de açúcar mascavado

- 1 colher de café de canela em pó

- 180 gr de manteiga sem sal gelada

- 80 gr de água gelada


Para o recheio:

- 230 gr de ruibarbo (5 talos)

- 230 gr de morangos

- 120 gr de açúcar mascavado

- 3 colheres de sopa de amido de milho

- 1 colher de chá de canela

- raspa 1 limão


Para terminar:

- 1 gema de ovo

- 1 colher de chá de água

- açúcar qb


Preparação:

Coloque todos os ingredientes num robot de cozinha e processe até obter uma massa (na Bimby processe 8 segundos, velocidade 5).

Duvida um terço da massa, estenda grosseiramente em forma de disco, coloque entre película aderente e coloque no frio por 30 minutos. Faça o mesmo para a restante massa.

Pré-aqueça o forno a 200º.

Lave os morangos e seque bem. Retire o pé e dívida em quartos. Lave o ruibarbo e corte em pedacinhos. Junte a canela, o amido e o açúcar e polvilhe por cima. Junte a raspa de limão. Misture bem.

Sem mexer demasiado na massa (para que não aqueça) estenda até que dê para forrar uma forma. Usei quadrada mas pode optar por usar uma forma redonda, ou se preferir, forrar várias tartes pequenas.

Distribua a fruta por cima.

Com a restante massa reservada corte tiras e faça uma cobertura em cruzado diagonal como vê na imagem.

Pincele com a gema de ovo e a água. Termine com um pouco de açúcar granulado.

Leve ao ao forno a 200º por 20 minutos. Findo o tempo, leve mais 20 minutos a 175º.

Sirva morno com ou sem bola de gelado de baunilha.

___________________

 

Comentários

  1. Olá minha doçura! Mas que linda sugestão com a qual nos presenteias nesta festa! Muito obrigada por estares presente. Beijinhos mil
    Lúcia

    ResponderEliminar
  2. Que linda ficou essa tarte, tão apetitosa!

    ResponderEliminar
  3. Bem, ficou mesmo linda!! :D Adorei o formato quadrado :)
    -
    Diogo Marques
    Blog: A culpa é das bolachas! | Facebook | Instagram
    -

    ResponderEliminar
  4. Nunca usei ruibardo. A tarte ficou lindíssima.

    Beijinhos,
    Clarinha

    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Tarte de maçã

Quando percebemos que este é o tipo de alimentação em que nos revemos uma das preocupações surgiu com as visitas para jantar. O que servir? 
Na verdade os amigos já mostram curiosidade assim que percebem que mudamos a forma de comer, embora achem que é uma moda passageira. Ainda assim, quando nos convidaram a primeira vez para almoçar ficaram apreensivos e ligaram a perguntar o que nos podiam servir ao almoço. Estavam verdadeiramente preocupados...
Claro que lhes explicamos que podiam fazer uma carne ou um peixe porque a única coisa que mudava era o acompanhamento. Aproveitei e ofereci-me para levar uma salada, que por sinal foi do agrado de todos, e ajudou a derrubar barreiras.
Num destes dias surgiu um jantar improvisado cá por casa com uns amigos de que gostamos muito. Para finalizar uma refeição soberba, que acho que foi do agrado de todos, fizemos uma tarte de maçã. Dizia-me a minha amiga "não sei como tens tantas ideias, eu nem sei por onde começar". Eu partilhei o meu se…