Avançar para o conteúdo principal

Paul Hollywood

Quem gosta destas coisas de cozinha por certo conhece as reclamações das pessoas com quem coabita, "porque a TV só conhece o canal 24 Kitchen?" Certo? Cá por casa, na verdade, as três televisões parecem ter avariado no Disney Júnior, mas assim que a reguila sai de cena, imediatamente o canal muda para o preferido - 24 Kitchen!

Dos muitos programas que me prendem a atenção, há um prefiro que partilho com a minha cara metade e padeiro cá de casa - um programa sobre pão feito pelo Paul Hollywood que tem inúmeros livros sobre pão editados.

Todos os episódios são religiosamente gravados, porque a ditadora Joana nem sempre me deixa ver e assim posso revisitar um pouco mais tarde. Mas num destes dias ela chegou à sala e apanhou-me a ver o programa em que ele ensinava a fazer baguetes e a Joana pôs-se ao meu lado a ver o programa até ao fim, totalmente extasiada pelo pão que via fazer na TV.

Engraçado como uma criança de 4 anos, quando não vê desenhos animados, fica tão atenta a ver programas de culinária. Na verdade até gosta! É mesmo um amor de criatura........

Pois no final deste programa, obriguei o marido a vê-lo, porque se é ele o padeiro, é ele que tem de o ver! Claro que inventou logo a desculpa que não tinha o tabuleiro necessário para cozer e assim nasceu mais uma ida à César Castro. [Que chatice, hehehe.]

E assim que chegamos a casa, de mangas arregaçadas, nasceram as melhores baguetes que já experimentei. Realmente não há como comer o pão acabado de fazer...

E porque esta receita é mesmo soberba, é com ela que decidi participar nesta edição do "Dia um... Na cozinha" cujo tema, já se vê, é o pão.

_____________________

Baguetes

[faz 4 baguetes]


Ingredientes:

- 500 gr de farinha T65

- 1 pacote de fermipan

- 370 ml de água morna

- 1 colher sobremesa de sal

- azeite qb


Preparação:

Coloque todos os ingredientes, excepto o azeite, numa batedeira (com as varas de amassar) e amasse bem, por uns 10 minutos. Este é o tempo necessário para que a massa consiga ficar bem elástica.

Num recipiente coloque um fio de azeite e coloque a massa a levedar dentro dele coberto com película aderente por 1 hora.

Findo o tempo, unte uma bancada de trabalho e divida a massa em 4 doses. Dê a cada porção o formato de baguete e coloque no tabuleiro (usei o que vêem nas fotos, próprio para o efeito, para deixar a baguete bem crocante). Tape com película aderente e volta a levedar mais 1 hora.

Pré-aqueça o forno a 220º e coloque um tabuleiro com água para criar vapor enquanto o pão está a ser cozido. Dê dois cortes diagonais em cada baguete, polvilhe com farinha de milho e leve ao forno por 20/25 minutos, dependendo se gosta mais ou menos cozidas.

Retire do forno e deixe arrefecer bem em cima de uma rede. Estão cozidas na perfeição se lhes bater por baixo e o som for oco.

______________________

 

Comentários

  1. Ficaram lindas as tuas baguetes amiga!

    Beijinho e bom feriado!

    ResponderEliminar
  2. Ola Sonia

    que fantasticas que ficaram as tuas baguetes, uma receita bem simples que fica com uma textura excelente... vou roubar a receita!!!!

    Beijocas

    Margarida

    ResponderEliminar
  3. Que lindas!!! Vê-se que têm uma crosta estaladiça,mas que o interior é macio e fofo. Estão perfeitas e parecem de compra.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  4. Também vi um episódio desses em que as baguetes eram o tema (o mesmo que tu, certamente) e adorei, fiquei completamente a babar em frente à Tv ;) hehe E cheia de vontade de ir para a cozinhar produzir umas iguais...mas ainda não foi desta ;) Ainda bem que te decidiste a sério a fazê-lo porque ficaram um espetáculo :)
    Beijinhos e bom feriado *
    Vânia

    ResponderEliminar
  5. Lindas! Ficaram como devem ser: macias por dentro, leves e estaladiças por fora.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Que aspecto excelente! Apetece mesmo ir a correr buscar a manteiga :)

    Beijinhos, Paula
    http://cookit-simple.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  7. Ficaram uma perfeição, essas baguettes! Devem ser uma delícia!, Não sabia que requeriam formas próprias...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Que aspecto delicioso Sónia! Devem ser muito saborosas mesmo!

    ResponderEliminar
  9. Deve-se evitar as idas à César Castro até mesmo online:) tem coisas realmente de perder a cabeça, estou à espera de uma tarteira rectangular de lá.
    Também adoro o Paul e tenho apenas um livro dele.
    Ficaram lindas, simples mas deliciosas.

    beijos

    ResponderEliminar
  10. Estas baguetes têm um aspecto maravilhoso! Leve e e com interior fofo!
    Não sabia que havia formas para as ditas! Obrigada pela partilha!
    beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  11. Um pão delicioso, quentinho com manteiga, até nos esquecemos, e não paramos de nos deliciar-mos.

    Bjs.
    Paula

    ResponderEliminar
  12. Ola,
    Parabens pela tua participação, ficaram umas baguetes deliciosas.
    Bjinho

    Katia
    http://entretachosebimby.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. Ficaram mesmo boas! Já experimentei a receita,mas a massa ficou demasiado fluída...e o formato não ficou como eu queria...Mas as tuas ficaram lindas!
    Parabéns, Sónia!
    Beijinho

    Sílvia
    http://bocadinhosdeacucar.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Aiiiii Sónia.. que maravilha de baguetes... estou a babar.. :)
    beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  15. Olá Sónia,
    que lindas baguetes, perfeitinhas e a pediram para virem para a minha mesa :)
    Adorei e vou ficar com esta receita :)
    Bjns
    Isabel

    ResponderEliminar
  16. Gosto bastante de baguetes, e estas tem um aspecto bem crocante, e não conhecia este tabuleiro para baguetes.
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Olá Sónia!
    Finalmente consegui vir espreitar as tuas baguetes! Que o Paul Hollywood é uma inspiração ninguém duvida. Se há alguém que percebe de pão é ele. Eu adoro pão e adoro o programa, fico com vontade de fazer quase tudo. ;)
    Olha, nunca fiz baguetes, mas é um pão que adoro, pela sua versatilidade. Dá para sandes, bruschettas, para tostar, sei lá, gosto muito. E depois de ver as tuas, que ficaram com uma cor linda, fiquei ainda com mais vontade de experimentar. Talvez um destes dias...
    Desconhecia que existia um tabuleiro para baguetes, as coisas boas que aprendemos por aqui. E sim, a Cesar Castro é uma perdiçao, adoro. ;)
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  18. Adoro baguetes! :) Estas estão com um aspeto delicioso ;)
    Uma receita a experimentar, o tabuleiro das baguetes é uma excelente ideia.
    Bjs
    Margarida

    ResponderEliminar
  19. Eu adoro o Paul Hollywood e estas tuas baguettes são mesmo magníficas!!
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
  20. Onde encontro esse tabuleiro para baguetes? Tem um nome específico?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá ATorres. Conheço-os por tabuleiros de baguetes e podem ser adquiridos na loja César Castro em Lisboa e Porto. Também pode ser adquirido online mas não sei como funciona o envio :-(. Espero ter ajudado. Um beijinho e obrigado pela visita

      Eliminar
  21. Olá. que lindas baguetes. Um bom ano.
    Pode dizer-me o preço desses tabuleiros, por favor?
    Obrigada
    http://bimbexpress.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ola suspiro! Na
      Pagina custa 8,60. http://www.cesar-castro.pt/Catalogos/FichaArtigo.aspx?ID=119E824804

      Eliminar
  22. Alguém sabe onde posso comprar um tabuleiro de baguete?
    quero muito um :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lena pode comprar na César Castro n referência que está no comentário em cIma. Tb pode encontrar nAs lojas casa

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Tarte de maçã

Quando percebemos que este é o tipo de alimentação em que nos revemos uma das preocupações surgiu com as visitas para jantar. O que servir? 
Na verdade os amigos já mostram curiosidade assim que percebem que mudamos a forma de comer, embora achem que é uma moda passageira. Ainda assim, quando nos convidaram a primeira vez para almoçar ficaram apreensivos e ligaram a perguntar o que nos podiam servir ao almoço. Estavam verdadeiramente preocupados...
Claro que lhes explicamos que podiam fazer uma carne ou um peixe porque a única coisa que mudava era o acompanhamento. Aproveitei e ofereci-me para levar uma salada, que por sinal foi do agrado de todos, e ajudou a derrubar barreiras.
Num destes dias surgiu um jantar improvisado cá por casa com uns amigos de que gostamos muito. Para finalizar uma refeição soberba, que acho que foi do agrado de todos, fizemos uma tarte de maçã. Dizia-me a minha amiga "não sei como tens tantas ideias, eu nem sei por onde começar". Eu partilhei o meu se…