Avançar para o conteúdo principal

Pasteis de maçã

Tenho recebido todas as semanas maçãs rainetas do Prove. Adoro-as, são pequenas e suculentas. Mas por mais que goste de as comer assadas, todas as semanas acaba por enjoar.

Assim, esta semana apeteceu-me fazer algo diferente e lembrei-me de fazer uns pasteis. De uma assentada usava as maçãs e a massa Buitoni que estava perto de chegar à data de validade.

Ficaram muito além do esperado. A massa bastante estaladiça, o recheio com o travo ácido da maçã, os bocados de noz e amêndoa que se vão encontrando a cada dentada, hummmm. Perfeitos estes pasteis e na verdade muito fáceis de fazer!

Se quiser pode congelar o recheio e usar mais tarde. Uma maravilha!

________________________

Pasteis de maçã reineta

[fez 32]


Ingredientes:

- 2 embalagens de massa fina Buitoni

- 750 gr de maçãs reinetas

- 300 gr de açúcar

- 40 gr de água

- 70 gr de amêndoa

- 70 gr de nozes

- raspa de 1limão

- 1 colher de chá de canela

- 1 gema de ovo


Preparação:

Descongele a massa à temperatura ambiente.

Descasque e descaroce as maçãs e corte em pedaços pequenos. Leve ao lume, muito brando, deixando-a cozer muito lentamente. Não necessita de líquido mas vá estando atento para evitar que queime o fundo.

Depois de cozida, esmague grosseiramente com um garfo. No meu caso rendeu 350 gr de puré de maçã e as medidas de açúcar e de água foram definidas a partir desse peso. Se obter mais ou menos quantidade de puré, faça uma regra três simples para os restantes ingredientes.

Num robot de cozinha pique a amêndoa e a noz (usei a Bimby 3 segundos, velocidade 5) e junte à maçã reservada. Junte a canela e a raspa de limão.

Num tacho coloque o açúcar e a água e deixe ferver até obter um ponto de fio leve (4 minutos, mais ou menos, a ferver). Não mexa a calda, caso contrário, o açúcar vai solidificar.

Nesse momento junte à calda a mistura de maçã e frutos secos e mexa bem. Deixe cozinhar mais uns 5 minutos para o creme secar bem, já que a maçã tem humidade. Deixe arrefecer.

Pré-aqueça o forno a 200º.

Usei massa Buitoni porque é muito prática e fantástica em termos de resultados finais. A massa vem já cortada em círculos, separados por quadrados de papel vegetal. O que facilita, e muito, esta receita. Pode encontrar esta massa junto à área de congelados dos supermercados, junto às pizzas e comida pré-confeccionada.

Pegue em cada quadrado com um circulo de massa, com o dedo molhado em água passe por todo o rebordo, para facilitar a união da massa. Coloque duas colheres de chá de recheio no centro e faça uma das partes do circulo unir à outra, utilizando o próprio quadrado de papel vegetal para facilitar. Termine o pastel calcando com um garfo ao longo de todo o redobro.

Coloque cada um dos pasteis num tabuleiro de forno e pincele com gema de ovo.

Leve ao forno por 12 minutos. Retire, deixe arrefecer um pouco e termine com um pouco de açúcar em pó por cima.

_____________________

 

Comentários

  1. Ficaram tão lindos, Sónia! Gosto muito de usar a maçã reineta nas receitas, pois tem um sabor agridoce que quando cozinhado é delicioso. Usu muito no Strudel de maçã.
    Esses pastelinhos devem ser uma delicia, e o que me agrada mesmo é a sua simplicidade.
    Beijinho e bom Domingo.;)

    ResponderEliminar
  2. Adoro sobremesas com maçãs... e se levarem massa melhor ainda: strudel, pastéis, tartes... não importa :)
    Esses ficaram mesmo com um aspeto divinal, já estou com água na boca :)
    Beijinhos e resto de bom domingo,

    Vânia

    ResponderEliminar
  3. E que bela ideia! Ficaram lindos esses pasteis!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Uma verdadeira maravilha estes pastéis. Ficaram lindos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Que bonitos ficaram, e são bem fáceis de preparar!

    ResponderEliminar
  6. Estão lindos, super perfeitinhos e tão apetitosos!!!
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
  7. Excelente sugestão!

    ______________________
    Ana Teles | Telita
    blog: Telita na Cozinha

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…