Avançar para o conteúdo principal

Um bolo caseiro

Há livros porque me apaixono só pela capa. Este foi assim. Comprei-o porque achei a capa divinal e até hoje, são muitas as receitas que adapto, algumas delas até já partilhei por aqui.

Esta é mais uma dessas receitas fantásticas que vi no livro “Doce Equilíbrio”. Ou melhor, a ideia está lá, os ingredientes são quase os mesmos, os passos idênticos, mas como é óbvio, cozinhar é como contar uma história – “quem conta um conto acrescenta-lhe um ponto”. Ainda assim, gosto de referenciar sempre a base que aguçou a vontade, que me inspirou.

Talvez seja uma questão de feitio, de educação, mas fica sempre bem. Gosto de dar os mérito devidos a quem de direito. Nos tempos que correm, a crise de valores é imensa e até já eu fui alvo de plágio descarado, por uma revista!!!! Receita por receita, palavra por palavra, incluída numa revista que vendeu exemplares à minha custa e de outros tantos plagiados nessa edição.

Sim, as receitas que publico, como já li e ouvi diversas vezes, a partir do momento em que estão na net deixam de ser minhas. É o preço que pago por ter prazer em partilhar, em oferecer esse pedaço de mim. Antes passavam-se receitas de boca em boca, hoje vêm-se diversas versões da mesma receita em diversos blogs e sites e livros. Faz parte… Ainda assim, recuso-me a pertencer a este ciclo… Paciência… Irei continuar a partilhar as fontes de inspiração.

Não me importo mesmo nada que pensem que não tenho receitas originais. Não há nenhum prémio que ambicione ganhar, ou fazer vida com este meu alter-ego. Tenho prazer em partilhar, considero o blog o meu livro de receitas e alimento-me dos comentários bons que chegam até mim, das receitas que me vão dizendo que experimentaram e adoraram. É isso que me faz feliz.

Àqueles que se inspirem em mim (e será sempre uma honra), resta-me esperar que tenham o bom senso de dizerem que se inspiraram em mim. É feio, de mau tom, publicarem uma receita de outrem, letra por letra e alterarem 1 grama num dos ingredientes e fazerem dela uma nova receita, da vossa autoria.

Assim, não tenham vergonha de me mencionarem, sim? Não que me encha o ego, mas por ser um caso sério de boa educação.

____________________

Bolo de maçã com azeite e cerveja


Ingredientes:

- 420 gr de maçã reineta (peso sem caroço e casca)*

- 1 pitada de canela

- raspa de meio limão

- 2 ovos + 2 claras

- 10 gr de azeite

- 90 gr de cerveja sagres boémia (podem usar outra)

- 90 gr de açúcar amarelo

- 120 gr de farinha de arroz

- 70 gr de farinha para bolos

- 1 colher de chá de fermento em pó


* se utilizarem outro tipo de maçã, ficará menos ácido e mais doce.


Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º.

Corte a maçã em pedaços médios. Junte a raspa de limão e uma pitada de canela e salteie a maçã ligeiramente numa frigideira antiaderente.

Bata as gemas com o açúcar até obter um creme fofo. Bata as claras em castelo firme e reserve.

Junte à gemada o azeite e a cerveja e misture bem. Junte as farinhas misturadas com o fermento (peneiradas) alternadas com as claras batidas em castelo.

Forre uma forma com manteiga e polvilhe com farinha e verta a massa. Para finalizar, distribua a maçã reservada por cima e polvilhe com um pouco de açúcar amarelo.

Leve a forno por 40 minutos. Depois de desenformar e arrefecer finalize com um pouco de açúcar em pó.


Nota: Este bolo foi feito na forma para regueifas da Metalúrgica, mas podem utilizar uma forma sem buraco.

_________________________

 

Comentários

  1. ora nem mais! e há por aí tanta gente que já deveria ter aprendido isso e que, por mais que os anos passem, continua a fazer-se de inocente. custa muito citar a fonte? ninguém disse que inventou a roda, mas pelamordedeus, neste mundo que é uma aldeia, tudo se sabe, não é?
    nunca experimentei bolo com cerveja, gostei muito da receita e da combinação de sabores!
    bom fim de semana! bjs

    ResponderEliminar
  2. Boa noite Sonia.
    Aqui está uma receita genial
    Nunca experimentei utilizar cerveja num bolo, aqui está uma boa altura, mas descansa se um dia eu tiver a vontade de o fazer e partilhar no meu blog não tenhas duvida que não me esqueço de mencionar a autora da magnifica receita.
    Beijocas doces.

    ResponderEliminar
  3. Concordo na integra com estas palavras! Era tão bom que todos pensassem assim :)
    Já provei bolo com cerveja e gostei muito do resultado... este com a maçã e a farinha de arroz deve ser delicioso, com uma consistência especial!

    ResponderEliminar
  4. Assino por baixo :) há muitas questões que são basicamente boa educação, e nota-se a sua falta cada vez mais por todo o lado :(
    Na minha adolescência houve uma altura que estava sempre a fazer bolo de cerveja, com umas quantidades nada saudáveis de manteiga. Adorei muito esta versão, maçã fica sempre maravilhosa em bolos e os restantes ingredientes fazem um bolo muito mais equilibrado.
    Beijinhos e bom domingo

    ResponderEliminar
  5. Este bolinho ficou com aspecto fantástico. Adoro maçã nos doces, dá a leveza de textura e de sabor que tanto adoro.
    Beijinho
    Sónia
    http://cozinhadasalexandra3.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Muito bem dito!! Bela dica! :) Gostei da sugestão!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Tarte de maçã

Quando percebemos que este é o tipo de alimentação em que nos revemos uma das preocupações surgiu com as visitas para jantar. O que servir? 
Na verdade os amigos já mostram curiosidade assim que percebem que mudamos a forma de comer, embora achem que é uma moda passageira. Ainda assim, quando nos convidaram a primeira vez para almoçar ficaram apreensivos e ligaram a perguntar o que nos podiam servir ao almoço. Estavam verdadeiramente preocupados...
Claro que lhes explicamos que podiam fazer uma carne ou um peixe porque a única coisa que mudava era o acompanhamento. Aproveitei e ofereci-me para levar uma salada, que por sinal foi do agrado de todos, e ajudou a derrubar barreiras.
Num destes dias surgiu um jantar improvisado cá por casa com uns amigos de que gostamos muito. Para finalizar uma refeição soberba, que acho que foi do agrado de todos, fizemos uma tarte de maçã. Dizia-me a minha amiga "não sei como tens tantas ideias, eu nem sei por onde começar". Eu partilhei o meu se…