Avançar para o conteúdo principal

Jamie Oliver

O Mário comprou-me o livro do Jamie Oliver, “Poupe com Jamie” para me oferecer no Natal. O livro foi comprado com um mês de antecedência e foi colocado no escritório para me torturar, já que eu sabia que estava lá. Não estava embrulhado, passava por ele todos os dias, mas estava proibida de o desfolhar. Então, restava-me abraçá-lo e assim o fiz, muitas vezes, às escondidas. Uma verdadeira tortura que me fez devorá-lo no exato momento em que finalmente o desembrulhei! Acho que conheço de cor cada uma das receitas deste livro… Mas há uma em especial que me ecoou na memórias alguns dias até que resolvi fazer.

Esta é daquelas receitas que não pode morrer sem experimentar!!! Especialmente se abre mão facilmente de carne e de peixe. Especialmente se gosta de massas.

Parece extensa, complexa, mas na verdade só é se resolver, tal como eu, fazer tudo de raiz. Também só o fiz porque tinha tempo, tenho a certeza que farei muitos atalhos quando o tempo escassear e me apetecer MESMO voltar a comer esta delícia. Não me parece que seja por aí que deixe de ser a pequena grande maravilha que é. Adoro!!! Aprovadíssima cá por casa! Claro está, que fiz as devidas adaptações aos gostos cá de casa. Mas a ideia está lá! Experimentem! No mínimo todos ficarão curiosos com o aspeto final!

_____________________

[uma espécie de] Canelones em pé de abóbora, espinafres e ricota

[serve 3 pessoas]


Ingredientes:


Para a massa fresca (pode substituir por massa fresca de compra):

- 2 ovos L

- 200 gr de farinha T65

- uma pitada de sal fino


Para o molho de tomate:

- 1 cebola pequena

- 3 dentes de alho

- azeite qb

- uma lata de tomate em pedaços (400 gr)

- metade da lata com água

- metade da lata com vinho branco

- sal a gosto

- orégãos a gosto

- açúcar a gosto


Para o recheio:

- 1 embalagem de ricota

- 1,200 kg de abóbora

- 500 gr de espinafres

- 2 dentes de alho

- Sal e pimenta qb

- Orégãos qb

- Azeite qb

- Parmesão qb


Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º. Num tabuleiro de forno forrado com papel de alumínio, distribua a abóbora cortada em pedaços médios e tempere com um pouco de sal e orégãos. Quando a abóbora estiver tenra (deve demorar cerca de 1 hora e 15 minutos) retire, esmague grosseiramente com um garfo e deixe arrefecer.

Misture os ingredientes da massa e amasse bem para libertar o amido (se usar a Bimby, programe 2 minutos, velocidade espiga). Deixe repousar 15 minutos. Findo o tempo tenda com um rolo da massa e corte retângulos com 15X20 cm (+ ou -). Coza cada porção de massa por 30 segundos numa panela com água a ferver temperada de sal. E seque num pano de algodão que não liberte pelos. Reserve.

Salteie os espinafres em alho picado com um fio de azeite até que murchem. Escorra o máximo de liquido que conseguir e deixe arrefecer.

Numa frigideira antiaderente com 28 cm de diâmetro (+ ou -) coloque a cebola e o alho picadinhos. Adicione um fio de azeite e aloure. Junte o tomate, a água e o vinho branco e deixe cozinhar uns 10 minutinhos. Tempere de sal, pimenta, orégãos e açúcar (para equilibrar a acidez do tomate).

Comece a fazer os canelones. Em cada retângulo de massa primeiro coloque um pouco de puré de abóbora. Por cima um pouco de espinafres e termine com umas colheradas de ricota. Enrole no sentido do comprimento e corte da largura de dois dedos, mais ou menos.

Repita esta operação até esgotar os ingredientes.

Assim que terminar de fazer todos os rolos, coloque cada um desses rolos voltados para cima dentro da frigideira do molho de tomate. Em termos de aspeto vai ficar parecido com um favo de mel.

Para terminar polvilhe com queijo parmesão ralado e leve ao forno tapado com papel de alumínio por 15 minutos. Findo o tempo, retire o papel de alumínio e deixe cozinhar mais 20 minutos.

Sirva quente.

_____________________

 

Comentários

  1. Pode dar um pouco de trabalho mas acho que vale a pena.
    Ficou lindo e com aspecto delicioso
    Eu que adoro massa ia adorar
    bj

    ResponderEliminar
  2. Hum deve ter ficado uma delicia.

    Que tortura, ter o livro e não poder desfrutar dele. Agora ainda sabe melhor.
    Beijinho

    Paula

    ResponderEliminar
  3. Gostei imenso desta receita, maravilhosa.
    Bjs, Susana

    ResponderEliminar
  4. Tenho que confessar que não gosto do J Oliver. Porque não tenho televisão em casa, não sou nada sensível aos supostos charmes do homem, e quando folheio livros de receitas dele nunca me parecem apetecíveis. Exceto esta. Já tinha visto estes rolinhos noutro blogue (se não era exatamente a mesma receita era parecida) e até hoje foi a única receita do J O que realmente me apeteceu experimentar! :-)

    ResponderEliminar
  5. Ai que maldade essa de te deixar o livro à frente e não lhe poderes tocar!!
    Esse rotolo do Jamie, também foi a primeira receita que marquei para fazer do livro, mas ainda não a fiz e sei que quando a fizer, também será com a minha massa fresca!
    Ficou super apetitoso!
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
  6. Também tenho esse livro do Jamie, mas na versão inglesa :)
    Também fiquei de olho nesta receita, o aspecto é maravilhoso! Massa fresca nunca fiz, acho uma grande aventura para mim :)

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  7. que maravilha!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. MUITO BOM!
    fiz sem cortar como canelone mesmo e ficou uma delicia!
    demanda tempo, mas o resultado é sensacional!
    Obrigado

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…