Avançar para o conteúdo principal

Entradas!

Apesar de ter uma enorme paixão pela cozinha, apesar de gostar de experimentar coisas novas, apesar de ter um vasto número de livros, blogs e sites onde me inspiro, quando mais preciso nem sempre as ideias fluem à velocidade desejável. Pode-se dizer que tenho crises de desinspiração. Sim é verdade!

Quando a Lúcia do Barriguinhas me convidou para participar com ela num Workshop perguntou-me se queria fazer uma entrada salgada ou se preferia fazer um doce. Na altura disse, sem hesitar, que preferia uma entrada salgada. Adoro petiscar! Sim, também sou gulosa, mas é mais desafiante para mim pensar numa entrada salgada do que propriamente em sobremesas…

Quando duas semanas depois do convite ainda estava sem ideias nenhumas do que fazer, o pânico começou a instalar-se… Só me ocorriam clichês, entradas mais que vistas, nada que me identificasse como cozinheira, como blogger.

Depois do Natal, sentei-me um bocadinho sozinha a pensar no assunto e sabia que tinha de dar uma resposta definitivamente à Lúcia. Ao fim de um brainstorm pouco produtivo lá me decidi por duas entradas: ESTA e ESTA. Se não conseguia pensar em algo novo para fazer, tinha de utilizar o que tinha. E depois pensei que só tinha de olhar para o blog, o meu livro de receitas, e escolher de tudo, o que mais gostava de comer. Demorou 5 minutos. Sentia-me uma mulher nova, mais leve, sem a pressão de decidir o que fazer. Não queria deixar mal a Lúcia ou as pessoas que tinham despendido dinheiro para fazer aquele workshop.

Escolhida a entrada, claro está que nos dias seguintes, a inspiração voltou… E acho que ainda hoje, a escrever este texto, me ocorrem um sem número de entradas que gostaria de fazer naquele dia… E que dariam uma ótima entrada para o workshop

E foi num desses picos de inspiração que esta receita nasceu… E que tem feito as delicias de todos que provam esta verdadeira provação. Porque se em termos de sabor são algo do outro mundo, na verdade a tortura que é esperar que estejam prontos desafia todos os limites do razoável… Que cheirinho pela casa.

Não há desculpas para não experimentar algo assim – é barato, tem quatro ingredientes, é rápido e é do outro mundo…. Experimentem e contem-me.

_______________________

Asas de frango no forno


Ingredientes:

- 10 asas de frango (parte de baixo da asas)

- 5 colheres de sopa generosas de queijo parmesão ralado

- 2 colheres de sopa de orégãos secos

- sal, alho em pó e azeite qb


Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º. Tempere as asas com um pouco de sal, alho em pó e um fio de azeite só para ajudar os temperos a colar nas asas.

Num prato, coloque o queijo misturado com os orégãos. Misture e passe cada uma das asas nesta mistura. Disponha as asas num tabuleiro de forno forrado com um tapete de silicone (experimentei com papel vegetal mas cola um bocadinho durante o processo de caramelização). Leve ao forno por 15 minutos e findo o tempo volte as asas. Deixe ficar mais 15 a 20 minutos e sirva. Hummmmm…


Nota: são quantidades referenciais que devem ser aumentadas ou diminuídas em função do numero de asas que vai fazer.

_______________________

 

Comentários

  1. Eu prefiro também petiscos salgados...

    Tenho a dizer que adorei estas asinhas, e com queijo melhor ainda!

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Eu também adoro salgados e estas asinhas, sim, devem ser do outro mundo mesmo!!
    Beijinhos grandes,
    Lia.

    ResponderEliminar
  3. Como adoro petiscos... E asinhas de frango então...
    Nao fazer ideia quantas receitas diferentes ja fiz...
    Tão boas devem estar estas.
    Beijinhos
    http://come-bebe-sorri-e-ama.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Normalmente é sempre assim, quando queremos não ocorre nada, e só depois é que a inspiração vem. mas devo dizer que qualquer uma das receitas escolhidas me parece deliciosa. quanto ás asinhas têm um aspecto divinal!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Sabes Sónia? Cada vez me sinto mais mulher de petiscos e de petiscar.
    Será da idade ? Sei que vamos mudando os nossas preferências alimentares à medida que o tempo passa por nós. Mas estou a adorar este meu novo estado de alma :)
    Obrigada por mais esta deliciosa partilha.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  6. É sempre assim, deve ser da ansiedade mas, eu gostei muitos dos pastéis que fiz e comi :)
    Bom fim de semana
    Bjs, Susana
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/
    https://www.facebook.com/Tertuliadasusy

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…