Avançar para o conteúdo principal

Apetece-me algo

sítios que conseguem despontar o melhor de nós, o que de mais genuíno temos, a simplicidade... Há sítios descomplicados, onde a parafernália da grande cidade fica à porta e onde somos obrigados a reinventar, a fazer como as nossas avós.

Assim é no sitio que me habituei a chamar a minha terra. O sitio pelo qual trocava tudo. O sitio onde respiro, onde só tenho 4 canais de televisão, onde a minha filha ganha cores e come melhor, onde sou feliz. O sitio onde a senhora do peixe me reconhece, porque visita o meu blog, o sitio onde a fruta sabe a fruta, o peixe cheira a mar e a carne não nasce nas paletes do supermercado.

Um sitio onde um perfeito desconhecido me oferece doce, legumes da horta e ovos. Um sitio onde compro framboesas ao produtor, acabadas de colher...

Não tivesse eu uma criatura pequena e a responsabilidade de lhe dar todas as oportunidades do mundo, e trocava Lisboa por esta vida. De caras! Mas isso sou eu, que já conheci mundo... E que por isso tenho já a certeza de onde me sinto bem. Mas que hipóteses teria uma criança aqui? Que futuro, que portas, que opções seriam vedadas? Seria justo? Talvez não... E por isso, venho para aqui sempre que posso ou preciso em busca do que deixo sempre aqui quando regresso a Lisboa - a minha paz...

Tudo isto para vos contar que hoje me apeteceu um doce... Em Milfontes, sem os meus livros de culinária e o acesso 24 horas à internet, sem a minha Bimby, sem os ingredientes que tenho na minha despensa de Lisboa...

Tinha limões e ovos que me deram, suspiros perdidos que tinha de compra, framboesas compradas hoje perto da Zambujeira do Mar, directamente ao produtor e iogurtes gregos...

Não precisei de mais para fazer uma sobremesa rapidíssima e para lá de fantástica. A ode à simplicidade rural, comida à lareira, numa noite de outono em família. Sou feliz...

_______________________

Taças de iogurte grego, framboesas e creme de limão

[faz 4 taças]


Ingredientes:


Para o creme de limão:

- 5 gemas M

- 180 gr de açúcar

- raspa de 1 limão

- 100 gr de sumo de limão (3 limões pequenos)

- 80 gr de manteiga


Para montar as taças:

- 1 caixa pequena de framboesas (150 gr)

- 8 suspiros

- 2 iogurtes gregos

- 2 colheres de chá de mel


Preparação:

Num tacho junte as gemas (passadas num passador de rede), o açúcar e o sumo de limão e leve ao lume em lume brando, mexendo sempre com uma vara de arames. Junte a manteiga em pedaços pequenos e a raspa de limão e deixe engrossar. Não deixe levantar fervura. Como não gastei tudo na sobremesa, coloquei o restante creme num frasco esterilizado no frigorifico (aguenta 2 semanas).

Misture bem o iogurte grego com o mel e distribua pelas tacinhas. Coloque dois suspiros partidos grosseiramente em cada taça por cima do iogurte e as framboesas bem lavadas e secas. Termine com colheradas de creme de limão e um pouco de suspiro desfeito.

Delicie-se...

_____________________

 

Comentários

  1. É fantástico ter um local assim, onde se pode voltar e encontrar paz.
    A sobremesa ficou fantástica e com um ar bastante apetitoso!

    ______________________
    Ana Teles | blog: Telita na Cozinha

    ResponderEliminar
  2. As coisa boas da vida são mesmo assim, simples e boas :) Adorei a sugestão!

    _____________________
    aculpaedasbolachas.com

    ResponderEliminar
  3. Também nasci e fui criado numa pequena aldeia, muito longe do reboliço da cidade. Mas tal como tu, as circunstâncias da vida truxeram-me para aqui! E de cada vez que visito a "terrinha", é uma lufada de ar fresco, um carregar de baterias que não tem explicação.
    Esta sobremesa ficou fantástica, ou não fosse quase toda ela feita com produtos frescos e caseiros. Uma pequena maravilha, adorei. ;)
    Beijinho e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. É tão bom regressar às "raízes" ;) E saiu uma bela sobremesa do que tinhas em casa. Não é preciso muito para se fazerem coisas boas, basta ter alguma imaginação. beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que delícia!
    tenho sorte de continuar a morar numa aldeia mas infelizmente por aqui não há framboesas - eu pelo menos desconheço:)

    Boa semana!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Hmm, que delícia!!! Ficou uma bela sobremesa, muito elegante, e muuuito deliciosa, sem dúvida! Vale a pena experimentar! Parabéns! ;))

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…