Avançar para o conteúdo principal

Farinha de grão

Ser blogger de culinária, para mim, vai muito além do simples ato de publicar receitas, partilhar conhecimentos. Para mim, tem sido um processo de autoconhecimento, de crescimento e aprendizagem e também de algum contágio. A sensação de mudarmos positivamente a vida e os hábitos dos outros é simplesmente única… Assim como a sensação de estarmos mais ricos a cada dia que passa, a cada nova receita, a cada nova técnica, a cada novo ingrediente… Assim é na culinária, assim é quando transpomos para a nossa vida. E se na vida me considero uma constante insatisfeita e curiosa, neste meu alter-ego também o sou… Claro que é uma característica acre e doce. Que me transporta diariamente numa montanha russa de sentimentos bons e maus.

Bom. Isto para dizer que visito periodicamente (em tempos de forma mais assídua) mais de 200 blogs de cozinha… É um processo que me dá gozo e inspiração, mas também alguma frustração por não conseguir comentar tudo o que gosto, tudo o que leio e vejo.

Numa dessas visitas gostei de umas tartes que vi no ‘Cinco Quartos de Laranja’. Apesar da farinha de grão não ser um ingrediente estranho cá por casa, nunca tinha utilizado em bases de tartes e resolvi experimentar. Gostei muito do resultado final. Em termos de sabor e textura ficou ótima. Claro está que fui buscar o ingrediente base, mas depois apliquei-o a uma quiche.

Mais um dia, mais uma coisa nova experimentada, mais um resultado aprovadíssimo, mais uma receita nova lançada neste universo blogger. É esta a magia… A Isabel deu o mote, eu agarrei e transformei e sei que alguém virá depois e irá fazer o mesmo. Um ciclo que não se esgota. Sempre a aprender.

________________________

Quiche em base de farinha de grão


Ingredientes:


Para a massa:

- 150 gr de grão (ou farinha de grão)

- 50 gr de farinha integral

- 100 gr de farinha T55

- 55 gr de Becel Líquida

- 45 gr de azeite

- 70 gr de água fria

- 2 colheres de sopa de cebolinho picado

- 2 colheres de sopa de manjericão picado


Para o recheio:

- 1 alho francês (60 gr)

- 70 gr de ervilhas congeladas

- 80 gr de milho de lata

- 6 cogumelos paris

- 1 colher de sopa de cebolinho picado

- 75 gr de pimento vermelho (1/2 pimento)

- 20 gr de agrião

- 1 colher de chá de tomilho em pó

- 4 ovos

- 1 iogurte natural

- 100 gr de natas de soja

- 80 gr de mozarela

- azeite qb

- sal e pimenta qb


Preparação:

Comece pela base. Coloque o grão no copo da Bimby e programe 30 segundos, velocidade 10. Junte os restantes ingredientes da massa e programe 15 segundos, velocidade 6. Retire e faça uma bola. Com os dedos vá pressionando e estendendo a massa numa forma de tarte de fundo amovível, até cobrir por completo. Em alternativa, coloque a massa envolvida em pelicula aderente, uns 15 minutos no frigorífico. Findo o tempo, tenda com um rolo da massa e forre uma forma de tarte de fundo amovível. Deixe a massa descansar 10 minutos no frigorífico enquanto aquece o forno – 180º.

Sem lavar o copo da Bimby, coloque o alho francês cortado às rodelas e um fio de azeite e programe 4 minutos, varoma, velocidade 1. Findo o tempo, junte as ervilhas congeladas, o milho e os cogumelos fatiados e programe mais 4 minutos, varoma, colher inversa. Findo o tempo, junte o cebolinho e os agriões que vão acabar por cozer com o calor dos restantes legumes. Reserve e deixe arrefecer.

Entretanto coloque a base no forno (picada com um garfo) a cozer por 20 minutos.

Findo o tempo, espalhe os legumes por cima. Corte o pimento em rodelas (corte no sentido da largura). Coloque no copo (não precisa de lavar) os ovos, o iogurte, as natas, o tomilho seco e um pouco de sal e pimenta e programe 15 segundos, velocidade 5. Espalhe por cima dos legumes e finalize com duas mãos cheias de queijo mozarela e as rodelas de pimento vermelho.

Leve ao forno, à mesma temperatura, cerca de 25 minutos ou até estar cozinhado.


Alternativa de Preparação:

Comece pela base. Misture os ingredientes secos e vá adicionando os líquidos aos poucos até que consiga obter uma massa maleável que não cole aos dedos. Faça uma bola. Com os dedos vá pressionando e estendendo a massa numa forma de tarte de fundo amovível, até cobrir por completo. Em alternativa, coloque a massa envolvida em pelicula aderente, uns 15 minutos no frigorífico. Findo o tempo, tenda com um rolo da massa e forre uma forma de tarte de fundo amovível. Deixe a massa descansar 10 minutos no frigorífico enquanto aquece o forno – 180º.

Num tacho, refogue o alho francês, cortado às rodelas, com um fio de azeite. Junte as ervilhas congeladas, o milho e os cogumelos fatiados e deixe cozinhar uns minutos em lume brando, até perceber que os legumes reduziram um pouco (cerca de 7 minutos). Desligue o lume e junte o cebolinho e os agriões que vão acabar por cozer com o calor dos restantes legumes. Reserve e deixe arrefecer.

Entretanto coloque a base no forno (picada com um garfo) a cozer por 20 minutos.

Findo o tempo, espalhe os legumes por cima. Corte o pimento em rodelas (corte no sentido da largura).

Bata bem os ovos, o iogurte, as natas, o tomilho seco e um pouco de sal e pimenta até obter uma mistura bem homogénea. Espalhe por cima dos legumes e finalize com duas mãos cheias de queijo mozarela e as rodelas de pimento vermelho.

Leve ao forno, à mesma temperatura, cerca de 25 minutos ou até estar cozinhado.

_______________________

Receita baseada na de tartelettes de farinha de grão com alho francês e cogumelos do 'Cinco quartos de Laranja'.

________________________

 

Comentários

  1. Essa tarte tem um aspecto delicioso, e com a farinha de grão na base deve ficar bem saudável e deliciosa!
    Beijinhos e um bom dia :)

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito desta alternativa mais saudável com a farinha de grão! Hei-de experimentar!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Sempre a aprender mesmo e a quiche está linda, a massa apenas me parece mais escura que o habitual (acho que é normal do grão), de resto a textura parece-me mesmo muito muito boa! :)

    **
    Aida

    ResponderEliminar
  4. Realmente a culinária, da cozinha e do cozinhar é um mundo e adoro acompanhar os food bloggers. É uma descoberta incrível, a aprendizagem é contínua e muito gratificante.
    Esta que acabo de fazer de utilizar farinha de grão para a base é super interessante.

    ResponderEliminar
  5. Neste mundo de blogs estamos sempre aprender
    Não conhecia esta farinha e achei bem interessante.
    Essa quiche ficou uma delicia,
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Olá! Nunca usei farinha de grão em bases de tartes, mas de facto parece uma boa ideia... lá vou ter de experimentar!! E assim se transmite conhecimento!! ;)
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. oi linda também penso como vc do blog e a amei sua receita esta linda comeria bons pedaços agora bjão

    ResponderEliminar
  8. Nunca experimentei farinha de grão, mas vou experimentar! Fiquei muito curiosa! :D

    Beijinhos e tem um bom resto de dia! :D

    ResponderEliminar
  9. Eu adoro grão e uma vez encontrei por aqui a farinha! Mas não a trouxe, porque nao me ocorria onde poderia usar! Mas agora está visto!!
    E imagino mesmo o saborzinho a grao a contrastar com o recheio!! Aiii que nem quero pensar!! Ou melhor ja estou a ver essa massa numa quiche de bacalhau!!
    :)) Como tu dizes, uma dá o mote, e o mundo gira!! Um beijinho grande.

    ResponderEliminar
  10. Ora nem mais, também vi essa receita da Isabel, e mesmo sem ter tempo para poder comentar tudo de tão bom que vejo por aí, ficaram-me na ideia as tartes com a farinha de grão.
    A tua quiche ficou linda!
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Querida Sónia,

    a tua quiche ficou com um ar muito apetitoso.
    Obrigada pela referência.

    Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  12. Bem visto, este mundo "blogger" é imenso e tiramos ideias ótimas, é realmente vantajoso quando visitamos e tiramos proveito das visitas.

    A tarte não é o meu estilo, mas está com um aspeto divinal.

    Beijos

    ResponderEliminar
  13. Olá Sonia,

    Sempre a Aprender é o meu lema de vida, e nunca me canso de ver, de aprender e de apreender ! :)

    Gostei muito desta tua sugestão, a massa é de facto diferente mas deve ser deliciosa, hei-de sim experimentar, adoro as massas caseiras ! :)

    A quiche está com um aspecto delicioso, decerto que faria muito sucesso lá por casa ! :)

    Beijinhos

    Isabel

    ResponderEliminar
  14. Gostei muito desta quiche e do uso da farinha de grão, deve ficar delicosa.
    Kiss

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…