Avançar para o conteúdo principal

As mini ferias...

Adoro tirar férias quando os outros estão a trabalhar... Durante a semana, no inverno, fora de épocas altas ou alturas festivas. Simplesmente porque não suporto multidões, uma verdadeira fobia que me cria uma enorme ansiedade.

Na semana passada lá fui gozar umas merecidas férias em Milfontes. Claro está que não foram do tipo "barriga para o ar", quem tem filhos pequeninos sabe que isso é impossível... Mas pelo menos deu para estranhar quando no regresso me incomodou tantos carros na estrada, para além de me ter esquecido da password de acesso ao PC do trabalho. São sempre bons sinais.

E entre limpezas, montagens de móveis e muita mas mesmo muita chuva, ainda deu para descontrair na cozinha, passar tempo em família, fazer visitas e conhecer uma amiga "virtual" - a Ana Rita do blog Bem bons!

Foi também uma semana de descobertas... Vi como era a vagem do tremoço, vi uma arvore das pimentas, vi uma papoila branca pela primeira vez e descansei a vista numa imensidão de paisagens maravilhosas no litoral alentejano.

Ainda deu tempo para matar saudades dos amigos Margarida e Luís da Quinta do Chocalhinho e beber um chá com eles. Que saudades temos de lá passar uma temporada. Não conhecem? Deviam! É tipo o paraíso na terra e como já contei AQUI e AQUI têm o melhor pequeno almoço do mundo e arredores!

Já que dei um salto a Odemira, não podia deixar de comprar queijinho na Queijaria do Mira e uns chocolates na Beatriz (uma delicia!). A paragem nos chocolates rendeu cacau em pó que com certeza irá dar origem a uns docinhos aqui por estas bandas. Quando o produto é de qualidade inquestionável, o resultado final é para lá de bom!

À noite, sem TV (recomendo!) ainda deu para fazer algumas actualizações em atraso no blog, visitar as cozinhas que sigo e dormir, dormir muito... E carregar baterias para o que me espera até Julho, que como sempre, não será fácil de gerir!

Deu também para alguns momentos de bricolage! Ja viram que giro ficou o meu aparador do IKEA transformado com rede de capoeira pintada de azul? Ficou lindo!

Por fim, falta referir que ainda se apagaram as velas do meu mais que tudo, num dia que sei que ele gostou muito, apesar da falta do sol...

Tenho saudades dessa semana... De estar no campo, perto do mar... Sem carros, sem relógio, sem TV... Mas depois de conversar com a Ana Rita e depois de estar ali uma semana, jamais conseguiria viver no dia-a-dia ali... Porque há simplesmente inúmeras coisas que ainda preciso... No entanto, ainda que o meu futuro próximo tenha de ser passado por Lisboa, tenho a certeza que o meu futuro a longo prazo passará necessariamente por um retorno ao campo, ao sossego que tanto prezo.

Um excelente fim-de-semana a todos e nunca é demais referir que adoro todas as visitas que me fazem, é um prazer estar na vossa companhia há já um ano (feitos a 25 de Março) um ano em que recebi muito além do que dei, ainda que tudo o que dei só tenha sido possível com bastante sacrifício pelo meu descanso e pelo tempo útil que vou roubando à minha família e amigos que tanto me apoiam. Obrigado!

____________________

 

Comentários

  1. Umas férias bem passadas! Não há nada como sair da rotina para recuperar energias!
    TUDO DE BOM!

    ResponderEliminar
  2. eu também sinto exactamente em relação às multidões e percebe-se que nestes dias conseguiste realmente relaxar. boa semana!*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Tarte de maçã

Quando percebemos que este é o tipo de alimentação em que nos revemos uma das preocupações surgiu com as visitas para jantar. O que servir? 
Na verdade os amigos já mostram curiosidade assim que percebem que mudamos a forma de comer, embora achem que é uma moda passageira. Ainda assim, quando nos convidaram a primeira vez para almoçar ficaram apreensivos e ligaram a perguntar o que nos podiam servir ao almoço. Estavam verdadeiramente preocupados...
Claro que lhes explicamos que podiam fazer uma carne ou um peixe porque a única coisa que mudava era o acompanhamento. Aproveitei e ofereci-me para levar uma salada, que por sinal foi do agrado de todos, e ajudou a derrubar barreiras.
Num destes dias surgiu um jantar improvisado cá por casa com uns amigos de que gostamos muito. Para finalizar uma refeição soberba, que acho que foi do agrado de todos, fizemos uma tarte de maçã. Dizia-me a minha amiga "não sei como tens tantas ideias, eu nem sei por onde começar". Eu partilhei o meu se…