Avançar para o conteúdo principal

Um folar diferente...

Há dias em que não vale a pena tentar fugir ao inevitável… Se passo o dia a pensar em comer um bolo, é inevitável que tenha de chegar a casa e fazê-lo…

No entanto, o tempo é contado ao segundo e os remorsos são mais que muitos… “Se não tens tempo para ir ao ginásio, como arranjas tempo para fazer um bolo e comê-lo?” diz-me o diabinho pendurado no ombro… Pois… Eu sei que é verdade, mas é como um mal estar que se instala e que só passa quando me encaminho para a cozinha com uma ideia do que quero fazer… E desta vez eu sabia que tinha de ser o Monkey Bread, uma receita que tinha vista no blog da Mena, “As aventuras de uma Mamã”, que por sua vez já o tinha visto num outro blog, que por sua vez já tinha adaptado de dois outros! A blogosfera é realmente um universo inspirador e como nos contos, cada um que pega numa receita, acrescenta-lhe mais qualquer coisa e eu não fui exceção. A minha é um misto do que encontrei no blog “A cozinha coletiva” e no blog “As aventuras de uma mamã”. O resultado final fui muito para além das expetativas! O resultado final é delicioso quente ou frio e em termos de sabor achei-o muito idêntico ao do ‘Folar de Olhão’, sem a gordura em demasia que o mesmo tem. Claro que esta receita também não é isenta de pecado… Se fosse, com certeza não seria tão boa, como na realidade é!!!!

Como estamos na Páscoa e não sou grande fã dos folares doces que se fazem um pouco por todo o país, nesta altura do ano, acho que vou adotar esta receita, que vos proponho hoje, para passar a constar da tradição familiar a par com a do folar de carnes, essa sim, já na minha família há duas ou três gerações e que partilhei AQUI no ano passado.

Espero que gostem tanto quanto eu… É deliciosa!!! Obrigado Mena por dares o mote, é realmente uma receita fantástica daquelas que vale MESMO a pena ser feita e partilhada. Uma delicia!

___________________________

Monkey Bread


Ingredientes:


Para a massa:

- 110 gr de água

- 200 gr de leite (usei magro)

- 50 gr de manteiga (usei Becel Líquida)

- 20 gr de fermento de padeiro

- 50 gr de açúcar

- 550 gr de farinha T65 + qb


Para a montagem:

- 320 gr de açúcar mascavado

- 6 colheres de chá de canela

- 80gr de corintos brancos

- 200 gr de manteiga (usei Becel líquida) + qb para a forma

- 2 colheres de sopa de mel multifloral*


* usei Mel de Portugal


Preparação:

Coloque a água, o leite e a manteiga no copo da Bimby e programe 3 minutos, 50º, velocidade 1. Adicione o fermento e o açúcar e misture apenas 15 segundos, velocidade 3. Junte a farinha e programe 10 minutos, velocidade espiga.

Coloque a massa num recipiente enfarinhado e coloque dentro do forno (com ele desligado) a levedar durante 1 hora ou até dobrar de volume.

Findo o tempo, tenda a massa numa superfície enfarinhada com o auxilio de um rolo da massa e corte quadrados relativamente iguais, de cerca de 3 x 3 cm. No meu caso, rendeu 48 quadradinhos.

De cada quadradinho faça um bolinha com as mãos.

Num recipiente coloque o açúcar mascavado misturado com a canela e as passas. Noutro recipiente coloque a manteiga derretida à temperatura ambiente (se utilizar Becel líquida, como fiz, não necessita de ter essa preocupação). Coloque a forma, untada com manteiga, por perto e com o auxilio de uma colher de sopa, coloque cada bolinha no recipiente da manteiga e depois na do açúcar e canela, colocando cada uma das bolinhas, por fim, dentro da forma. Vai empilhando as bolinhas na forma, sem apertar ou qualquer ordem/cuidado em especial.

Quando terminar de arrumar todas as bolinhas de pão na forma, coloque novamente no forno (desligado) a levedar por mais uma hora. Findo o tempo, retire a forma, distribua o mel por cima e pré-aqueça o forno a 200º.

Assim que colocar a forma dentro do forno, reduza para 180º e deixe cozer por 35 minutos. Findo o tempo, deixe repousar por 5 minutos e desenforme.


Alternativa de Preparação:

Aqueça a água, o leite e a manteiga apenas o suficiente 8isto é, se colocar o dedo dentro consegue suportar a temperatura sem se queimar). Adicione o fermento e o açúcar e misture apenas o suficiente para garantir que não há grumos. Junte a farinha e com uma batedeira, com varas para massas pesadas, bata por 10 minutos ou até que a massa esteja brilhante.

Coloque a massa num recipiente enfarinhado e coloque dentro do forno (com ele desligado) a levedar durante 1 hora ou até dobrar de volume.

Findo o tempo, tenda a massa numa superfície enfarinhada com o auxilio de um rolo da massa e corte quadrados relativamente iguais, de cerca de 3 x 3 cm. No meu caso, rendeu 48 quadradinhos.

De cada quadradinho faça um bolinha com as mãos.

Num recipiente coloque o açúcar mascavado misturado com a canela e as passas. Noutro recipiente coloque a manteiga derretida à temperatura ambiente (se utilizar Becel líquida, como fiz, não necessita de ter essa preocupação). Coloque a forma, untada com manteiga, por perto e com o auxilio de uma colher de sopa, coloque cada bolinha no recipiente da manteiga e depois na do açúcar e canela, colocando cada uma das bolinhas, por fim, dentro da forma. Vai empilhando as bolinhas na forma, sem apertar ou qualquer ordem/cuidado em especial.

Quando terminar de arrumar todas as bolinhas de pão na forma, coloque novamente no forno (desligado) a levedar por mais uma hora. Findo o tempo, retire a forma, distribua o mel por cima e pré-aqueça o forno a 200º.

Assim que colocar a forma dentro do forno, reduza para 180º e deixe cozer por 35 minutos. Findo o tempo, deixe repousar por 5 minutos e desenforme.


Notas importantes: Quanto mais pequenos forem os quadradinhos/bolinhas, mais gordura e açúcar vai acabar por adicionar à receita, já que cada bolinha vai ser passada por manteiga e açúcar. Assim, se quiser tornar o bolo menos calórico, é uma questão de cortar quadrados um pouco maiores. Claro que quanto menos gordura e açúcar também tiver, menos saboroso e molhadinho ficará e provavelmente mais difícil será de cortar fatias sem que ele se desmanche. É uma questão de analisar o custo/benefício de cada uma das opções. Se optar por bolinhas maiores, reduza a quantidade de açúcar mascavado, canela e manteiga em proporção. O segundo pormenor a ter em atenção é utilizar uma forma de buraco, mas que não seja de fundo amovível já que a gordura acabará por escorrer, seja enquanto leveda, seja depois na cozedura.

_____________________

 

Comentários

  1. Hummmmm e eu que ando á procura de um folar para fazer para este ano... Este parece me um excelente candidato!!!!v =) Gostei!!! Pena não o ter provado... =)

    ResponderEliminar
  2. Esse é um dos bolos que ando para experimentar mas vou lj«he mudar o recheio de cada bolinha,já ando com ideias mirabolantes...
    Ficou realmente tentador o teu e mesmo assim mais "gordo"eu comia uma fatia das grandes!!!
    Bjoka
    Rita

    ResponderEliminar
  3. Uauuu, que delicia!!!!

    Esse bolo pode ser calorico, mas perdoa o mal que faz pelo bem que sabe... excelente!!!

    Beijocas

    Margarida

    ResponderEliminar
  4. Que bom aspecto :)
    Todos os cantinhos nos inspiram! É preciso que todos os dias me apetece fazer um bolo!!

    ResponderEliminar
  5. Adorei esse folar, que aspeto tão bonito e diferente,
    kiss

    ResponderEliminar
  6. K lindo... Ai que apetite me deste!!!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Ficou com um aspecto divinal :D Que vontade enorme de provar! :D

    Beijinhos e tem um bom resto de dia! :D

    ResponderEliminar
  8. Lindíssimo e de certeza que muito saboroso, já tenho visto esta receita...tenho de um dia me aventurar e fazer cá em casa!!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. Ja o tinha visto Mena e adorado e o teu esta outro pecado igual!! Voces sao umas tentadoras!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Olá...
    Que aspecto espectacular ;).... Vou levar algumas fatias :).... Adorei a tua sugestão :D.... Beijocas...

    http://nacozinhadaleonor.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Estou a salivar ... Ainda não conhecia e não consigo evitar de voltar atrás e ver as fotos ... Sim! É oficial... tou a babar !! :P
    Vou fazer claro!!!
    Beijinho doce e uma Páscoa feliz :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou perdida de risco contigo, porque descreveste o que tantas vezes me acontece quando me ponho a visitar os blogs amigos :-)

      Eliminar
  12. A maravilha das maravilhas!! Acho que o vou repetir para a minha Páscoa na sibéria!! E tu para o pores ainda melhor colocaste mel? És ainda mais gulosa do que eu!! Agora deu me vontade de ir outra vez pra cozinha e fazer outro!!
    É daqueles bolos que comes, mas fechas os olhos, tal é o luxuria que te transmite!!
    Manda pra ca uma fatia pra eu provar, outra vez!!
    Um beijinho grande siberiano!!
    Mena

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha linda, obrigado por esta receita.... É mesmo brutal e cá por casa vai tornar-se obrigatória na Páscoa :-) adorei!

      Eliminar
  13. Agora também fiquei com apetites de folar :-) esse deixou-me com água na boca

    Bjokas
    http://saboresleveslena.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Outra vez!
    Vocês estão mesmo a desafiar-me!
    Eu a fingir que não o vejo e ele sempre na minha frente!
    Acabei de ver um folar com 8 camadas de massa, açúcar e canela e fugui... agora chego aqui... esta luxuria! Suas pecaminosas!
    Votos de uma Páscoa muito feliz.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bem que te percebo Lenita... Depois de o ver na Mena, ha mais de um mês, confesso que nao tenho pensado noutra coisa! Tive mesmo de o fazer :-) é sem duvida delicioso...

      Eliminar
  15. Confesso que ja ca vim babar nesta receita vezes sem conta!!!

    Para a lista de espera pois ta claro!!!

    Canela como eu amo canela!!


    Adoro o teu blog, tenho ca vindo cuscar e agr que me iniciei na arte de blogar espero vir ca mt mais :)


    Beijinhos

    http://jantarpara3.blogspot.co.uk/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Juliana nos cá por casa somos três, por isso, haverá mais do que muitas razoes para visitar o teu cantinho! Espero muito sucesso! Quanto ao Monkey Bread, se provares vais ficar fã... É realmente uma tentačao fantástica... Adoramos aqui por casa! Obrigado pela visita e aperece sempre que queiras!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…