Avançar para o conteúdo principal

Quiche & um doce

Mais um fim de semana a correr com poucas hipóteses de dar largas à imaginação no que à cozinha diz respeito... A verdade é que a expressão "tempo é dinheiro" nunca me pareceu tão verdadeira e acho que estava disposta a pagar para ter direito a um pouco mais de tempo ao fim do dia. Em vez das 24 horas diárias, ter direito a 36! Seria a loucura! Teria tempo para trabalhar, dormir, fazer o que me dá prazer, estar com a família e amigos... Seria magnifico...

Nao havendo essa hipótese, resta-me andar sempre a 200 à hora e a tentar prioritizar. Nem sempre é fácil e não sou a pessoa mais equilibrada a fazê-lo... Mas estou a esforçar-me por melhorar.

A verdade é que adoro cozinhar e partilhar experiências com quem me lê e a quem leio... Mas tem sido gradualmente mais complicado fazê-lo numa base diária... Por mais que me tente organizar, tem sido complicado e dou por mim, algumas vezes, a roubar tempo à minha filhota e ao meu marido. E não quero.

Claro está que vou continuar por aqui, talvez menos presente, mas com a vontade de partilhar do costume. Pelo menos enquanto o tempo não esticar...

A proposta que vos deixo hoje está mais que vista, mas por ser uma óptima forma de utilizar sobras de frango (ou peixe, ou perú, etc.) faz todo o sentido partilhá-la. Dei-lhe um toque diferente ao utilizar o molho carbonata da Parmalat. Era a última embalagem que faltava gastar da simpática oferta que me tinham feito em Dezembro passado.

Com a chegada da Primavera vai apetecendo cada vez mais estes pratos mais simples que podem ser acompanhados com uma simples salada. É também o tipo de receitas facilitadoras já que me dará mais tempo com a família à noite. Uma quiche rende bastante e é óptima para colocar nas lancheiras para quem, como eu, leva almoço para o trabalho. Bon Apetit!

______________________

Quiche carbonara

[serve 6 a 8 pessoas]


Ingredientes:


Para a massa:

- 50 gr de farinha de trigo integral

- 150 gr de farinha T65

- 70 gr de manteiga

- 65 gr de água

- 1/2 colher de chá de açúcar

- 1/2 colher de chá de sal refinado


Para o recheio:

- 120 gr de couve flor

- 80 gr de pimento verde (1/4 de pimento)

- 100 gr de ervilhas

- 150 gr de milho doce (usei de lata)

- 120 gr de frango desfiado (usei sobras de frango assado)

- 3 fatias de bacon (35 gr)

- 1 tomate

- 40 gr de alho francês (1 alho francês, só a parte branca)

- 1 embalagem de molho carbonara da Parmalat

- 4 ovos L

- azeite qb

- raspas de queijo parmesão qb


Preparação:

Coloque os ingredientes para a massa no copo da Bimby e programe 15 segundos, velocidade 6.

Faça uma bola e com o rolo da massa estenda até que fique com cerca de 2 mm de espessura (se não tiver rolo pode ir esticando e pressionando com os nós dos dedos até forrar toda a tarteira).

Coloque numa tarteira de fundo amovível e pique com um garfo para não empolar quando levar ao forno. (No meu caso sobrou um pouco que utilizei para uma sobremesa muito simples que fica em nota de rodapé).

Sem necessitar de lavar o copo, encha-o com cerca de 1 litro de água e aplique a varoma por cima. Coloque a couve flor (aberta em raminhos pequeninos), as ervilhas e o pimento em tiras e programe 15 minutos, varoma, velocidade 1. (Como estes ingredientes estavam congelados, resolvi fazer esta operação para retirar a água em excesso que fica quando descongelam). Se utilizar produtos frescos, pode saltar este passo.

Retire a água do copo e coloque o alho francês cortado ás rodelas e um fio de azeite. Programe 5 minutos, varoma, velocidade 1. Junte o bacon cortado em cubinhos e programe mais 3 minutos, varoma, velocidade 1.

Junte o frango desfiado, o milho e as ervilhas e programe mais 4 minutos, 100º, velocidade colher inversa. Retire e deixe arrefecer num prato (se colocar logo por cima da base, vai encruar a massa).

Mais um vez, sem ser necessário lavar o copo, coloque os ovos e o molho carbonara e programe 15 segundos, velocidade 5.

Pré-aqueça o forno a 180º.

Com o recheio já frio, coloque-o por cima da massa. Disponha o pimento e a couve flor a gosto e o tomate cortado às rodelas. Espalhe generosamente lascas de queijo parmesão por cima.

Não coloquei sal no recheio porque não vi necessidade com o bacon e o molho, mas se preferir, pode temperar a seu gosto com sal e pimenta.

Coloque no forno por 20 minutos. Findo o tempo. Aumente para a temperatura máxima e deixe alourar por 5 minutos.

Retire e desenforme. Acompanhe com uma salada ou outro acompanhamento a gosto.

 

Alternativa de preparação:

Misture bem os ingredientes da massa até que não cole aos dedos.

Faça uma bola e com o rolo da massa estenda até que fique com cerca de 2 mm de espessura (se não tiver rolo, pode ir esticando e pressionando com os nós dos dedos até forrar toda a tarteira). Coloque numa tarteira de fundo amovível e pique com um garfo para não empolar quando levar ao forno. (No meu caso sobrou um pouco que utilizei para uma sobremesa muito simples que fica em nota de rodapé).

Coloque água num tacho e coza a couve flor (aberta em raminhos pequeninos), as ervilhas e o pimento em tiras, apenas o suficiente, isto é, devem ficar al dente. (Como estes ingredientes estavam congelados, resolvi fazer esta operação para retirar a água em excesso que fica quando descongelam). Se utilizar produtos frescos, pode saltar este passo.

Num tacho/frigideira refogue o alho francês cortado às rodelas com um fio de azeite. Junte o bacon cortado em cubinhos e deixe alourar, mas não em demasia, isto é, não deixe ganhar cor.

Junte o frango desfiado, o milho e as ervilhas e deixe reduzir (2 a 3 minutos). Retire e deixe arrefecer num prato (se colocar logo por cima da base, vai encruar a massa).

À parte, bata os ovos com o molho carbonara até que os ingredientes façam uma mistura bem homogénea.

Pré-aqueça o forno a 180º.

Com o recheio já frio, coloque-o por cima da massa. Disponha o pimento e a couve flor a gosto e o tomate cortado às rodelas. Espalhe generosamente lascas de queijo parmesão por cima.

Não coloquei sal no recheio porque não vi necessidade com o bacon e o molho, mas se preferir, pode temperar a seu gosto com sal e pimenta.

Coloque no forno por 20 minutos. Findo o tempo. Aumente para a temperatura máxima e deixe alourar por 5 minutos.

Retire e desenforme. Acompanhe com uma salada ou outro acompanhamento a gosto.


Nota: com a massa que sobrou ainda deu para fazer um miminho para a sobremesa. Fiz duas mini tarteletes de pêra. Fiz assim: estendi bem a massa e forrei com ela duas tarteletes pequenas. Em cada uma coloquei uma pêra pequena cortada em fatias e uma colher de sopa de mel.

Num almofariz misturei oito metades de miolo de noz, duas colheres de chá de açúcar mascavado e duas colheres de chá de manteiga. Criei, no fundo, uma pasta, uma espécie de crumble e dividi metade por cima de cada tartelete de pêra. Levei ao forno ao mesmo tempo que a quiche e deixei cozinhar o mesmíssimo tempo. Deu uma sobremesa pouco doce, para repetir inúmeras vezes! Zero desperdícios!

________________________

 

Comentários

  1. 2 em 1 que maravilha, adoro quiches ;) bjokitas

    ResponderEliminar
  2. Eu adoro quiches!

    Esta têm uns ingredientes muito bons, que adoro!

    Está muito boa!*

    ResponderEliminar
  3. Como eu te entendo com a tua falta de tempo!!!
    Eu queria mais e mais... Especialmente para estar com os pequenotes!!
    Levo uma fatia de cada!!
    Beijinhos e boa semana!

    ResponderEliminar
  4. amei, delicia, quiche é tudo de bom, a sua está tão linda...
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  5. Adorei, gosto muito de quiches, essa está com um aspeto delicioso.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. As vezes é complicado mesmo ... Mas cada coisa a seu tempo!
    Adorei as sugestões ;)
    Beijinhos doces !

    ResponderEliminar
  7. Hummmmm olha que maravilha... em primeiro eu sou perdida por quiches...pena que la em casa so eugoste. E quanto as tarteletes... nossa que loucura... ficatam um mimo!!

    Beijocas

    Margarida

    ResponderEliminar
  8. Que maravilha de quiche e deve ser muito saborosa
    boa semana
    beijos

    ResponderEliminar
  9. Adorei, tanto a quiche como o miminho para a sobremesa :)
    Também costumo usar sempre os restos da massa folhada para miminhos!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  10. Uma quiche bem colorida :)
    Sabe tão bem na marmita!
    E os restos de massa são sempre bons para miminhos doces!
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Que boa sugestão! Mesmo o que eu gosto!!

    ResponderEliminar
  12. Uma bela quiche e adorei os aproveitamentos doces :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  13. eu estou solidária gostava que o dia tivesse mais horas...
    mas comer uma fatia dessa quiche dá mais um bocadinho de força, devia estar deliciosa!

    ResponderEliminar
  14. era sem dúvida uma excelente ideia!!
    Que bela refeição...
    Beijinhos
    http://sudelicia.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  15. Obrigada pelo comentário!
    Adorei o post, quiche é uma delícia!!!!
    Beijocas

    ResponderEliminar
  16. Eu adoro carbonara, pois ia amar esta quiche :)
    mto apetitosa
    beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Olá querida,
    Queixamo-nos sempre do tempo e de como o dia devia ter 24 ou 36 horas, mas se as tivesse, havíamos de querer que tivesse 48 ou 7o, ou seja, iríamos sempre estar com o mesmo problema...
    Belíssimas e deliciosas sugestões, tanto versão doce, como salgada, são fabulosas!
    Beijinhos grandes,
    Lia.

    ResponderEliminar
  18. Querida,

    Tempo, tempo, tempo... também me falta, também me desdobro e confesso que estou a começar a ficar cansada...
    Tal como tu, tenho de rever prioridades ou em pouco tempo ficarei a bater mal ! :)

    Adorei a tua quiche carbonara, gostamos muitissimo de refeições assim, saborosas e onde tudo se aproveita... e ainda conseguiste fazer as tartelettes de pera... uma delicia ! És fantástica ! :-)

    Beijinho grande amiga

    Isabel
    www.blogdochocolate.com
    http://brisa-maritima.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  19. Obrigado pelos sempre simpáticos comentários :-).

    ResponderEliminar
  20. Adorei a sugestão de sobremesa, sem falar que é sempre excelente aproveitarmos e rentabilizarmos as sobras de forma criativa. Beijinhos,

    ResponderEliminar
  21. Olá,

    Gosto muito do teu blogue e por isso atribui-lhe um selo. Passa no meu cantinho e recebe-o de coração. É sinal de reconhecimento do teu trabalho.

    Continua a encantar-nos com as tuas receitas deliciosas.

    Beijinhos
    Ana Aparício
    http://cozinhacompaixao.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana que querida! Muito obrigado pela distinção! Em breve respondo, sim? Um beijinho grande!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…