Avançar para o conteúdo principal

Gemelli - Dia Internacional das Massas

Hoje festeja-se o dia internacional das massas. E guardei para este dia partilhar convosco uma experiência única. No passado sábado tive o prazer de conhecer o Chef Augusto Gemelli num curso de "Massas", nada mais apropriado, verdade? Pois bem... Será, com certeza, uma experiência a recordar e a repetir futuramente.

Não foi a primeira vez que fiz um curso de culinária. E até tinha boa opinião geral sobre o panorama dos cursos realizados aqui por Lisboa. Fui inscrita pelo Mário e confesso que não ía com particular expectativa... Não me apetecia ocupar um sábado inteiro, abdicar de estar com ele e com a minha Joana, simplesmente para estar a cozinhar. Por mais que me dê prazer, prioridades são prioridades...

Pois bem... Este curso veio elevar, e muito, a fasquia. Foi uma experiência marcada pela positiva, pela diferença, pela entrega e especialmente pela humildade.

Não sei como é convosco, mas talvez porque admire muito a profissão de Chef e talvez fruto da distorção que nos chega dos programas de TV, sinto-me verdadeiramente intimidada na presença de um... Seja pela gíria excessiva utilizada em alguns cursos (que os faz sempre parecer muito profissionais e a nós verdadeiros nabos), seja pela forma expedita com que se mexem sempre na cozinha, a verdade é que a imagem que guardo de quase todos os Chefs com que me cruzei num curso de cozinha, é de alguém que esta num patamar bem acima do meu...

Pois bem, a envolvência com o Chef Gemelli é algo totalmente diferente. Sentimo-nos bem na sua cozinha, não nos sentimos intrusos... Sentimos que os produtos que usa não são muito diferentes dos que usamos em casa, apenas sabe fazer magia... O fascínio existe, mas não de cima para baixo, antes ao mesmo nível. É um Chef humilde, que se mexe na cozinha como peixe na água, mas de forma despretensiosa. Que ensina com mestria, com pedagogia... Porque ser Chef e ser formador, são coisas totalmente distintas... Ele distingue-se em ambas.

Foi um dia memorável, carregado de coisas novas, de experiências unicas e sem duvida de muito boa disposição. No final, lá ganhei coragem e pedi-lhe para tirar uma foto comigo. Foi a primeira vez que o fiz e confesso que estava muito envergonhada... Mas é um privilegio para mim ter conhecido pessoalmente este Chef e não quis perder a oportunidade.

Será, sem dúvida, para repetir a experiência... Para já, em calendário, há os seguintes cursos nas seguintes datas, para quem tiver interesse:

- A cozinha da Nona a 27 de Outubro

- A poupança na cozinha a 17 de Novembro

- Os mariscos de concha a 24 de Novembro

- Cozinha de autor a 8 de Dezembro

Para mais informações podem enviar um email para cursosdecozinha@augustogemelli.com.

Mas porque não só de formação vive o Chef Gemelli, quem não conhece o Restaurante Gemelli em Lisboa, não sabe o que anda a perder... A primeira vez que decidi ir, confesso que ia a medo... Já tinha ouvido criticas de todo o género e feitio... Algumas muito boas e outras verdadeiramente más...

Não é um restaurante para se comer esparguete à bolonhesa, é um restaurante de cozinha de autor, com raízes italianas, onde um jantar nunca é simplesmente um jantar... Aconselho vivamente os menus degustação. Não se surpreendam se forem servidos pelo Chef Gemelli (vão com certeza reconhecê-lo pelos seus quase dois metros de altura)... Até nisso é um Chef que marca pela diferença.

Apreciem a experiência... Será única com certeza... Fica a sugestão para festejarem o dia internacional da massa da melhor forma.

Para quem optar por ficar em casa, aqui no blog encontra inúmeras sugestões...

http://umapedradesal.blogspot.pt/search/label/Massas

Termino com uma foto de uma das receitas que aprendi a fazer no passado sábado e que fez sucesso aqui por casa...

______________________________________



 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…