Avançar para o conteúdo principal

A primeira sopa...

Quando comecei a cozinhar, já tinha eu a minha própria casa, recordo-me que a minha maior dificuldade foram as sopas… A primeira sopa que experimentei fazer foi exactamente sopa de feijão verde e recordo-me de a ter queimado, já que o puré, depois de passado, colou-se ao fundo da panela e queimou… Olhando para trás fico incrédula como consegui queimar uma sopa!

Pedi ajuda à minha mãe e ela lá me explicou que as sopas são o mais fácil de fazer… Era uma questão de fazer um puré de legumes e adicionar uma verdura depois do puré cozido e passado. Aconselhou-me também a utilizar a panela de pressão já que era mais rápido.

Claro está que segui o conselho dela e não voltei a queimar uma sopa… E nunca mais fiz uma sopa igual a outra, porque depende sempre do que o frigorífico dá.

Todas as semanas fazia uma panela cheia de sopa para a semana. Demorava cerca de 45 minutos a fazer, já que tinha de cozer o puré e depois de passado tinha de cozer as verduras… Nunca gostei muito de sopas passadas, gosto de sopas com ‘entulho’, como lhe chamamos cá por casa…

Quando a Joana nasceu comecei a perceber que algo tinha de mudar… A sopa dela tinha de ser diferente todos os dias (ora com peixe, ora com carne) e especialmente era diferente da nossa… Não havia tempo a perder…

Resolvi comprar o aparelho que tantos anos foi objecto das mais variadas críticas da minha parte – uma Bimby.

Quem diria… Já lá vão 2 anos e meio de amizade, quase amor… Demoro 25 minutos a fazer uma sopa e é tão rápido que me posso dar ao luxo de fazer uma sopa ou várias por dia… O ‘entulho’ coze ao mesmo tempo que o puré, não é necessária qualquer intervenção ou controlo meu, para além de ser bastante mais saudável (já que coze ao vapor). E a consistência??? Alguém consegue encontrar consistência semelhante à obtida na Bimby???

Confesso que mesmo que quisesse, já não saberia fazer sopa de outra forma… Tenho sempre legumes processados no congelador, é só colocá-los no copo da Bimby, programá-la e já está! Seja a que horas for do meu dia… Enquanto tomo banho, vejo TV ou brinco com a Joana. É acima de tudo um descanso!

E por tudo isto tenho publicado tão poucas receitas de sopa… Faço-as sempre a correr, fruto do que o congelador/frigorifico tem, esquecendo-me de pesar e apontar para depois publicar. Desta vez consegui fazê-lo e confesso que ficou uma maravilha… Diferente com certeza das anteriormente feitas e sem dúvida muito diferente também das próximas que virão.

______________________________________________

Sopa de feijão Verde

[serve 6 pessoas]




Ingredientes:




Para o puré:

- 160 gr de batata (1 batata)

- 370 gr de abóbora

- 35 gr de alho francês (usei 1)

- 80 gr de nabo (1/2 nabo)

- 25 gr de cenoura (1/2 cenoura)

- 2 hastes de coentros

- 2 hastes de salsa

- sal qb

- azeite qb

- 1 e ½ litros de água

- 1 cebolinho




Sólidos:

- 160 gr de feijão verde cortado em juliana

- 25 gr de nabo cortado em juliana

- 45 gr de cenoura cortada em juliana




Preparação:

Coloque todos os legumes do puré no copo da Bimby, tempere de sal e um fio de azeite e programe 25 minutos, varoma, velocidade 1. Na varoma, coloque os ingredientes ‘sólidos’ e aplique por cima da tampa para cozinhar ao vapor ao mesmo tempo.

Findo o tempo, tempere com mais um fio de azeite e verifique se está boa de sal. Programe 1 minuto, velocidade 7 (vá progressivamente velocidades 3-5-7 para evitar salpicos e respectiva queimadura). Deixe estabilizar o líquido cerca de 1 minuto e junte os sólidos ao puré e programe mais 2 minutos, 100º, velocidade 1.

Alternativa de Preparação:

Coloque a cozer os legumes do puré (se fizer numa panela de pressão conte 15 minutos, em lume branco, após o apito começar a libertar pressão).

Quando estiverem cozidos passe com a varinha mágica. Adicione os ‘sólidos’ e deixe cozinhar em lume brando até os legumes estarem cozidos. Rectifique os temperos e adicione um fio de azeite.

______________________________________________

Comentários

  1. A Bimby realmente é uma óptima ajuda, principalmente nas sopas.
    Quando tive o meu primeiro filho ainda não a tinha e era sempre uma pia cheia de louça suja depois de lhe preparar as sopinhas!
    Depois com a irmã já foi completamente diferente, enquanto lhe dava banho e a preparava a sopinha ficava pronta e só sujava o copo da Bimby!
    É nestas pequenas coisas que se vê as facilidades que se pode ter.
    A tua sopa está excelente, ao contrário de ti a minha versão preferida é uma sopa bem cremosa e toda passadinha!!!!

    ResponderEliminar
  2. Luisa sem duvida que a Bimby é o nosso braço direito nestas tarefas! O incrível era eu ser tão avessa a compra-lá! Hoje tudo e tão diferente!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…