Avançar para o conteúdo principal

Em falta!

Ultimamente e não querendo utilizar sempre o mesmo clichê, o tempo não dá para nada… Não percebo como 24 horas conseguem nuns dias demorar tanto tempo a passar e noutros voa, simplesmente voa e chegamos a 6ª feira com a sensação de que ainda é 4ª feira.

Isto para vos dizer que prometi publicar o bolo da querida Lúcia do Barriguinhas a seguir ao meu aniversário e já passou um mês. Mas tem sido mesmo impossível… Não consigo fazer render o tempo e para por em dia tudo o que está atrasado receio que nem um mês sem dormir me chegava…

Bom, mas vamos lá ao bolo.

AQUI dei-vos conta qual o bolo escolhido para fazer parte da minha festa de aniversário. A verdade é que fiz o bolo e desapareceu num instante! O que só pode ser um bom sinal.

A receita original é da Lúcia que teve a amabilidade de fazer este bolo especialmente para festejar o meu aniversário e sendo a receita dela a vencedora só a tinha de replicar e acreditar que ficaria igual…

Pois… Mas quando nos pomos a fazer um bolo há meia noite, sem verificar se temos todos os ingredientes, a coisa complica-se…. E a verdade é que tive de fazer algumas adaptações já que aconteceu-me de tudo um pouco:

- como o cacau que tinha em casa é puro, reduzi a quantidade para que não amargasse. Se utilizar cacau magro, utilize as 200 gr da receita original;

- claro está que como reduzi a quantidade de cacau, tive de ajustar nos ingredientes líquidos. Já sabem que se utilizarem cacau magro, sigam a receita original;

- dado que alguém andou a comer o topping de chocolate cá de casa, quando precisei dele para este bolo, já não tinha… Pelo que não pus como na receita original;

- como só tinha uma embalagem de mascarpone, improvisei e junte um pacote de natas. Na receita original a Lúcia não usou natas e usou duas embalagens de mascarpone;

- como não tenho utilizado corantes alimentares, quando fui buscar o verde para usar na cobertura dei conta que estava fora da validade desde 2010… Assim, a minha cobertura ficou branco pálida, enquanto a da Lúcia ficou bem mais gira.

Claro que o bolo ficou delicioso na mesma e quem está habituada a cozinhar vai resolvendo estas pequenas grandes situações. Mas como é lógico sintam-se à vontade para seguir a versão que mais vos diga. A minha estava de comer e chorar por mais, mas não tenho dúvidas de que a da Lúcia também! Para além de ter ficado com bem melhor aspeto!!!! Fica AQUI a versão do Barriguinhas.

Obrigado, mais uma vez a todos os que participaram no desafio e à Lúcia por ter feito este bolo tão intenso… Tal como eu gosto. Doce por dentro, e fresco por fora. Muito bom!

Quis publicar hoje como festejo simbólico do aniversario da minha pipoca que já completou 4 anos. Uma princesa única, uma dadiva que só quem é mãe percebe o que digo. Amo-a acima de qualquer coisa! Que sejas muito feliz minha querida!

_______________________

Bolo de Chocolate e Café com Cobertura de Mascarpone com Menta


Ingredientes:


Para o bolo:

- 600 gr de farinha para bolos

- 450 gr de açúcar

- 100 gr de cacau puro

- 4 colheres de chá de bicarbonato de sódio

- ½ colher de café de sal fino

- 3 ovos M

- 200 ml de natas

- 250 ml de óleo de amendoim

- 200 ml de café (diluí água morna com 2 colheres de sopa de mokambo até perfazer 200 ml de café)


Para a cobertura:

- 1 embalagem de mascarpone (250 gr)

- 1 pacote de natas

- 2 colheres de sopa de açúcar em pó

- 1 caixa de chocolates after-eight

- pauzinhos de after-eight


Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º.

Misture num recipiente grande os ingredientes secos. Num outro recipiente, junte os ovos, o óleo e as natas e mexa bem. Adicione o café frio e bata até estar bem misturado com os restantes líquidos.

Junte os ingredientes líquidos aos sólidos até estarem bem misturados e obter uma massa bem homogénea.

Unte uma forma de fundo amovível (usei com um diâmetro de 22 cm, daquelas do IKEA) com margarina e polvilhe com farinha. Deite a massa e leve ao forno por 1 hora.

Findo o tempo, desligue e com a porta entreaberta deixe o bolo ficar mais uns 10 a 15 minutos.

Findo o tempo, desenforme e deixe arrefecer bem antes de espalhar a cobertura.

Bata as natas até começarem a ficar firmes e vá juntando o açúcar até obter um chantili. Misture o queijo mascarpone e os after-eight triturados até obter um creme bem homogéneo e espalhe sobre a superfície do bolo (ou se preferir coloque numa manga de pasteleiro e distribua pelo topo). Finalize com os palitos de after-eight.

____________________

 

Comentários

  1. Deve ser delicioso, muitos parabéns!
    Bjs, Susana
    Nota: Ver os passatempos a decorrer no meu blog:
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/11/1-aniversario.html
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/12/strudle-de-bacalhau-e-couve-com-chourico.html

    ResponderEliminar
  2. Muitos parabéns! E belo que bolinho para comemorar :)
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Ficou tão lindo minha querida :) Parabéns! Beijos

    ResponderEliminar
  4. bom dia

    Tem um aspeto delicioso, gostava de fazer a receita mas sinceramente nao sei o que é queijo mascarpone, será que me consegue ilucidar e dizer que queijo é esse? beijinhos e obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá e obrigado pela visita. O queijo mascarpone é um queijo italiano, cremoso, que liga muito bem com sobremesas. Vende-se em supermercados em embalagens de 250 gr normalmente. Por exemplo, no Jumbo, ha ate da marca deles. É o queijo que tradicionalmente se utiliza para fazer o tiramissu.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Licor de framboesa

Já referi aqui algumas vezes o quanto os meus gostos têm mudado ao longo da vida. Disso foi esse exemplo este ano ter aprendido a gostar de maracujá e frutos vermelhos. Mas muitos outros exemplos houve e a verdade é que à medida que vamos evoluímos, os nossos gostos também evoluem.Para mim o grande salto aconteceu quando comecei a cozinhar. Não gostava de cebola, ervas aromáticas, pimentos, favas, cogumelos, enfim. A lista era infindável. E a verdade é que até mesmo carne de vaca, que já não comia há mais de 15 anos, por não suportar o sabor, no outro dia abri uma exceção num curso que fiz e… GOSTEI!O importante é termos a mente aberta e dar o primeiro passo para experimentar e insistir se necessário for. Porque só assim conseguimos tirar a teima se é simplesmente um ‘não gostar’ daqueles de quem nunca provou, ou um ‘não gostar’, à séria, de quem não suporta o ingrediente x ou y.As framboesas entraram na minha vida este ano. E era daquelas antipatias crónicas. Era comum ouvirem dizer-…