Avançar para o conteúdo principal

Desejos...

Numa destas semanas o corpo pediu-me molho de tomate… Parece estranho e ridículo mas a verdade é que ás vezes parece que padeço de um qualquer transtorno e o corpo pede-me este ou aquele ingrediente…

Não me apetecia molho de tomate sozinho ou envolvido numa bolonhesa… Apetecia-me molho de tomate e vegetais, mais precisamente beringela. Talvez seja a anemia a falar comigo, a dizer que lhe falta uma coisa qualquer (ou muitas) mas a verdade é que tive de lhe dar voz e resolvi fazer um jantar diferente, só para mim, numa destas noites!

O que fiz foi fatiar duas beringelas, sem separar as rodelas do corpo, cozê-las ligeiramente ao vapor, enquanto o molho de tomate ia sendo feito e depois colocá-las no forno, com uma fatia de queijo em cada abertura e regadas com bastante molho de tomate. Há lá coisa mais estranha???? Enfim, a verdade é que posso garantir-vos que adorei, repetia sem problema e senti-me verdadeiramente saciada!

Há dias assim…

________________________

Beringelas com molho de tomate

[serve 2 pessoas]


Ingredientes:


Para o molho de tomate:

- 110 gr de cebola (1 cebola média)

- 20 gr de azeite

- 2 dentes de alho

- 40 gr de cenoura (1 cenoura pequena)

- 500 gr de tomate maduro

- 65 gr de polpa de tomate de compra

- 60 gr de vinho branco

- 1 colher de chá de sal

- 2 colheres de chá de açúcar

- 1 mão cheia de orégãos secos


Para finalizar:

- 2 beringelas firmes

- queijo Marinhas qb

- oregãos secos qb


Preparação:

Lave bem as beringelas e com uma faca afiada vá fatiando as duas beringelas, sem terminar o golpe, isto é, sem separar as fatias do corpo da beringela. Coloque na varoma.

Coloque no copo da Bimby a cebola, os dentes de alho, a cenoura cortada em pedaços médios e o azeite e programe 5 segundos, velocidade 5. Baixe os resíduos que ficaram nas paredes do copo e programe 5 minutos, varoma, velocidade 1.

Entretanto pele o tomate e retire as sementes. Coloque no copo da Bimby, juntamente com a polpa de tomate e programe mais 5 segundos, velocidade 5. Adicione o vinho, o sal e o açúcar e programe 20 minutos, varoma, velocidade 1. Findo o tempo retifique temperos e junte os orégãos. Programe mais 2 minutos, 100º, velocidade 1.

Pré-aqueça o forno a 220º.

Retire as beringelas da varoma e disponha-as num pirex de forno. Deixe arrefecer ligeiramente. Fatie o queijo e com as beringelas relativamente arrefecidas, coloque em cada uma das aberturas pequenos pedaços de queijo e polvilhe com oregãos. Regue com o molho de tomate e leve ao forno por 15 minutos, ou até ver o queijo lourinho.


Alternativa de Preparação:

Lave bem as beringelas e com uma faca afiada vá fatiando as duas beringelas, sem terminar o golpe, isto é, sem separar as fatias do corpo da beringela. Coloque num escorredor de metal ou num passador de rede largo. Reserve.

Entretanto, pique a cebola e os dentes de alho e coloque num tacho com o azeite e deixe alourar. Junte a cenoura ralada fina.

Pele o tomate e retire as sementes. Pique bem picadinho e adicione ao refogado, bem como a polpa de tomate. Adicione o vinho, o sal e o açúcar e deixe cozinhar/evaporar lentamente (entretanto coloque a beringela por cima do tacho, tapada com a tampa, para que cozinhe com o vapor do molho de tomate). Retifique os temperos e junte os orégãos. Deixe cozinhar mais uns 2 minutinhos.

Pré-aqueça o forno a 220º.

Retire as beringelas da varoma e disponha-as num pirex de forno. Deixe arrefecer ligeiramente. Fatie o queijo e com as beringelas relativamente arrefecidas, coloque em cada uma das aberturas pequenos pedaços de queijo e polvilhe com oregãos. Regue com o molho de tomate e leve ao forno por 15 minutos, ou até ver o queijo lourinho.


Nota: pode servir de acompanhamento ou fazer uma refeição principal acompanhada de uma salada verde.

_______________________

 

Comentários

  1. Estranho? Que nada, toca a fazer vontades destas ao corpo, ficou bem apetitoso humm

    beijinho e tem um excelente dia!

    ResponderEliminar
  2. Este teu desejo ficou perfeito, e conseguiste passá-lo a quem ve estas beringelas, ficaram mesmo apetitosas :)

    Beijinhos
    Joana

    ResponderEliminar
  3. Que bom aspecto :D Às vezes também tenho desejos de molho de tomate, e normalmente nessas situações faço bolonhesa! :) Mas essas beringelas também são uma óptima ideia :D

    Beijinhos e tem um bom dia! :D

    ResponderEliminar
  4. Hummm.... eu também tenho esses apetites!! E se é por causa da anemia, nao sei, porque ha anos que nao faço analises!!
    Mas as minhas sao bem menos saudáveis!! E dizes que foi so para ti??
    Da proxima avisa, que eu vou ter contigo!! Porque essas beringelas estão para la de boas!!! Aiii!!!
    Beijinho e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  5. Excelente! Adorei a sugestão! Original e deve ser....hummmmmmmmmm! quero!

    Beijinhos;

    Aurea Sá

    P.s: Desafio a decorrer no Blog Receitas de Sedução.
    Desafio:"Arte e Qualidade com Frip!".

    Deixo o link do regulamento: http://receitasseducao.blogspot.pt/2013/06/desafio-arte-e-qualidade-com-frip.html

    Participe!

    ResponderEliminar
  6. Adoro que o teu corpo peça molho de tomate nas rachas da beringela :D
    Parece-me mesmo bem porque imagino o sabor e é de ficar saciadissima! Esse queijo ali a dar um sabor fica óptimo, não?

    **
    Aida

    ResponderEliminar
  7. Já não faço isto há tanto tempo...e é tão bom!
    as tuas beringela ficaram com um aspecto mesmo apetitoso!

    ResponderEliminar
  8. É tão apetitoso e deve-se fazer o que o nosso organismo nos pede.
    BFS
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Gosto muito de beringelas assadas... que aspecto tentador!
    Bjs e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  10. Às vezes também padeço destes desejos e tenho mesmo que os satisfazer, sejam eles saudáveis ou nem por isso!
    Ficou um prato perfeito que eu também comia assim mesmo sem mais nada :)

    beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Licor de framboesa

Já referi aqui algumas vezes o quanto os meus gostos têm mudado ao longo da vida. Disso foi esse exemplo este ano ter aprendido a gostar de maracujá e frutos vermelhos. Mas muitos outros exemplos houve e a verdade é que à medida que vamos evoluímos, os nossos gostos também evoluem.Para mim o grande salto aconteceu quando comecei a cozinhar. Não gostava de cebola, ervas aromáticas, pimentos, favas, cogumelos, enfim. A lista era infindável. E a verdade é que até mesmo carne de vaca, que já não comia há mais de 15 anos, por não suportar o sabor, no outro dia abri uma exceção num curso que fiz e… GOSTEI!O importante é termos a mente aberta e dar o primeiro passo para experimentar e insistir se necessário for. Porque só assim conseguimos tirar a teima se é simplesmente um ‘não gostar’ daqueles de quem nunca provou, ou um ‘não gostar’, à séria, de quem não suporta o ingrediente x ou y.As framboesas entraram na minha vida este ano. E era daquelas antipatias crónicas. Era comum ouvirem dizer-…