Avançar para o conteúdo principal

Cavalas!

Um dos workshops que fiz na Feira de Turismo Ativo e Desportivo, que se realizou em Milfontes nos dias 8, 9 e 10 de Junho, foi o de cozinhar cavala. Nunca tinha provado cavala mas é frequente ver este peixe à venda, fresquíssimo, por 0,50 € o quilo na praça de Milfontes e já tinha tido curiosidade de comprar. Mas eram tantas as opiniões pouco consensuais acerca deste peixe, que fui acabando por adiar a sua compra. Claro está que depois de participar no workshop era muita a vontade de comprar o peixe e de por à prova a malta lá de casa!

No dia seguinte pedi ao Mário para procurar na praça enquanto despachava a miúda para irmos à praia. Pedi-lhe para me trazer 0.5 kg. Ele lá foi, meio desconfiado… Chegou a casa a rir-se… E depois contou-me que chegou lá e a senhora vendeu-lhe 1 kg, porque não tinha troco para ele. Meia irritada disse-lhe ‘é da responsabilidade dela ter troco, não??? Que faço eu com 1 kg de cavalas se somos apenas 3?’ Ele respondeu-me a rir ‘o preço do kg era 0.50 € e eu estava a pagar com uma nota de 10 €!’

Nem queria acreditar que 1 kg de peixe fresco, firme, brilhante, custava apenas 0,50 €… Agora só faltava arranjá-las. Sim, porque o Mário trouxe-as intactas para que eu pudesse treinar a utilização das facas.

Ainda não tive oportunidade de vos contar mas ando a fazer um curso introdutório de culinária no instituto Feed Me e uma das coisas básicas que aprendi foi a desmanchar peixe em filetes. Claro que não podia perder a hipótese de treinar! E honestamente que bem que me saí!!!! Nem queria acreditar no quão bonitas ficaram. E para deixá-las mesmo perfeitas, tal qual um profissional de cozinha, saquei na minha pinça de cozinha e eliminei todas as espinhas dos recém feitos filetes… Fez toda a diferença à mesa.

Pois garanto-vos que fez sucesso em casa, um tão estrondoso sucesso que dois adultos e uma criança comeram um quilo de cavalas em filetes! Não sobrou nada para contar histórias!!!!

Para terminar e avançar para a receita, quero apenas contar-vos algo que retive no workshop onde me inspirei para fazer esta receita. Dizia o formador que a cozinha portuguesa só não é tão conhecida lá fora como a francesa, a espanhola ou a grega porque a nossa cozinha é uma cozinha de tacho. Na verdade, visualmente o prato que fiz, parece tirado de um restaurante de luxo. Mas não. Foi feito com produtos sazonais, acessíveis a qualquer um. Produtos baratos que nem me permitem fazer contas e saber quanto custou esta refeição por cabeça… Foi muito pouco mesmo! Mas estou certa, que tal como o formador disse, que este quilo de cavalas que custou 50 cêntimos, daria origem a 10/15 pratos com um custo superior a 25 € cada. E com certeza um brilharete mais que aplaudido!

Cozinhar para mim é isto – fazer comida simples, acessível, mostrar que é possível comer bem, sem grandes gastos. A opção passa muito por percebermos qual os produtos sazonais, quais os produtos mais baratos, se são ou não de qualidade e tentar perceber qual a conjugação que mais os favorece. É assim a minha forma de cozinhar e é este o prato, despretensioso que vos trago hoje. Espero que gostem! Nós por cá repetiremos muitas vezes.

E por ser tão bom, resolvi participar com ele no passatempo que está a decorrer no blog Cozinhar sem Lactose e no Cinco Quartos de Laranja. Blogs que sigo frequentemente e que aconselho vivamente a visitar!

____________________

Filetes de Cavala com mil folhas de batata doce e courgete

[serve 3 pessoas que comam bem!]


Ingredientes:

- 1 kg de cavalas bem frescas*

- sal e azeite qb

- salsa qb

- vinho branco qb

- 2 dentes de alho

- 1 folha de louro

- 2 batatas doces grandinhas

- 1 a 2 courgetes grandinhas


* sendo um peixe azul, quanto maior for, maior concentração de mercúrio tem… Opte por peixes mais pequenos, do tamanho de sardinhas, mais ou menos.


Preparação:

Prepare o peixe em filetes. Não retire a pele.

Corte a batata doce às rodelas, bem como a courgete. Tempere com um pouco de sal.

Numa frigideira antiaderente, coloque um fio de azeite e frite as rodelas dos legumes escorrendo bem em papel vegetal. Reserve.

Junte um pouco mais de azeite, adicione o louro e os dentes de alho e coloque os filetes na frigideira (com a pele para cima). Assim que os colocar no calor, vão ter tendência para encaracolar, por isso, com uma espátula, force a ficarem direitinhos, pressionando cerca de 5 segundos. Deve ser suficiente. Vire para cozinhar do lado da pele. Cada lado deve ser passado cerca de 1 minuto em lume brando para que o peixe não fique demasiado cozinhado. Retire o peixe e tempere com um pouco de flor de sal (opcionalmente pode temperar com um pouco de sal refinado).

Na frigideira refresque com um pouco de vinho branco (cerca de 100 ml), o objetivo é que todos os sabores dos legumes e do peixe que ficaram agarrados à frigideira possam ficar condensados num molho. Deixe evaporar um pouco, adicione um pouco de sal e a salsa picada e desligue.

No prato de servir faça um mil folhas de legumes, isto é, coloque as rodelas alternadas dos legumes, sobrepondo sempre. Por cima, coloque dois filetes de cavala e regue com o molho de vinho branco e salsa. Uma delicia!


Nota: claro está que esta é a forma bonita de empratar, mas pode levar, como mostram as fotos, todos os componentes do prato à mesa e cada um serve-se da quantidade que desejar.

________________________

 

Comentários

  1. Bom dia Sonia

    Pronto fiquei aqui agarrada ao ecrã do computador a olhar para essas maravilhosas cavalas... ja hoje referi num blog que ando com saudades de comer um belo peixinho, e hoje so vejo peixe.. Aiii que vai ser o meu jantar ai vai vai... excelente uma refeiçao excelente mesmo e muito bonita visualmente!!

    Beijocas

    Margarida

    ResponderEliminar
  2. Olá Sónia!

    Bem, tenho a dizer que não entendo o porque das pessoas não apreciarem este peixe, e antigamente denominarem-no de peixe dos pobres! Para mim é dos peixes mais saborosos e dos meus favoritos, além de ser super saudável...
    Mas fiquei de boca aberta com o preço do peixe, aqui onde moro não é assim tão barato infelizmente...

    Adorei a maneira como o preparaste, e a esta hora da manhã já me deu fome! De facto para se fazer belos pratos não é preciso muito dinheiro! Ficou fantástico!*

    ResponderEliminar
  3. Cá em casa come-se cavala desde sempre, e nunca a encontrei a esse preço, se encontrasse então é que comia :)
    Os teus filetes ficaram com muito bom aspecto!
    beijinhos e um bom dia :)

    ResponderEliminar
  4. Eu comi... E posso dizer que me sinto um privilegiado. Não só é bonito o prato como sabe muito bem... Eu não gostava de cavalas!!! Obrigado Princesa.

    ResponderEliminar
  5. Uau! eu ando para experimentar mas não sabia cozinhar... Experimentei recentemente em conserva e gostei bastante.
    Que lindos pratos, são de onde?
    Beijinho!
    http://amarmitalisboeta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana. Sao do melhor, lá por casa o marido dizia qu nao gostava :-). Os pratos foram comprados em milfontes na loja que h a entrada da vila cumplicidades e decorações.

      Eliminar
  6. Está fantástico! E é uma receita sem lactose! :-) Não queres concorrer com ela ao meu passatempo? ;-) Cavala é um peixe que nunca cozinhei, e fiquei cheia de vontade de experimentar com este teu post.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que é uma excelente ideia! Vou alterar e participar no teu passatempo! Obrigado :-)

      Eliminar
  7. Também nunca cozinhei cavala, mas esta tua sugestão parece muito bem!
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Eu fiquei alucinada com o preço das cavalas!!! Tive que ler duas vezes, para ter a certeza do que estavas a dizer!!!
    Se começas assim as tuas receitas de Milfontes, eu nem quero ver o resto!!
    Depois da sardinha que eu adoro, a cavala vem atrás!!! E já ha tanto tempo que nao como!!
    Uma elaboração perfeita para homenagear a terra e o mar!! És uma crack!!!
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  9. Nunca comi cavalas mas adorei a sugestão tem um aspecto delicioso.
    bjs

    ResponderEliminar
  10. É mesmo uma excelente participação! Adorei as cavalas a cavalo! :-D

    ResponderEliminar
  11. Olá

    A cavala é um peixe muito frequente em minha casa, mas não a esse preço infelizmente.
    Experimenta grelhar a cavala depois de escalada. Prepara um molho com azeite e alho para pincelar o interior, acompanha com batata cozida e legumes; divinal

    Bjs
    Sílvia

    ResponderEliminar
  12. Que engraçado! :) Por acaso é um peixe que raramente como e é bem delicioso :) Obrigado pelas sugestões!

    ResponderEliminar
  13. Que sugestão deliciosa!
    Beijinhos
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Licor de framboesa

Já referi aqui algumas vezes o quanto os meus gostos têm mudado ao longo da vida. Disso foi esse exemplo este ano ter aprendido a gostar de maracujá e frutos vermelhos. Mas muitos outros exemplos houve e a verdade é que à medida que vamos evoluímos, os nossos gostos também evoluem.Para mim o grande salto aconteceu quando comecei a cozinhar. Não gostava de cebola, ervas aromáticas, pimentos, favas, cogumelos, enfim. A lista era infindável. E a verdade é que até mesmo carne de vaca, que já não comia há mais de 15 anos, por não suportar o sabor, no outro dia abri uma exceção num curso que fiz e… GOSTEI!O importante é termos a mente aberta e dar o primeiro passo para experimentar e insistir se necessário for. Porque só assim conseguimos tirar a teima se é simplesmente um ‘não gostar’ daqueles de quem nunca provou, ou um ‘não gostar’, à séria, de quem não suporta o ingrediente x ou y.As framboesas entraram na minha vida este ano. E era daquelas antipatias crónicas. Era comum ouvirem dizer-…