Avançar para o conteúdo principal

Reportagem TVI

Na semana passada, quando menos esperava, fui contactada pela TVI 24 para falar numa reportagem sobre pessoas que fazem os seus próprios presentes de Natal, onde teria a oportunidade de mostrar os meus cabazes.

Apesar da semana difícil, mostrei-me disponível e quarta-feira passaram lá por casa para fazer a reportagem que viria a passar no domingo.

Pois bem... O dia que antecedeu estive verdadeiramente nervosa e ansiosa... Ultimaram-se os últimos licores, fizeram-se e colaram-se as ultimas etiquetas e as horas de sono acabaram adiadas.

Para me acalmar, uma hora antes da hora marcada, resolvi fazer bolachas (quem no seu perfeito juízo se haveria de lembrar de fazer algo assim, sendo mais um factor de stress?)... E em boa hora as fiz... Sem duvida que a cozinha me acalma... E MUITO!

Esta receita há muito que a faço e deve ser a receita de bolachas mais rápida que conheço. Em pouco mais de 15 minutos, amassei, moldei e cozi e fiz as delicias da família e da equipa de reportagem bem simpática que tive o prazer de conhecer. Obrigado por me fazerem sentir tão tranquila. Foram essenciais para quebrar o nervosismo.

Espero que gostem da receita. Estas bolachinhas ligam lindamente com café e farão parte de alguns dos meus cabazes. Não só porque resistem bem, mas porque nesta fase final o tempo é precioso e a rapidez com que se fazem é factor essencial, dada a velocidade a que se comem...

___________________________

Bolachas de noz

[faz 36 + ou -]


Ingredientes:

- 250 gr de miolo de noz

- 250 gr de açúcar

- 1 ovo L

- 2 colheres de sopa de farinha T55 (35 gr)


Preparação:

Coloque o miolo de noz e o açúcar no copo da Bimby e programe 5 segundos, velocidade 5. Junte o ovo e a farinha e programe 20 segundos, velocidade 5.

Retire para uma tigela e com as mãos enfarinhadas molde pequenas bolas (como se fossem brigadeiros) e espalme ligeiramente.

Pré-aqueça o forno a 200º.

Coloque num tabuleiro de forno forrado com um tapete de silicone. Estas bolachas tendem a agarrar muito. Mesmo com papel vegetal, o mesmo cola-se com facilidade ao fundo das bolachinhas.

Leve ao forno 10 minutos. Quando retirar vão parecer ainda muito moles, mas depois de arrefecidas vão ficar no ponto, secas por fora e húmidas por dentro.


Alternativa de preparação:

Coloque o miolo de noz e o açúcar num robot de cozinha e reduza a pó. Junte o ovo e a farinha e misture bem até ficar uma massa bem ligada (é normal se colar um pouco às mãos).

Com as mãos enfarinhadas molde pequenas bolas (como se fossem brigadeiros) e espalme ligeiramente.

Pré-aqueça o forno a 200º.

Coloque num tabuleiro de forno forrado com um tapete de silicone. Estas bolachas tendem a agarrar muito. Mesmo com papel vegetal, o mesmo cola-se com facilidade ao fundo das bolachinhas.

Leve ao forno 10 minutos. Quando retirar vão parecer ainda muito moles, mas depois de arrefecidas vão ficar no ponto, secas por fora e húmidas por dentro.

____________________________________

 

Comentários

  1. Muitos parabéns pela reportagem!!
    É de facto um exemplo a seguir e uma inspiração para quem lê o blog!
    Bjinho

    ResponderEliminar
  2. Muitos parabéns!
    Podias colocar o link da reportagem, gostava imenso de ver, é sempre bom ter este tipo de sugestões.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Parabéns! Também espero pelo link para ver a reportagem! :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Muitos parabéns :)
    Fico à espera do link para ver!

    ResponderEliminar
  5. Muito obrigado a todas pela simpatia e carinho com que seguem o blog. O link da reportagem esta na pagina de facebook do blog que recomendo vivamente a visitarem para diariamente receberem actualizações, e neste caso, verem a reportagem :-)

    ResponderEliminar
  6. Amiga, uma vez mais adorei ver-te ! Estavas tão à vontade que parecias uma profissional!!!
    Percebo-te bem ... eu quando estou mais ansiosa também me "enfio" na cozinha :) Estas tuas bolachinhas são excelentes! Como aliás tudo o que sai da tua cozinha!

    Beijinhos bem doces ;)

    ResponderEliminar
  7. Tenho que experimentar, ficaram com ótimo aspeto, dá vontade de as trincar :)
    Bjns
    Isabel
    http://emocaoascolheradas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Licor de framboesa

Já referi aqui algumas vezes o quanto os meus gostos têm mudado ao longo da vida. Disso foi esse exemplo este ano ter aprendido a gostar de maracujá e frutos vermelhos. Mas muitos outros exemplos houve e a verdade é que à medida que vamos evoluímos, os nossos gostos também evoluem.Para mim o grande salto aconteceu quando comecei a cozinhar. Não gostava de cebola, ervas aromáticas, pimentos, favas, cogumelos, enfim. A lista era infindável. E a verdade é que até mesmo carne de vaca, que já não comia há mais de 15 anos, por não suportar o sabor, no outro dia abri uma exceção num curso que fiz e… GOSTEI!O importante é termos a mente aberta e dar o primeiro passo para experimentar e insistir se necessário for. Porque só assim conseguimos tirar a teima se é simplesmente um ‘não gostar’ daqueles de quem nunca provou, ou um ‘não gostar’, à séria, de quem não suporta o ingrediente x ou y.As framboesas entraram na minha vida este ano. E era daquelas antipatias crónicas. Era comum ouvirem dizer-…