Avançar para o conteúdo principal

Tapioca

No outro dia, por acaso, encontrei tapioca na secção gourmet do Continente. Ja há que tempos que andava mortinha por experimentar. E confesso que nem fazia ideia do que eram, na verdade, estes grãos.

Um amigo tinha-me dito que quando era pequeno a mãe usava estes grãos na canja, em substituição do arroz ou da massinha, mas também já tinha lido que a utilização mais comum é em sobremesas...

Na embalagem referem o que são bolinhas de tapioca, que são, na verdade bolinhas de mandioca, e explicam como devem ser preparadas e cozinhadas e basicamente segui as instruções, com algumas adaptações minhas. Assim que percebi que no final seria suposto assemelhar-se à forma como se faz arroz doce ou aletria, acabei por converter um pouco a minha receita familiar destes doces a esta nova iguaria.

Pois correu muito bem e gostamos bastante cá por casa. É uma sobremesa totalmente despretensiosa, muito simples, mas nem por isso, menos recomendada a ser experimentada. Gostamos! Será para repetir com toda a certeza!

________________________

Tapioca

[fez 8 taças]


Ingredientes:

- 120 gr de grãos de tapioca

- 100 gr de açúcar

- 800 gr de leite

- 1 casquinha de laranja

- 1 casquinha de limão

- 1 pau canela

- 3 gemas de ovo L

- 1 pitada de sal

- canela em pó qb


Preparação:

Coloque os grãos de tapioca de molho, como se fosse uma leguminosa, mas apenas por duas horas.

Findo o tempo escorra a água e coloque num tacho com todos os ingredientes, excepto as gemas. Deixe levantar fervura e conte uns 5 minutos.

Numa tigela à parte misture as três gemas e junte-lhes uma colherada do creme quente e mexa bem. Aos poucos junte as gemas à tapioca, já fora do lume, e mexa bem para que as gemas se misturem com o creme e não cozam separadas.

Verta para as tacinhas e polvilhe com um pouco de canela em pó a gosto.


Nota: em termos de sabor final, fica muito semelhante ao arroz doce e à aletria. No entanto, não deixa de gerar alguma curiosidade nos miúdos e graúdos pelo aspecto redondinho.

____________________

 

Comentários

  1. As tacinhas com canela estão lindas. Adoro tapioca bem fresquinha.
    Era a sobremesa que a minha mãe me deixava fazer soznha em criança.
    Agora que tenho duas, elas não gostam :( , mas continuo a fazer :)
    Bjinhs

    ResponderEliminar
  2. Olá,
    A Tapioca pode ser encontrada na secção das Farinhas, e de certeza que será bem mais barata do que essa que compraste, na secção Gourmet do Continente.
    Eu adorava e adoro tapioca, pois a minha mãe fazia-me muito para o lanche, quando era criança. Entretanto, há pouco tempo, quando encontrei no supermercado, voltei a comprar para matar saudades e já fiz um creme de tapioca, para sobremesa que ficou delicioso. As tuas tacinhas de doce deixaram-me com água na boca :)
    Bjnhs
    Romã :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho a menor duvida! Já vou dar uma vista de olhos na próxima visita ao super!

      Obrigado!

      Eliminar
  3. Nunca provei Tapioca ou mandioca, mas só pelo aspecto já me convenceu. O arroz doce é das minhas sobremesas preferidas e o aspecto parece-me semelhante, estou por isso tentado a experimentar. ;)
    beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Célio, para mim é muito idêntico a arroz doce... Ainda que prefira arroz doce :-). Mas acho que vais gostar, é muito interessante

      Eliminar
  4. Comi tapioca a primeira vez há uns 15 dias em casa de uma amiga brasileira e gostei bastante.
    Essa esta com bom aspeto também.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Licor de framboesa

Já referi aqui algumas vezes o quanto os meus gostos têm mudado ao longo da vida. Disso foi esse exemplo este ano ter aprendido a gostar de maracujá e frutos vermelhos. Mas muitos outros exemplos houve e a verdade é que à medida que vamos evoluímos, os nossos gostos também evoluem.Para mim o grande salto aconteceu quando comecei a cozinhar. Não gostava de cebola, ervas aromáticas, pimentos, favas, cogumelos, enfim. A lista era infindável. E a verdade é que até mesmo carne de vaca, que já não comia há mais de 15 anos, por não suportar o sabor, no outro dia abri uma exceção num curso que fiz e… GOSTEI!O importante é termos a mente aberta e dar o primeiro passo para experimentar e insistir se necessário for. Porque só assim conseguimos tirar a teima se é simplesmente um ‘não gostar’ daqueles de quem nunca provou, ou um ‘não gostar’, à séria, de quem não suporta o ingrediente x ou y.As framboesas entraram na minha vida este ano. E era daquelas antipatias crónicas. Era comum ouvirem dizer-…