Avançar para o conteúdo principal

O que tem Janeiro?

Se a minha bisavó imaginasse que praticamente há cerejas ou tomate, nas prateleiras dos supermercados, o ano inteiro, revolvia-se no tumulo e voltava à vida para me dar uma belinha e chamar-me tolinha.

A verdade é que até poderá saber bem comer uma determinada fruta ou legume fora da época normal, mas convenhamos que a nossa saúde financeira pode ficar em maus lençóis, para além da sustentabilidade das gerações futuras poder estar em risco…

Até me podem dizer que a maior parte dos produtos que se vendem nas grandes superfícies já são praticamente de fora, o que financeiramente acaba por ser ela por ela, já que é tudo importado… Sim, mas uma coisa é comprar algo da época, importado de Espanha, outra coisa é comprar algo fora da época que terá de ser importado do outro lado do mundo… Alimentos que são colhidos verdes e amadurecidos à pressão, no caminho até ao destino, perdendo grande parte dos nutrientes e vitaminas. Já pensaram nisso? Sim é isto que explica a diferença de preços e sabor entre uma manga “Via Aérea” e uma manga comum, por exemplo.

Felizmente já se assiste a algum retrocesso (neste caso, no bom sentido). Há uma maior procura por produtos comprados diretamente no produtor, ou pelo menos uma maior preocupação em saber a origem dos alimentos. Já se vê mais gente nas praças. Já se vê gente a cultivar.

Mas por vezes é difícil resistir à tentação de comermos cerejas em Dezembro… Para além da enorme dificuldade em saber quais as frutas e legumes da época! As gerações passadas comiam o que a terra dava. Conheciam os ciclos. Nós comemos o que as prateleiras do supermercado disponibilizam, a nossa carteira permite e até o que os nossos desejos evocam…

Numa tentativa de sermos sustentáveis, é importante começarmos a fazer escolhas inteligentes – alimentos da época, mais nutritivos e mais baratos.

Nesse sentido, mensalmente tentarei dar-vos uma ideia de quais os frescos que podem escolher e incluir na vossa alimentação diária e deixar-vos algumas sugestões feitas com esses legumes e frutas. Façam a experiência um mês e contem-me como correu convosco. Combinado?

Assim sendo, este mês é o melhor mês para comprarem:

Frutas

Frutos Secos

Legumes

Abacate

Amêndoa

Abóbora

Chicória

Rabanete

Ananás

Noz

Acelga

Couve de Bruxelas

Rábano

Anona

Pinhão

Agrião

Couve lombarda

Repolho

Banana

Aipo

Couve portuguesa

Rúcula

Laranja

Alface

Endívia

Limão

Alho francês

Espinafres

Maçã

Beterraba

Funcho

Pera

Brócolos

Grelos

Kiwi

Cebola

Nabiças

Tangerina

Cenoura

Nabo

Fonte: Deco


Para vos inspirar deixo algumas sugestões já publicadas, seja para o pequeno almoço/lanche, snacks, almoço, jantar, enfim... É só carregarem no link por baixo das fotos para chegarem às receitas.


Abacate

Ananás

Sumo de fruta, linhaça e cidreira

Ananás com xarope de groselha

Petit Suisse de ananás

Banana

Batido de iogurte com banana e raspas de laranja

Iogurte Banoffee (banana e caramelo)

 

 

Batido de coco e banana

Laranja

Iogurte de chocolate e curd de laranja

Bolo de laranja caramelizado

Maçãs assadas aromáticas

Creme burle com laranja e alfazema

Salada de laranja, queijo feta e sementes

Couscous com espinafres, tomate seco, pinhões e laranja

Salteado de Peru, laranja, alecrim e caju

Pato assado

Limão

 

Bolo de limão com sementes de papoila

Linguado Au Meunier

Quadrados de limão

Iogurte cheesecake de limão

Tarte de limão merengada

Maçã

Tarte de maçã

Tarte de maçã escondida

Pudim de maçã

Bolo de maçã com cobertura crocante

Queques de maçã

Lombo de porco recheado

Risotto de cogumelos, maçã, agrião e chévre

Salada de bulgur com legumes grelhados

Pêra

Doce de pêra

Galette de Róis com pêra

Batido de pêra, menta e canela

Bolo de avelãs e pêra com crumble

Tarte Tatin de pêra

Salada de pêra, queijo azul e nozes

Tarte de queijo azul, pêra e nozes

Amêndoa

Bolo de amêndoa com doce de ovos

Tarte de amêndoa

Peitos de frango recheados com cobertura de amêndoa

Nozes

Almofadas de chévre com maçã, pêra, mel e nozes

Bolachas de noz

 

E como o post vai já longe, os legumes ficam para amanhã, sim?

_____________________

 

Comentários

  1. Eu tenho tentado comprar legumes e fruta em mercearias. Mas ainda há tanto para aprender sobre o tema. Encontrei esta lista: http://www.deco.proteste.pt/alimentacao/produtos-alimentares/dicas/fruta-legumes-epoca-ideal

    Excelente post, Sónia.

    Beijitos*

    ______________________
    Ana Teles | Telita
    blog: Telita na Cozinha


    ResponderEliminar
  2. A tua publicação está muito boa.
    Vai ajudar muita gente
    Excelente
    Beijinhos querida
    Lúcia

    ResponderEliminar
  3. Só boas sugestões. Nós cá em casa tentamos sempre comprar "coisas" de época e de produtores locais. beijinhos e um bom ano ;)

    ResponderEliminar
  4. Olá. Gosto imenso do seu blog. E gostava de fazer o bolo de beterraba e chocolate, mas não o consigo abrir!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…