Avançar para o conteúdo principal

Entradas!

Apesar de ter uma enorme paixão pela cozinha, apesar de gostar de experimentar coisas novas, apesar de ter um vasto número de livros, blogs e sites onde me inspiro, quando mais preciso nem sempre as ideias fluem à velocidade desejável. Pode-se dizer que tenho crises de desinspiração. Sim é verdade!

Quando a Lúcia do Barriguinhas me convidou para participar com ela num Workshop perguntou-me se queria fazer uma entrada salgada ou se preferia fazer um doce. Na altura disse, sem hesitar, que preferia uma entrada salgada. Adoro petiscar! Sim, também sou gulosa, mas é mais desafiante para mim pensar numa entrada salgada do que propriamente em sobremesas…

Quando duas semanas depois do convite ainda estava sem ideias nenhumas do que fazer, o pânico começou a instalar-se… Só me ocorriam clichês, entradas mais que vistas, nada que me identificasse como cozinheira, como blogger.

Depois do Natal, sentei-me um bocadinho sozinha a pensar no assunto e sabia que tinha de dar uma resposta definitivamente à Lúcia. Ao fim de um brainstorm pouco produtivo lá me decidi por duas entradas: ESTA e ESTA. Se não conseguia pensar em algo novo para fazer, tinha de utilizar o que tinha. E depois pensei que só tinha de olhar para o blog, o meu livro de receitas, e escolher de tudo, o que mais gostava de comer. Demorou 5 minutos. Sentia-me uma mulher nova, mais leve, sem a pressão de decidir o que fazer. Não queria deixar mal a Lúcia ou as pessoas que tinham despendido dinheiro para fazer aquele workshop.

Escolhida a entrada, claro está que nos dias seguintes, a inspiração voltou… E acho que ainda hoje, a escrever este texto, me ocorrem um sem número de entradas que gostaria de fazer naquele dia… E que dariam uma ótima entrada para o workshop

E foi num desses picos de inspiração que esta receita nasceu… E que tem feito as delicias de todos que provam esta verdadeira provação. Porque se em termos de sabor são algo do outro mundo, na verdade a tortura que é esperar que estejam prontos desafia todos os limites do razoável… Que cheirinho pela casa.

Não há desculpas para não experimentar algo assim – é barato, tem quatro ingredientes, é rápido e é do outro mundo…. Experimentem e contem-me.

_______________________

Asas de frango no forno


Ingredientes:

- 10 asas de frango (parte de baixo da asas)

- 5 colheres de sopa generosas de queijo parmesão ralado

- 2 colheres de sopa de orégãos secos

- sal, alho em pó e azeite qb


Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º. Tempere as asas com um pouco de sal, alho em pó e um fio de azeite só para ajudar os temperos a colar nas asas.

Num prato, coloque o queijo misturado com os orégãos. Misture e passe cada uma das asas nesta mistura. Disponha as asas num tabuleiro de forno forrado com um tapete de silicone (experimentei com papel vegetal mas cola um bocadinho durante o processo de caramelização). Leve ao forno por 15 minutos e findo o tempo volte as asas. Deixe ficar mais 15 a 20 minutos e sirva. Hummmmm…


Nota: são quantidades referenciais que devem ser aumentadas ou diminuídas em função do numero de asas que vai fazer.

_______________________

 

Comentários

  1. Eu prefiro também petiscos salgados...

    Tenho a dizer que adorei estas asinhas, e com queijo melhor ainda!

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Eu também adoro salgados e estas asinhas, sim, devem ser do outro mundo mesmo!!
    Beijinhos grandes,
    Lia.

    ResponderEliminar
  3. Como adoro petiscos... E asinhas de frango então...
    Nao fazer ideia quantas receitas diferentes ja fiz...
    Tão boas devem estar estas.
    Beijinhos
    http://come-bebe-sorri-e-ama.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Normalmente é sempre assim, quando queremos não ocorre nada, e só depois é que a inspiração vem. mas devo dizer que qualquer uma das receitas escolhidas me parece deliciosa. quanto ás asinhas têm um aspecto divinal!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Sabes Sónia? Cada vez me sinto mais mulher de petiscos e de petiscar.
    Será da idade ? Sei que vamos mudando os nossas preferências alimentares à medida que o tempo passa por nós. Mas estou a adorar este meu novo estado de alma :)
    Obrigada por mais esta deliciosa partilha.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  6. É sempre assim, deve ser da ansiedade mas, eu gostei muitos dos pastéis que fiz e comi :)
    Bom fim de semana
    Bjs, Susana
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/
    https://www.facebook.com/Tertuliadasusy

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Sobras de salmão

E quando a vida nos dá sobras de salmão o que fazer? Bom, desfiá-lo e fazer um salada fria? Sim é uma hipótese. Desfiá-lo e fazer uma quiche? Porque não? Fazer umas pataniscas de salmão, ou um paté de salmão? Ora… Uns rissóis? Hum… Não! Apetecia-me algo diferente…Mistura de um lado, mistura do outro e assim nasceram estes hambúrgueres. Muito simples mas que permitiram que 200 gr de salmão, que não davam para uma refeição para dois, fizessem duas refeições para dois!!! Sim porque se à noite fui comedida e acompanhei com salada, no dia seguinte foi uma excelente opção para a marmita, entre duas fatias de pão de hambúrguer, tomate e alface. Nham!!!______________________ Hamburgueres de Salmão com mayonese de caril e cebolinho[fez 9 hamburgueres]
Ingredientes:
Para os hambúrgueres:- 200 gr de salmão cozinhado- 1 cebola pequena picada- 2 batatas médias- 1 cenoura pequena- 3 colheres de sopa de coentros picados- 10 azeitonas- 1 colher de chá de açafrão- sal e pimenta qb- pão ralado qb- azeite …