Avançar para o conteúdo principal

Apetece-me algo

sítios que conseguem despontar o melhor de nós, o que de mais genuíno temos, a simplicidade... Há sítios descomplicados, onde a parafernália da grande cidade fica à porta e onde somos obrigados a reinventar, a fazer como as nossas avós.

Assim é no sitio que me habituei a chamar a minha terra. O sitio pelo qual trocava tudo. O sitio onde respiro, onde só tenho 4 canais de televisão, onde a minha filha ganha cores e come melhor, onde sou feliz. O sitio onde a senhora do peixe me reconhece, porque visita o meu blog, o sitio onde a fruta sabe a fruta, o peixe cheira a mar e a carne não nasce nas paletes do supermercado.

Um sitio onde um perfeito desconhecido me oferece doce, legumes da horta e ovos. Um sitio onde compro framboesas ao produtor, acabadas de colher...

Não tivesse eu uma criatura pequena e a responsabilidade de lhe dar todas as oportunidades do mundo, e trocava Lisboa por esta vida. De caras! Mas isso sou eu, que já conheci mundo... E que por isso tenho já a certeza de onde me sinto bem. Mas que hipóteses teria uma criança aqui? Que futuro, que portas, que opções seriam vedadas? Seria justo? Talvez não... E por isso, venho para aqui sempre que posso ou preciso em busca do que deixo sempre aqui quando regresso a Lisboa - a minha paz...

Tudo isto para vos contar que hoje me apeteceu um doce... Em Milfontes, sem os meus livros de culinária e o acesso 24 horas à internet, sem a minha Bimby, sem os ingredientes que tenho na minha despensa de Lisboa...

Tinha limões e ovos que me deram, suspiros perdidos que tinha de compra, framboesas compradas hoje perto da Zambujeira do Mar, directamente ao produtor e iogurtes gregos...

Não precisei de mais para fazer uma sobremesa rapidíssima e para lá de fantástica. A ode à simplicidade rural, comida à lareira, numa noite de outono em família. Sou feliz...

_______________________

Taças de iogurte grego, framboesas e creme de limão

[faz 4 taças]


Ingredientes:


Para o creme de limão:

- 5 gemas M

- 180 gr de açúcar

- raspa de 1 limão

- 100 gr de sumo de limão (3 limões pequenos)

- 80 gr de manteiga


Para montar as taças:

- 1 caixa pequena de framboesas (150 gr)

- 8 suspiros

- 2 iogurtes gregos

- 2 colheres de chá de mel


Preparação:

Num tacho junte as gemas (passadas num passador de rede), o açúcar e o sumo de limão e leve ao lume em lume brando, mexendo sempre com uma vara de arames. Junte a manteiga em pedaços pequenos e a raspa de limão e deixe engrossar. Não deixe levantar fervura. Como não gastei tudo na sobremesa, coloquei o restante creme num frasco esterilizado no frigorifico (aguenta 2 semanas).

Misture bem o iogurte grego com o mel e distribua pelas tacinhas. Coloque dois suspiros partidos grosseiramente em cada taça por cima do iogurte e as framboesas bem lavadas e secas. Termine com colheradas de creme de limão e um pouco de suspiro desfeito.

Delicie-se...

_____________________

 

Comentários

  1. É fantástico ter um local assim, onde se pode voltar e encontrar paz.
    A sobremesa ficou fantástica e com um ar bastante apetitoso!

    ______________________
    Ana Teles | blog: Telita na Cozinha

    ResponderEliminar
  2. As coisa boas da vida são mesmo assim, simples e boas :) Adorei a sugestão!

    _____________________
    aculpaedasbolachas.com

    ResponderEliminar
  3. Também nasci e fui criado numa pequena aldeia, muito longe do reboliço da cidade. Mas tal como tu, as circunstâncias da vida truxeram-me para aqui! E de cada vez que visito a "terrinha", é uma lufada de ar fresco, um carregar de baterias que não tem explicação.
    Esta sobremesa ficou fantástica, ou não fosse quase toda ela feita com produtos frescos e caseiros. Uma pequena maravilha, adorei. ;)
    Beijinho e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. É tão bom regressar às "raízes" ;) E saiu uma bela sobremesa do que tinhas em casa. Não é preciso muito para se fazerem coisas boas, basta ter alguma imaginação. beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que delícia!
    tenho sorte de continuar a morar numa aldeia mas infelizmente por aqui não há framboesas - eu pelo menos desconheço:)

    Boa semana!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Hmm, que delícia!!! Ficou uma bela sobremesa, muito elegante, e muuuito deliciosa, sem dúvida! Vale a pena experimentar! Parabéns! ;))

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Sobras de salmão

E quando a vida nos dá sobras de salmão o que fazer? Bom, desfiá-lo e fazer um salada fria? Sim é uma hipótese. Desfiá-lo e fazer uma quiche? Porque não? Fazer umas pataniscas de salmão, ou um paté de salmão? Ora… Uns rissóis? Hum… Não! Apetecia-me algo diferente…Mistura de um lado, mistura do outro e assim nasceram estes hambúrgueres. Muito simples mas que permitiram que 200 gr de salmão, que não davam para uma refeição para dois, fizessem duas refeições para dois!!! Sim porque se à noite fui comedida e acompanhei com salada, no dia seguinte foi uma excelente opção para a marmita, entre duas fatias de pão de hambúrguer, tomate e alface. Nham!!!______________________ Hamburgueres de Salmão com mayonese de caril e cebolinho[fez 9 hamburgueres]
Ingredientes:
Para os hambúrgueres:- 200 gr de salmão cozinhado- 1 cebola pequena picada- 2 batatas médias- 1 cenoura pequena- 3 colheres de sopa de coentros picados- 10 azeitonas- 1 colher de chá de açafrão- sal e pimenta qb- pão ralado qb- azeite …