sábado, 11 de maio de 2013

Uma tarte, 7 pecados!

Véspera de dia da mãe e ainda não decidi o bolinho que lhe vou fazer… Ofereci-lhe um livro com alguma antecedência, com o intuito de ser um presente de dia da mãe, mas queria dar-lhe mais qualquer coisa, mostrar-lhe que me lembrei do dia, porque não é por sermos mães que deixamos de ser filhas…

Os dias têm sido frustrantemente intensos, as horas parece que se transformaram em minutos e as solicitações das mais variadas origens têm-me atordoado na minha espécie de ordem diária [ténue e periclitante] de prioridades.

Se tudo isto já torna complexa a escolha, na verdade o palato da minha mãe é algo diferente do meu, ainda que doces sejam sempre doces, e ela seja uma das inúmeras fãs. A minha mãe gosta de coisas simples, tradicionais, saciantes. Eu adoro fazer experiências, misturar texturas, afastar-me claramente do tradicional. Pois… Vislumbrava-se uma escolha complexa…

Resolvi ligar-me à blogosfera e se há desígnios que não se refutam, o meu caminho foi dar ao blog Sabores com história, um blog que sigo há já algum tempo e que me prende toda a atenção. E os meus olhos aterraram na tarte perfeita, simples, mas com o aspeto de ‘come-me rapidamente, sem demora’ que pretendia. Estava decidida a receita. Era só uma questão de me organizar da parte da manhã, para que à tarde estivesse pronta para ser oferecida.

Mas mais uma vez os desígnios levaram-me noutro caminho… A minha avó ligou-me a dizer que o meu avô tinha ido para o Hospital no dia anterior e que precisava que a ajudasse com os medicamentos na farmácia… Fiquei sem manhã, sem disposição e com os radares apontados noutra direção…

Quando consegui que tudo estivesse estável e controlado eram já 16h e a minha mãe entrava pela casa a dentro… Estava a espalhar a base nas tarteiras. Claro que quando foi embora as tartes nem a meio estavam… Mas também não me descosi e não lhe disse que o objetivo era oferecer-lhas.

Eram 19:30 quando finalmente terminei as tartes. Estava orgulhosa do meu trabalho, muito orgulhosa e pedi ao Mário para levar uma das tartes a casa da minha mãe.

Quando chegou passámos à sessão fotográfica e depois à prova. E de sabor ultrapassou todas as expectativas… A prova de que ‘menos’ às vezes é ‘mais’. Nem sempre é preciso complicar, ou utilizar listas de supermercado de ingredientes. Às vezes as coisa simples são as melhores.

Quando olhei para as fotos que tinha tirado lembrei-me de imediato no passatempo que está a decorrer até 31 de Maio no blog Limited Edition.

O passatempo consiste em criar uma receita baseada nos 7 pecados mortais. E se esta tarte não encaixa em três ou quatro pecados, que outra encaixará??? De aspeto imaculado e inofensivo, é na verdade viciante e sorrateiramente capaz de levar um ser humano a pecar uma e outra vez, até que todas as migalhas tenham desaparecido.

O difícil, foi por isso, escolher o pecado…

Lembrei-me de concorrer com a ‘inveja’ já que assim que vi a tarte no blog da Liliana a quis só para mim… Mas, dado que o propósito era o ‘dia da mãe’ não me ficaria bem encaixá-la neste pecado.

Pensei então na ‘avareza’, porque apesar de as ter feito para oferecer, depois de feitas, tive dificuldade em partilhá-las… Eu sei… É um sentimento feio, mas é difícil resistir ao creme delicioso, à massa no ponto certo e aos morangos e maracujá a brilharem no topo da tarte… O chamariz perfeito para o avaro mais devoto.

Tudo porque esta tarte comete também o pecado da ‘soberba’. Enquanto era fotografada, exuberante no alto do seu pedestal, parecia que tinha o rei na barriga, que era a sobremesa mais vistosa e deliciosa criada pelo homem. Não anda longe, confesso, mas só porque me fez quebrar a dieta, apeteceu-me contrariá-la…

Lembrei-me então da ‘ira’… A certa altura senti-me capaz de cometer um crime se alguém ousasse roubar a última tarte do frigorífico. Claro está que para evitá-lo, comi a última e a penúltima (OPS!).

O salto para a ‘gula’ parece óbvio e natural… O impulso para devorá-las, de uma assentada só, esteve sempre latente. Uma vontade primitiva reprimida, mas depois da primeira dentada, esquecem-se os talheres e a etiqueta. Parece tarefa impossível evitar a vontade de as comer, simplesmente comer…

Foi quando fiz o desenho mental da ‘preguiça’… A cada dentada é como se o tempo me escapasse por entre os dedos, numa calma indulgente enquanto se trinca outro e outro pedaço, sem regras, num lambuzar espontâneo… Num momento sem pressa, só meu!

Mas, se tentar isolar apenas a essência da tarte, o seu sabor, o pecado que a melhor a descreve é sem dúvida a ‘luxúria’, é verdadeira pornografia culinária. Apesar do seu aspeto imaculado, singelo, inocente, é na sua essência uma receita singular, provocadora, sensual e erótica, capaz de levar ao prazer e à loucura quem dela prove. Os cinco sentidos em uníssono num caminho sem retorno, numa compulsão capaz de motivar os restantes seis pecados mortais. Numa só palavra – A Tentação.

Ainda que a receita não esteja na integra fiel ao original do blog Sabores com História, senti que era importante para mim, para além de dar os devidos créditos que dou sempre a quem de direito, receber a autorização da Liliana para participar com esta receita, já que foi ela que me serviu de inspiração. Autorização recebida, é com enorme orgulho que apresento esta receita que tanto sucesso fez cá por casa. Espero que gostem!

Ah! Já me esquecia… A minha mãe adorou!!!! E eu fiquei felicíssima!

___________________

Tarte de morango e maracujá

(Faz 2 tartes de 24 cm, ou 1 tarte de 24 cm e 6 pequenas tartes)


Ingredientes:


Para a massa brisée:

- 50 gr de açúcar

- 45 gr de leite

- 2 gemas M

- 300 gr de farinha T55

- 150 gr de manteiga


Para o recheio:

- 1 litro de leite meio gordo

- Raspa de meio limão (só o vidrado, sem a parte branca)

- 1 pau de canela

- 120 gr de açúcar

- 6 gemas M

- 65 gr de amido de milho (@Maizena)

- 3 folhas de gelatina

- Morangos qb (usei uns 10)

- Maracujá qb (usei 2)


Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º.

Começando pela massa brisée, coloque o açúcar no copo da Bimby e pulverize 15 segundos, velocidade 7. Adicione os restantes ingredientes da massa e programe 15 segundos, velocidade 5.

Divida a massa ao meio e estenda numa superfície enfarinhada com o auxilio de um rolo da massa. Em alternativa vá pressionando com os dedos na base até que consiga tender e cobrir toda a superfície da tarteira. Pique com um garfo e leve ao forno 15 minutos. Findo o tempo, retire e deixe arrefecer por completo.

Prepare o recheio, coloque 900 gr/ml de leite no copo da Bimby, o pau de canela e a casca de limão e programe 8 minutos, 90º, velocidade 1. Findo o tempo, retire a casca de limão e o pau de canela.

Numa tigela hidrate as folhas de gelatina (em água fria) cerca de 5 minutos.

Numa outra tigela misture o açúcar com o amido de milho e junte as gemas mexendo bem com uma vara de arames para que não fique com grumos. Junte 100 gr/ml de leite frio e mexa uma vez mais.

Junte cerca de 1/3 do leite quente aromatizado, em fio, à mistura de ovos.

Entretanto, volte a programar a Bimby 8 minutos, 70º, velocidade 3 e vá adicionando aos restantes 2/3 de leite quente a mistura de ovos, em fio, pelo bocal do copo da Bimby. Findo o tempo, junte as folhas de gelatina hidratadas (sem a água) e programe mais 4 minutos, 90º, velocidade 3 para engrossar. Findo o tempo, retire e deixe arrefecer por completo.

Depois do recheio frio, distribua pelas bases de tarte e leve ao frigorifico no mínimo 2 horas.

Findo o tempo, lamine os morangos e distribua por cima. Abra os maracujás e distribua por cima dos morangos. Coma bem fresquinha.


Alternativa de Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º.

Começando pela massa brisée, misture os ingredientes secos numa tigela (utilize açúcar em pó, em vez de açúcar refinado). Adicione os ingredientes líquidos no centro e vá amassando aos poucos até obter uma massa lisa que não se cole aos dedos.

Divida a massa ao meio e estenda numa superfície enfarinhada com o auxilio de um rolo da massa. Em alternativa vá pressionando com os dedos na base até que consiga tender e cobrir toda a superfície da tarteira. Pique com um garfo e leve ao forno 15 minutos. Findo o tempo, retire e deixe arrefecer por completo.

Prepare o recheio, leve ao lume 900 gr/ml de leite com um pau de canela e uma casca de limão. Deixe aquecer, mas não deixe ferver.

Numa tigela hidrate as folhas de gelatina (em água fria) cerca de 5 minutos.

Numa outra tigela misture o açúcar com o amido de milho e junte as gemas mexendo bem com uma vara de arames para que não fique com grumos. Junte 100 gr/ml de leite frio e mexa uma vez mais.

Junte cerca de 1/3 do leite quente aromatizado, em fio, à mistura de ovos, mexendo sempre para não cozer.

Vá adicionando aos restantes 2/3 de leite quente a mistura de ovos, em fio, mexendo sempre. Junte as folhas de gelatina hidratadas (sem a água) e leve ao lume, muito brando, para engrossar. Estando pronto, deixe arrefecer por completo.

Depois do recheio frio, distribua pelas bases de tarte e leve ao frigorifico no mínimo 2 horas.

Findo o tempo, lamine os morangos e distribua por cima. Abra os maracujás e distribua por cima dos morangos. Coma bem fresquinha.

_______________________

Receita baseada na tarte de leite creme e morangos do blog Sabres com História.

_____________________

 

25 comentários:

  1. E penso que fiquei a conhecer um novo blogue com esta receita. Muitos parabéns pelos teus inúmeros pecados! Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pela participação, está lindísssima!!!
    Da participação a cada uma das tuas palavras, estou maravilhada. Mto bem conseguida!

    **
    Aida

    ResponderEliminar
  3. Ai que lindas e tão boas. Adoro maracujá e ainda mais morangos, juntos é uma maravilha :) beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Hummm...que maravilha!
    Adoro este tipo de tarte, frescas e reconfortantes :)
    beijinhos e um bom fim de semana :)

    ResponderEliminar
  5. Sim, são os 7 pecados escarrapachados nesta tentação!!!!Que maravilha!
    Bjoka
    Rita

    ResponderEliminar
  6. Quando comecei a ler o post, pensei, está tolinha!! Mas depois é que me dei conta!! Deixa lá... Por aqui ainda nao estou em sintonia!!
    Adiante... Eu ja estou como tu, este pedaço tarte pode ser identificada em todos os pecados!! Oh meu Deus... Como pode um comum mortal resistir a tanta tentção?? Tentadora...
    Um beijinho grande.

    ResponderEliminar
  7. Que tentação de tartes! Ficaram lindas e são um verdadeiro pecado, sem dúvida. ;) Beijinhos.

    Célio Cruz
    http://sweet-gula.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Adorei a história e que maravilha de tartes! Pecaminosas, disso não há dúvida! ;)

    ResponderEliminar
  9. excelente participação! Ficaram lindas!

    Beijinhos e bom fim de semana;

    Aurea Sá

    ResponderEliminar
  10. Claro que adorou, eu também ia adorar! :) E ficou linda, parabéns!

    ResponderEliminar
  11. Que aspeto bem delicioso :D Adoro maracujá, e de certeza ia gostar imenso desta receita :D

    Beijinhos e tem um bom fim-de-semana :D

    ResponderEliminar
  12. Que tartes tão lindas, ficaram com um aspecto delicioso! Adoro maracujá, acho que não lhes resistia :)

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  13. Olá...
    Que bela sugestão....
    Beijocas...

    http://nacozinhadaleonor.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. óptima participação! Ficou linda e bem tentadora ;)
    beijinhos
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. Vim te conhecer e gostei muito de tudo o que vi... Com certeza voltarei muuuuiiitas vezes, pois já estou te seguindo.
    Adorei a receita.... Huuuuummmmm!!!!
    Aproveito a oportunidade para te convidar a visitar o meu Blog. Lá as postagens são diárias, e tem de tudo um pouco: Receitas, Dicas, Artesanato... E seria um prazer ter a sua companhia como minha seguidora
    Beijos Márcia (Rio de Janeiro - Brasil)

    http://decolherpracolher.blogspot.com

    ResponderEliminar
  16. Ficou tão linda que parece uma jóia amiga! A tua mãe deve ter adorado :)
    Deliciosa,adorei.
    Beijinhos e um bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  17. Que texto fantástico, sem falar das tartes, claro!

    ResponderEliminar
  18. Minha querida,

    A tua tarte está fantástica e com um ar exuberante mesmo ! :)

    Compreendo perfeitamente a dificuldade que tiveste em lhe atribuir um pecado, pois se todos se lhe adequam ! :))
    Mas a luxúria é uma excelente escolha pois que nos provoca sedutoramente !

    Adorei ler-te, adorei o teu texto, adorei a tua tarte, aplausos querida pela tua participação ! :)

    Beijinhos grandes


    ResponderEliminar
  19. Tantos pecados??? Mas, eu não me importaria nada de pecar a comer uma tarte dessas, que ficou lindissima.
    Boa semana
    Kiss, Susana
    Nota: Ver o passatempo a decorrer no meu blog:
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/p/passatempos.html

    ResponderEliminar
  20. Bem... acho que nem tenho comentários possíveis.... A não ser que... vou ter que fazer esta receita :D
    Jinhussss

    ResponderEliminar
  21. Ficou linda esta tua tarte e é sem dúvida um pecado não comê-la e saboreá-la!
    Beijinhos e uma boa semana

    Participa no giveaway:
    https://www.facebook.com/media/set/?set=a.566563416722275.1073741831.470943959617555&type=3

    ResponderEliminar
  22. Olá, querida!

    Pecado pouco, é bobagem!

    Que delicia!

    Sobremesa divina! Adorei.

    Um abração.

    Fábio.

    ResponderEliminar