Avançar para o conteúdo principal

Tortilhas de frango

A tentativa de comermos melhor, de forma mais saudável e equilibrada, tem continuado cá por casa. Tento chamar assim, porque o nome ‘dieta’ deixa-me com urticária e numa ansiedade imensa que se traduz numa vontade louca de comer asneiras…

Numa destas noites lembrei-me de fazer uns crepes de frango para levar no dia seguinte para o almoço no trabalho. Uns crepes simplificados, que na verdade não levam na sua composição crepes, mas tortilhas mexicanas que enrolo como se fossem wraps ou mesmo crepes… confuso?

Gramatica à parte, adoro refeições assim e normalmente preparo um molho à base de maionese e caril, que acho que liga lindamente com frango, ou então utilizo abacate esmagado, para dar a cremosidade que faz falta no conjunto. Mas os abacates na fruteira estavam demasiado verdes… E, dado que estamos a tentar comer melhor, utilizar maionese não é opção…

Em busca de inspiração abri o frigorífico e dei de caras com os queijos da Marinhas, recém recebidos, ao abrigo da parceria realizada com o blog. E quando vi a bisnaga de queijo creme claro está que percebi logo como ia dar a volta ao assunto. Especialmente porque o queijo tem menos 30% de gordura!!!!

Tenho de confessar que quando vi pela primeira vez a bisnaga pensei “quem se lembraria de colocar queijo numa bisnaga?”. Depois desta experiência fiquei certa do quanto pode ser prático de utilizar e da qualidade superior dos lacticínios. Estou ansiosa por experimentar o resto da gama! Já ando com umas ideias…. Sempre na ótica do ‘comer melhor’, prometo!

_______________________

Wraps de frango lights

[fez 6]


Ingredientes:

- queijo de bisnaga das marinhas

- rúcula

- folhas de alfarce

- 1 peito de frango

- 7 tortilhas (usei de trigo com alho e salsa do Lidl)

- 1/2 pepino

- 1 tomate

- 2 dentes de alho

- tomilho

- sal e azeite qb


Preparação:

Corte o peito em bifes e tempere com sal, e tomilho seco. Aloure num pouco de azeite e tire e desfie. Aloure o alho em lâminas e reserve.

Aqueça cada tortilha (sem gordura, numa frigideira antiaderente), para facilitar o enrolar e comece por queijo, de seguida alface, rúcula, pepino e tomate, o frango desfiado e termine com o alho. Repita até esgotar os ingredientes. Enrole e está pronto a comer ou levar na marmita!

_______________________________

 

Comentários

  1. Ficou um refeição deliciosa!
    beijinhos e um bom dia :)

    ResponderEliminar
  2. Esse queijo é fantástico, cá em casa adoramos.

    ResponderEliminar
  3. Adoro wraps, são tão simples e saudáveis! :D

    Beijinhos e tem um óptimo dia! :D

    ResponderEliminar
  4. Nunca comprei este queijo, mas confesso que fiquei tentada a experimentar :) Adoro este tipo de refeição. Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que belo petisco, bem saudavelzinho!
    Kiss, Susana

    ResponderEliminar
  6. Estão uma delícia!
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  7. Saudavel, delicioso e perfeito para levar na marmita

    ResponderEliminar
  8. Muito bom, também gosto muito. Não conheço esse queijo de bisnaga.

    Beijocas

    Paula

    ResponderEliminar
  9. Decididamente tenho que começar a mudar a minha lista de compras!!
    Mas as refeiçoes ca em casa sao solitarias e penso sempre nos catraios! MAs olha que se calhar até comeriam assim o wrapss!! Eu como de certeza e vou experimentar!! Essa do queijo na bisnaga é um invento! Evitas sujar facas!!!
    :))
    Beijinhos muitos!

    ResponderEliminar
  10. E ficou uma deliciosa refeição.
    Já usei esse queijo é mesmo muito bom.
    bjs

    ResponderEliminar
  11. Que coisa boa Sónia !!! Adoro estas refeições assim: Simples , Saborosas , Saudáveis e cheias de cor!
    Beijinhos doces amiga :)

    ResponderEliminar
  12. Adoro este tipo de wraps... a alusão a comida mexicana deixa-me logo mais bem disposta!
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Parece Delicioso… Huuuuuuuuuuuummmmmmmmmmmm!!!
    Fiquei com "água na boca" :0)
    Beijos Márcia (Rio de Janeiro - Brasil)

    http://decolherpracolher.blogspot.com

    ResponderEliminar
  14. Eu gosto muito destas refeições e com o tempo a melhorar, sabem mesmo bem pratinhos mais leves! Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Que óptima sugestão, Sónia! É uma receita até bastante simples, ideal para um piquenique, ou para um lanche ajantarado de Domingo.
    Adoro este tipo de refeição. ;)
    Beijinho.

    Célio Cruz

    ResponderEliminar
  16. Que bom aspecto e agora com este solinho apetece algo mais fresco!

    ResponderEliminar
  17. Estes pratinhos mais leves sabem sempre tão bem e com os dias quentes ainda mais! Ótima sugestão!

    ResponderEliminar
  18. Olá, querida!

    Que lindas ficaram essas tortilhas!

    Vontade de fazer agora para o jantar! Perfeitas!

    Adorei.
    Um abraço, Fábio.

    ResponderEliminar
  19. Que tortilhas deliciosas, aqui em casa também gostamos muito com frango :) Ficou uma refeição bem boa. Esse queijo ainda não conheço, ver se quando for aí me lembro de trazer para experimentar:) beijinhos e bom fds

    ResponderEliminar
  20. Minha querida, obrigada pelo carinho... a palavra dieta também só me faz cometer loucuras, prefiro abster-me de pensar sequer nela... gostei bastante da tua sugestão mas o queijo é que nem em bisnaga... Assim em crú não consigo comer queijo... Mas nas férias terei de o trazer comigo pois o companheiro é apreciador e de vez em quando há que satisfazer vontades...

    beijinhos e boa semana!

    ResponderEliminar
  21. Olá Sonia :)

    Uma refeição bem saudável, nutritiva e deliciosa nos trazes, com a mais valia do sabor do queijo das Marinhas, que é absolutamente fantástico ! :)
    Vais adorar os outros produtos, vais ver ! :)

    Beijos

    Isabel

    ResponderEliminar
  22. Adorei esta sugestão para o meu almoço e saudável :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Licor de framboesa

Já referi aqui algumas vezes o quanto os meus gostos têm mudado ao longo da vida. Disso foi esse exemplo este ano ter aprendido a gostar de maracujá e frutos vermelhos. Mas muitos outros exemplos houve e a verdade é que à medida que vamos evoluímos, os nossos gostos também evoluem.Para mim o grande salto aconteceu quando comecei a cozinhar. Não gostava de cebola, ervas aromáticas, pimentos, favas, cogumelos, enfim. A lista era infindável. E a verdade é que até mesmo carne de vaca, que já não comia há mais de 15 anos, por não suportar o sabor, no outro dia abri uma exceção num curso que fiz e… GOSTEI!O importante é termos a mente aberta e dar o primeiro passo para experimentar e insistir se necessário for. Porque só assim conseguimos tirar a teima se é simplesmente um ‘não gostar’ daqueles de quem nunca provou, ou um ‘não gostar’, à séria, de quem não suporta o ingrediente x ou y.As framboesas entraram na minha vida este ano. E era daquelas antipatias crónicas. Era comum ouvirem dizer-…