Avançar para o conteúdo principal

Doce de morango II

Os morangos começam a chegar em avalanche cá por casa. Sendo uma fruta relativamente perecível, é quase impossível consumirmos 5 a 10 kg de morangos numa semana… Assim, entre aqueles que se vão consumindo, há alguns que vão sendo congelados e outros que são transformados em doce. E desta vez resolvi juntá-los com alguns aromas muito apreciados por nós, ligeiramente diferentes dos utilizados AQUI. Ficou muito bom! Recomendo!

_______________________

Doce de morango com cravinho, canela e menta


Ingredientes:

- 1,320 kg de morangos

- 1 kg de açúcar branco

- 150 gr de açúcar amarelo

- 2 cravinhos de cabecinha

- 1 haste grande de hortelã menta

- 2 paus de canela

- 2 dl de água


Preparação:

Coloque todos os ingredientes ao lume e deixe cozinhar, em lume brando, até que o doce comece a fazer estrada. Outra forma de verificar o ponto do doce é tirar uma colherada para um pires. Segure no pires e vire-o ligeiramente e verifique se o doce está líquido ou se já tem tendência a prender. Se estiver líquido, deixe apurar mais um pouco. Para esta quantidade, demorou cerca de 1 hora e 30 minutos a obter o ponto.

____________________

 

Comentários

  1. Também tenho usado o excesso de morangos em doce, e fica sempre tão bom!
    Gostei imenso dos aromas adicionados.

    ResponderEliminar
  2. Olá...
    Que aspecto super delicioso, amiga .....
    Beijocas...
    http://nacozinhadaleonor.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Ficou espetacular, com uma cor deliciosa e deve estar bem guloso.

    beijocas

    Paula

    ResponderEliminar
  4. Doce de morango é um dos meus doces preferidos :D

    Beijinhos e tem uma óptima semana! :D

    ResponderEliminar
  5. Para mim, o doce de morango é o clássico. Gostei muito do teu.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  6. Então mas ainda ha bocadinho passei por aqui e nao vi doce nenhum!
    E agora por acaso dou me conta da actualizaçao do blogger e dou de caras com um docinho de morango!
    Diferente do normal, mas que tem que ser divino! As mistura de aromas deixa-me a matutar!!
    Amanha levo as torradas sim?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Tenho tanto morango congelado que nem sei que lhes fazer.

    ResponderEliminar
  8. Ora aqui está um bom "sitio" para utilizar a minha menta!!!
    Que aspecto apetecível :)
    Beijinhos doces e uma optima semana!

    ResponderEliminar
  9. Essa mistura de aromas parece-me agradável! Por aqui a fruta a mais também acaba em doce! Este é dos meus doces preferidos!
    Beijinhos e uma boa semana

    ResponderEliminar
  10. Adoro doce de morango.
    O teu ficou perfeito.
    Boa semana
    bjs

    ResponderEliminar
  11. Bom dia! Que docinho maravilhoso! Uma textura bem gulosa! Vou levar a receita!
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Adoro! e com um toque de hortelã, hummm...
    Beijinhos, uma boa semana!

    ResponderEliminar
  13. Hmm, delícia!

    Aqui eu uso o excesso de morangos para fazer mini sobremesas que vendo!

    Beijos
    Felipe
    http://www.mundogastronomic.com.br

    ResponderEliminar
  14. Acho que este é o ano dos morangos, estão aí em força ;) que elo docinho!

    ResponderEliminar
  15. Gosto tanto de doce de morango! :)

    Dos meus preferidos!*

    ResponderEliminar
  16. Doce de morango uma perdição muito positiva :)
    Ficou com uma linda cor :)

    ResponderEliminar
  17. Sem duvida, que vou experimentar.......
    Depois comento o resultado !!

    ResponderEliminar
  18. Adoro doce de morango. Ficou com uma cor lindissima.
    Kiss

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Licor de framboesa

Já referi aqui algumas vezes o quanto os meus gostos têm mudado ao longo da vida. Disso foi esse exemplo este ano ter aprendido a gostar de maracujá e frutos vermelhos. Mas muitos outros exemplos houve e a verdade é que à medida que vamos evoluímos, os nossos gostos também evoluem.Para mim o grande salto aconteceu quando comecei a cozinhar. Não gostava de cebola, ervas aromáticas, pimentos, favas, cogumelos, enfim. A lista era infindável. E a verdade é que até mesmo carne de vaca, que já não comia há mais de 15 anos, por não suportar o sabor, no outro dia abri uma exceção num curso que fiz e… GOSTEI!O importante é termos a mente aberta e dar o primeiro passo para experimentar e insistir se necessário for. Porque só assim conseguimos tirar a teima se é simplesmente um ‘não gostar’ daqueles de quem nunca provou, ou um ‘não gostar’, à séria, de quem não suporta o ingrediente x ou y.As framboesas entraram na minha vida este ano. E era daquelas antipatias crónicas. Era comum ouvirem dizer-…