Avançar para o conteúdo principal

Uma tarte - a preferida!

Depois de duas semanas a ver a blogosfera em massa a publicar receitas de tarte de amêndoa, não resisti, eu própria, de o fazer! Adoro tarte de amêndoa. É sem dúvida a minha preferida!

Engraçado como parece que nos inspiramos todos uns nos outros... Eu, pelo menos, sou muitas vezes inspirada no que vejo, nas ideias que são publicadas. Algumas seguidas à risca, outras nem tanto, mas a verdade é que já fazem parte da minha vida e da minha planificação semanal de refeições & petiscos.

Quanto à receita que trago, inicialmente tinha pensado seguir uma receita de um blog de que sou seguidora, mas quando a quis encontrar, não a encontrei... E a vontade de comer era imensa e por isso fui um pouco por intuição, uma vez mais...

Resultou e correu bem! Ficou maravilhosa, sem o sabor demasiado intenso que normalmente a manteiga incorpora. Cá por casa foi quase toda ainda morna... Espero que gostem! É deliciosa!

____________________________

Tarte de amêndoa


Ingredientes:

Para a base:

- 1 ovo

- 150 gr de açúcar

- 190 gr de farinha Branca de Neve

- 120 gr de manteiga (usei Becel líquida)


Para a cobertura:

- 130 gr de açúcar

- 150 gr de amêndoa palitada (usei da marca Vahiné)

- 130 gr de manteiga (usei Becel líquida)

- 4 colheres de sopa de leite magro


Preparação:

Pré aqueça o forno a 180º.

Coloque no copo da Bimby o ovo e o açúcar e programe 2 minutos, 37º, velocidade 3. Junte a farinha e a Becel e programe mais 1 minuto, velocidade 3.

Barre uma tarteira de fundo amovível com um pouco de Becel líquida. Espalhe bem a base da tarte e leve ao forno a cozer por 15 minutos.

Prepare o recheio. Coloque todos os ingredientes, com excepção do leite, numa frigideira anti-aderente e deixe cozinhar em lume brando cerca de 10 minutos mexendo sempre (não deixe caramelizar demasiado).

Retire do lume e adicione o leite lentamente tendo cuidado para evitar salpicos já que o contato com o calor vai fazer o caramelo borbulhar.

Espalhe por cima da base e leve ao forno mais 5 minutos.


Alternativa de Preparação:

Pré aqueça o forno a 180º.

Bata o ovo e o açúcar até obter uma mistura fofa e esbranquiçada. Junte a farinha e a Becel e misture bem - vai obter uma massa encorpada.

Barre uma tarteira de fundo amovível com um pouco de Becel líquida. Espalhe bem a base da tarte e leve ao forno a cozer por 15 minutos.

Prepare o recheio. Coloque todos os ingredientes, com excepção do leite, numa frigideira anti-aderente e deixe cozinhar em lume brando cerca de 10 minutos mexendo sempre (não deixe caramelizar demasiado).

Retire do lume e adicione o leite lentamente tendo cuidado para evitar salpicos já que o contato com o calor vai fazer o caramelo borbulhar.

Espalhe por cima da base e leve ao forno mais 5 minutos.

______________________________

Comentários

  1. A tarte ficou linda e tão gulosa! Que maravilha!! Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. é verdade eu também me sinto inspirada por outros blogs, como o teu :)
    mais uma deliciosa receita!

    ResponderEliminar
  3. Que tarte de amêndoa com tão bom aspecto! Gosto tanto :)


    Beijinhos e boa semana*

    ResponderEliminar
  4. Também é das minhas tartes preferidas, aliás,
    tudo o que leva amêndoas tem a minha simpatia, adoro!
    Ficou óptima:)
    Beijinho boa semana.

    ResponderEliminar
  5. Eu sou absolutamente fixada nesta tarte. Adoro! Pela foto, apercebo-me de que é mesmo como eu gosto - massa fina, equilíbrio perfeito entre o "recheio" e a base.

    beijocas

    ResponderEliminar
  6. Sónia, acho que eu sou a única que ainda não fiz esta tarte. Este fim de semana, trarei a tua para a minha cozinha. Está decidido. Adoro tartes de amêndoa e esta tua está mesmo a pedir-me para vir para a minha mesa.
    Beijinho
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria se chegar a experiente conte-me se gostou, sim? O feedback é sempre importante para tentar,os aperfeiçoar o que fazemos contanto amor! Um beijinho e obrigado pela visita!

      Eliminar
  7. Obrigado a todas pelas simpáticas palavras!

    ResponderEliminar
  8. Ai que delicia!

    Fiquei tentada a fazer uma igual. Tenho amêndoas em casa que me deu o meu pai. Acho que vou ter que pedir ao maridinho para as partir. :P
    Adorei a receita!

    Beijinhos e obrigado pelas palavras de carinho no meu recanto de Receitas de Sedução.

    Boa semana;

    Aurea Sá

    www.receitasseducao.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Esta é também a minha tarte favorita de sempre e quem a fazia sempre lá em casa era a minha irmã e ficava sempre tão fantástica e com um aspecto igual a esta tua. Adorei!!
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Sonia :)

    Quem fazia tarte de amêndoa na perfeição era a Mãe !
    Tanto eu gostava da tarte de amêndoa dela... nem eu fazendo fica igual, entendes não é ? Mão de Mãe é insubstituível ! :)

    Mas a tua está lindíssima, com um aspecto delicioso e eu gosto dela com massa bem fininha e cobertura generosa...

    Não me venhas dizer que sou gulosa... por favor, tá ? :p

    Beijos

    Isabel
    www.blogdochocolate.com
    http://brisa-maritima.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  12. Olá!
    Eu adoro tarte de amêndoa...também fiz há pouco tempo. A receita é da minha mãe. Talvez seja dos bolos que mais gosto. A tua parece estar deliciosa!

    Beijinhos
    Paula

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…