Avançar para o conteúdo principal

De regresso...

Ao fim de mais de 15 dias de ausência, com alguma saudade, regresso cheia de receitas para pôr em dia aqui pelo blog.

Por incrível que pareça a ausência não teve a ver com férias, mas antes com o regresso ao trabalho. Durante as férias consegui gerir o tempo para a família e para o descanso, com a publicação periódica de receitas. Mas este regresso ao trabalho tem-me dado algo que fazer...

Claro que tem sido um ano atípico que culminou com férias arrastadas para Setembro e uma baixa médica pelo meio... Mas não tem sido fácil gerir. Normalmente tiro férias em Junho e Julho... Em Agosto é um mês excelente para se trabalhar, para nos prepararmos para o arranque em Setembro...

Ter férias nas duas primeiras semanas de Setembro, obrigou-me a apanhar o avião com ele em andamento... É uma sensação estranha, porque é como se tivéssemos de correr permanentemente, porque estamos atrasados... E eu, que gosto tanto de controlar as coisas e agir por antecipação, confesso que me senti um pouco perdida e precisei mesmo desta pausa para assentar arraiais, como se costuma dizer...

Para começar, resolvi deixar aqui a receita de algo bem simples - arroz de tomate - mas que nem sempre sai bem. E como a minha amiga Joana M. me pediu tão carinhosamente para partilhar, não resisti. Este serviu para acompanhar uns rissois de pescada e camarão cuja receita em breve partilho convosco. Estava delicioso, bem malandro como se quer...

Amiga, eu sei que aí por Londres vai ser difícil de arranjar arroz que não seja basmati, mas boa sorte!

____________________________________

Arroz de tomate malandro

[serve 4 pessoas]


Ingredientes:

- 1 cebola

- 2 dentes de alho

- 1 folha de louro

- 200 gr de arroz agulha

- 600 gr de água

- 3 tomates maduros

- 5 colheres de sopa de polpa de tomate de compra

- sal qb

- azeite qb

- salsa qb


Preparação:

Pique a cebola e os alhos miudinhos e coloque num tacho. Adicione a folha de louro e um fio de azeite e refogue até a cebola ficar translúcida.

Descasque o tomate, elimine a maior parte das sementes e corte em cubos bem pequenos. Adicione ao refugado, assim com a polpa de tomate. Deixe cozinhar cerca de 5 minutos.

Adicione a água e deixe levantar fervura. Junte o arroz lavado. Tempere de sal e programe 8 minutos.

Polvilhe com salsa picada por cima e deixe 'abrir' por mais 2 minutos, antes de servir.


Nota: para que fazer arroz não tenha segredos, dê uma vista de olhos AQUI.

____________________________________





















Comentários

  1. Oh, minha linda, muito obrigada! Vou experimentar, mesmo que seja com arroz basmati! Que alegria de dia - primeiro descobri farinha maizena no supermercado e agora dás-me tu esta maravilha caseira :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…