Avançar para o conteúdo principal

Leve-leve...

Sou uma apaixonada por São Tomé e Príncipe. Já lá fui duas vezes e só não fui o terceiro ano consecutivo porque entretanto engravidei da Joaninha…

Apesar das vacinas e toda a medicação que é necessário tomar, apesar de ser um país de terceiro mundo, amo São Tomé e Príncipe. Um país de beleza indescritível, com cheiros e cores como em mais lugar do mundo existe. Com uma gastronomia simples, mas que me deixou rendida.

Da segunda vez que lá fui aproveitei para fazer uma visita mais exploratória à capital. Visitei o mercado e posso garantir-vos que não há mais nada no mundo com cheiros e cores sequer semelhantes. Comi num restaurante local, que mais não era do que as traseiras de uma casa particular, ao lado de uma árvore de fruta-pão… O melhor peixe grelhado do mundo e arredores. Fresco. E andei muitas horas de jipe, naquelas estradas herdadas dos tempos da presença de Portugal no país… Por aqueles cafezais e roças que hoje são pequenos guetos cheios de cultura são-tomense. Distribuí roupa, brinquedos, comida… E vivi todo o espírito ‘leve-leve’ do país…

Foram as melhores férias de sempre e aguardo ansiosa que a Joana cresça para lá voltar.

Da segunda visita a São Tomé tive oportunidade de experimentar um bolo de coco fantástico. Quentinho acabadinho de sair do forno. Muito envergonhada, pedi ao Mário para pedir à dona do restaurante a receita. E fiquei muito, mas muito contente, por ela tão simpaticamente a ter dado! São realmente gente muito diferente da que encontramos no nosso dia-a-dia.

Este bolo é do outro mundo… Claro está que mesmo sendo feito com coco fresco, não fica exactamente igual… Mas ainda assim é fantástico e suspiro sempre que o como… Quase que consigo teletransportar-me para São Tomé.

O único aspecto negativo é o facto do bolo não ser nada amigo da linha, por isso opto sempre por fazê-lo para festas, para partilhar com os amigos e família todas as calorias implícitas. Digam lá se não sou amiga??

________________________________________

Bolo de Coco

[serve 6 pessoas]




Ingredientes:




Para o bolo:

-200 gr de manteiga

- 200 gr de açúcar

- 2 ovos

- 200 gr de farinha




Para a cobertura:

- 1 coco fresco ralado (170 gr de polpa ralada)

- 85 gr de açúcar

- 85 gr de manteiga

- 1 dl de leite




Preparação:

Unte uma forma sem buraco com manteiga e polvilhe com farinha. Pré-aqueça o forno a 200º.

Parta o coco e rale a polpa (na Bimby, 4 segundos, velocidade 7). Reserve.

Coloque a manteiga e o açúcar no copo da Bimby e programe 3 minutos, 37º, velocidade 1 e ½. Adicione a borboleta e programe 1 minuto, 37º, velocidade 1 e ½.

Adicione os ovos e programe mais 2 minutos, 37º, velocidade 2 e ½.

Junte a farinha e programe 1 minuto, velocidade espiga.

Coloque a massa na forma e leve ao forno por 25 minutos.

Entretanto, prepare a cobertura. Coloque todos os ingredientes no copo da Bimby e programe 4 minutos, 80º, velocidade 1.

Assim que tirar o bolo do forno, desenforme e coloque esta cobertura por cima. Aconselho vivamente a que este bolo seja comido quente.




Alternativa de Preparação:

Unte uma forma sem buraco com manteiga e polvilhe com farinha. Pré-aqueça o forno a 200º.

Parta o coco e rale a polpa. Reserve.

Bata bem a manteiga com o açúcar até ficar uma mistura alta e fofa. Adicione os ovos e a farinha e misture bem.

Coloque a massa na forma e leve ao forno por 25 minutos.

Entretanto, prepare a cobertura. Coloque todos os ingredientes num tachinho e deixe cozinhar até a manteiga e o açúcar derreterem e formarem uma mistura homogénea.

Assim que tirar o bolo do forno, desenforme e coloque esta cobertura por cima. Aconselho vivamente a que este bolo seja comido quente.

________________________________________





 

Comentários

  1. pode não ser um bolo amigo da linha, mas é amigo do paladar e da gulosice... que aspecto delicioso!

    ResponderEliminar
  2. Que aspecto delicioso!!!
    :) ha sabores que nos levam mesmo para lugares bemmm distantes...
    Beijinho doce :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…