Avançar para o conteúdo principal

Uma massa diferente

Na adolescência tive as minhas crises... Queria ser elegante e magra, queria ter uma pele impecável e um cabelo como o das modelos que apareciam nas capas das revistas...

E claro achava que tudo isto passava pela boca... Bem que tentava comer menos ou melhor, mas a minha mãe nunca alimentou estas coisas e na casa dela ninguém se levantava da mesa enquanto o prato não estivesse limpo. E muito menos se faziam pratos diferentes...

E se tudo isto já era terrível, para os meus objectivos de adolescente, eu sempre gostei de comer... E a minha mãe sempre cozinhou bem.

Um dia decidiu fazer um prato diferente do habitual, já que não era costume comermos pratos de massa lá por casa (a não ser esparguete cozida como acompanhamento).

Não faço ideia de qual a fonte desta receita, mas a verdade é que era sinónimo de um verdadeiro festim. Só mais tarde vim a saber o que tinha. Claro está que a minha mãe sabia que se me dissesse o que a massa levava eu faria fita para comer.

Seja como for, do alto das minhas certezas de adolescente sabia que se massa era tão boa, era porque tinha demasiadas calorias!

E não estava assim tão enganada... Raramente faço esta massa. Mas é tão boa que no outro dia deu-me para fazê-la. A da minha mãe é melhor... Porque não poupa como eu na gordura... Mas pelo menos fiquei com um pouco menos de remorsos...

______________________________________

Esparguete com peru e fiambre

[serve 4 pessoas]




Ingredientes:

- 500 gr de peru (cortado em strogonoff)

- 150 gr de fiambre (uma fatia única com 0,5 cm de altura)

- 3 dentes de alho

- 200 gr de natas de soja

- 2 colher de chá de paté de fígado (a minha mãe usa metade de uma lata)

- azeite qb

- sal qb

- 500 gr de esparguete (usei integral)

- orégão secos qb




Preparação:

Corte o fiambre em cubos. Tempere o peru com sal (se não comprar já em strogonoff, corte em tiras finas e estreitas para cozinhar mais rapidamente).

Numa frigideira larga anti-aderente coloque um fio de azeite e os dentes de alho cortados miudinhos. Adicione o peru e o fiambre e deixe alourar ligeiramente.

Numa tigela misture as natas com o paté de fígado. Junte à carne e desligue assim que começar a ferver. Se necessário rectifique temperos…

Coloque água a ferver com um punhado de sal e um fio de azeite. Assim que estiver a ferver adicione a esparguete e programe 8 minutos. Escorra e adicione à frigideira com a carne.

Sirva quente polvilhada com orégãos secos.

______________________________________





 

Comentários

  1. Eu adoro massas, e quanto mais calóricas melhor, é que é um stress!!!!!
    A que mostras está mesmo apetitosa.

    ResponderEliminar
  2. Mas há lá coisa melhor do que massa Luísa? :-) esta é um pecado mortal... :-)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Sobras de salmão

E quando a vida nos dá sobras de salmão o que fazer? Bom, desfiá-lo e fazer um salada fria? Sim é uma hipótese. Desfiá-lo e fazer uma quiche? Porque não? Fazer umas pataniscas de salmão, ou um paté de salmão? Ora… Uns rissóis? Hum… Não! Apetecia-me algo diferente…Mistura de um lado, mistura do outro e assim nasceram estes hambúrgueres. Muito simples mas que permitiram que 200 gr de salmão, que não davam para uma refeição para dois, fizessem duas refeições para dois!!! Sim porque se à noite fui comedida e acompanhei com salada, no dia seguinte foi uma excelente opção para a marmita, entre duas fatias de pão de hambúrguer, tomate e alface. Nham!!!______________________ Hamburgueres de Salmão com mayonese de caril e cebolinho[fez 9 hamburgueres]
Ingredientes:
Para os hambúrgueres:- 200 gr de salmão cozinhado- 1 cebola pequena picada- 2 batatas médias- 1 cenoura pequena- 3 colheres de sopa de coentros picados- 10 azeitonas- 1 colher de chá de açafrão- sal e pimenta qb- pão ralado qb- azeite …