Avançar para o conteúdo principal

Morangos e uma amiga.

Quando comecei a pensar em criar um blog, alguns medos surgiram… A questão da exposição (que é inevitável que aconteça). A questão de não controlarmos as críticas e de não sabermos se estamos preparados para as receber, sejam positivas ou negativas. A questão de partilharmo-nos com quem não conhecemos, nem as expectativas de quem está do outro lado do ecrã.

Com muita coragem e muito empurrão lá criei o blog e confesso, que até agora, tem sido uma experiência para lá de positiva, cheia de surpresas bastante agradáveis. Uma delas têm sido os contactos recentes que estabeleci com pessoas que partilham o mesmo gosto pela culinária que eu. Pessoas, que não conheceria, não fosse a existência do “uma pedra de sal”. Pessoas com histórias incríveis e receitas ainda mais incríveis para partilhar! Sim, é verdade, há quem me contacte para partilhar comigo uma ou outra receita preferida!

Esta receita que publico hoje foi um exemplo disso. A minha recente amiga Marta M. tem-me feito chegar receitinhas fantásticas de tal forma que já a incentivei a criar um blog de culinária e tudo. É daquelas criaturas com um património culinário incrível, que nos faz sentir simples aprendizes. Marta, tens mesmo de pensar seriamente no assunto porque és fantástica.

Relativamente à receita, não coloquei quantidades porque depende tudo dos gostos de cada um. Assim, prepare os morangos a gosto e adicione simplesmente a hortelã. É difícil não ficar surpreendida com o contraste. Simples, rápido e fabuloso… Obrigado Marta.

______________________________________________

Morangos com hortelã




Ingredientes:

- Morangos qb

- Açúcar qb

- Hortelã qb




Preparação:

Lave bem os morangos e corte em quatro. Junte açúcar a gosto e folhas de hortelã cortadas em juliana. Deixe macerar cerca de 30 minutos antes de servir para libertar molho.

______________________________________________

Comentários

  1. As sugestões simples são sempre apreciadas e nunca enjoam!

    ResponderEliminar
  2. Por vezes esquecemo-nos na riqueza que há nas coisas simples :)
    Excelente sugestão !
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  3. Também gosto muito! Costumo ainda fazer um molho com alguns morangos... :))

    ResponderEliminar
  4. tenho uns moranguinos no frigo e hortelã num vaso.....já sei qual vai ser a sobremesa hoje ao jantar!! Obg pelas tuas boas sugestões!! Bj

    ResponderEliminar
  5. as sobremesas simples como esta normalmente são sempre as que sabem melhor.
    gostei!!!

    ResponderEliminar
  6. Obrigado a todas pelos comentários. É bom saber que as minhas sugestões são lidas e em alguns casos apreciadas. Realmente comer assim morangos é realmente transcendental... Simples, saudável e docinho! Vivam as coisas simples e obrigado por me acompanharem.

    ResponderEliminar
  7. Estou em falta para com a senhora deste bolg!
    Amiga não vim cá comentar!!! :( :( :(

    Excelente blog e excelente post,eu não teria escrito melhor. :)
    A net tem destas coisas,"junta"as pessoas e ajuda a que haja uma maior troca de ideias e de receitas,neste caso. :D
    Quanto à receita,fica realmente muito bom,muito agradavel...e que tal pôr umas bolas de gelado de nata ou de noz e depois pôr os morangos em cima?Talvez com o de nata ligue melhor...não sei,estou aqui a atirar para o ar pois ainda não experimentei. =P
    Coisa a experimentar! :D

    P.S.1 - Obrigada ;)

    Beijinhos

    P.S.2 - Que tal um livro? ;)

    ResponderEliminar
  8. Marta como sabes... Escrever um livro é um sonho que nem ouso sonhar... Para já vou aprendendo com esta experiência... Se estiver destinado, chegara a minha vez. O que importa é fazer tudo com amor e esse tenho a rodos :-)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Molho cervejeira

Quem estuda economia ou gestão costuma falar sobre a curva de crescimento das empresas. Na verdade, todas as empresas têm o seu momento de crescimento, expansão e algures no tempo, a estagnação e a morte. Mais cedo, ou mais tarde, é o que acontece. Claro que há empresas que levam mais tempo do que outras a chegar ao declínio… Veja-se a Coca-cola, veja-se a MacDonalds… Independentemente da concorrência, são empresas com história que se mantêm até hoje como lideres, que ultrapassaram todos os momentos de expansão e contração da economia.Em minha opinião isto acontece por variadas razões, seja pela gestão, pelas ações de marketing, pela publicidade, mas acima de tudo, pelo segredo que os seus produtos encerram. Pela inovação que trouxeram quando chegaram ao mercado.Tentando passar isto para o panorama nacional, veja-se a Portugália e o seu molho que se mantém inalterado desde sempre (dizem). Passou de uma cervejaria de Lisboa, a uma cadeia de restaurantes espalhada por todo o país. Ainda…

Tarte de maçã

Quando percebemos que este é o tipo de alimentação em que nos revemos uma das preocupações surgiu com as visitas para jantar. O que servir? 
Na verdade os amigos já mostram curiosidade assim que percebem que mudamos a forma de comer, embora achem que é uma moda passageira. Ainda assim, quando nos convidaram a primeira vez para almoçar ficaram apreensivos e ligaram a perguntar o que nos podiam servir ao almoço. Estavam verdadeiramente preocupados...
Claro que lhes explicamos que podiam fazer uma carne ou um peixe porque a única coisa que mudava era o acompanhamento. Aproveitei e ofereci-me para levar uma salada, que por sinal foi do agrado de todos, e ajudou a derrubar barreiras.
Num destes dias surgiu um jantar improvisado cá por casa com uns amigos de que gostamos muito. Para finalizar uma refeição soberba, que acho que foi do agrado de todos, fizemos uma tarte de maçã. Dizia-me a minha amiga "não sei como tens tantas ideias, eu nem sei por onde começar". Eu partilhei o meu se…