Avançar para o conteúdo principal

Mais memórias de infância... Comida de conforto.

A minha comida preferida é o arroz de atum! Como é que alguém tão apaixonado pela comida pode gostar de algo tão simples e genuíno? Não sei, mas desde sempre me recordo de comer este prato, fosse como prato principal, fosse como acompanhamento.

Esteve presente à mesa nos bons e maus momentos. Fosse porque a azáfama dos dias não permitia fazer algo mais demorado, fosse como pitéu tão desejado e pedido como acompanhamento de uns salgados ou peixe frito. De tal forma, que nunca tendo cozinhado antes, no dia em que diagnosticaram à minha mãe cancro da mama, eu resolvi tentar fazer este prato, já que ninguém estava com cabeça para cozinhados... Soube bem, confortou e deu energia positiva para lutar.

Partilho hoje convosco, sem pretensões... Comida simples, genuína, daquela que nos deixa um sorriso parvo na cara e uma sensação de alma cheia!

________________________________________

Arroz de Atum

[serve 3 pessoas]

Ingredientes:

- 3 latas de atum em azeite

- 1 cebola média

- 2 dentes de alho

- 1 folha de louro

- 250 gr de tomate maduro

- 5 colheres de sopa de polpa de tomate de compra

- 1 medida de arroz (200 gr)

- 2 medidas e meia de água (500 gr)

- azeite qb

- sal qb

- 1 mão cheia de salsa

Preparação:

Pique a cebola e o alho miudinhos e coloque num tacho com a folha de louro e azeite. Deixe refogar um pouco até a cebola ficar mole. Junte o tomate cortado em pedaços pequenos (sem pele, nem sementes) e a polpa de tomate. Deixe apurar cerca de 5 minutos.

Junte a água e deixe ferver (pode aquecer a água num fervedor e juntá-la para ser mais rápido). Junte o arroz lavado e deixe cozer por 9 minutos. Mexa ocasionalmente com um garfo.

Quando faltar cerca de 3 minutos para o fim do tempo, junte o atum escorrido. Sirva polvilhado com salsa picada.

________________________________________

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…